Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94982
Title: Determinantes do desempenho das instituições bancárias brasileiras
Authors: Mourão, Letícia da Costa e Silva
Orientador: Cerqueira, Pedro André Ribeiro Madeira Cunha
Gama, Paulo
Keywords: Desempenho bancário; determinantes; factores macroeconómicos; estruturas de propriedade; mercados emergentes; Brasil; metodologia em painéis; Banking performance; determinants; macroeconomic factors; ownership structures; emerging markets; Brazil; panel methodology
Issue Date: 16-Jan-2020
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Há um aumento dos debates académicos sobre o desempenho dos bancos. Alguns estudos argumentam que o desempenho bancário é reforçado por melhorias na organização interna e eficiência na gestão. Argumenta-se também que as novas regulamentações internacionais são parte integrante do desempenho do banco. Outros estudos, mais recentes, incluem a propriedade e factores macroeconómicos como determinantes do desempenho bancário. Esta tese investiga os determinantes do desempenho bancário utilizando variáveis idiossincráticas dos bancos (incluindo regulamentação) e variáveis sistemáticas, isto é, macroeconómicas, além de estruturas de propriedade, crise e diversificação. Foram utilizados painéis dinâmicos (GMM) de 65 bancos brasileiros no período de a 2001-2017. O sector bancário brasileiro se mostrou expressivo economicamente e crescente no período analisado. Os activos no último semestre da amostra chegaram a mais de 8 mil milhões de reais e as captações a cerca de 6 mil milhões de reais. Os lucros líquidos dos bancos cresceram cerca de 14 vezes no período da amostra. Este estudo concluiu que o desempenho passado tem um peso determinante no desempenho futuro. Além disso, descobriu-se que a receita proveniente de comissões bancárias impacta negativamente o desempenho dos bancos, pois aumenta os custos das operações bancárias e causa o efeito fuga. O crescimento económico e inflação impactam positivamente o desempenho, mostrando que o desenvolvimento da economia está relacionado ao mercado bancário. Outros determinantes macroeconómicos são relevantes, tais como: taxa de câmbio, endividamento público e desemprego. E determinantes idiossincráticos relevantes foram: números de agência e incumprimento. Determinantes como: regulamentação, taxa de juros base e custos de pessoal não foram significativos. Descobrimos que a propriedade interfere no desempenho dos bancos. Os bancos estrangeiros apresentam uma NIM mais baixa que os bancos domésticos e públicos, mostrando a postura dos bancos brasileiros em aplicar altas margens de intermediação. Os bancos públicos apresentam menor ROE do que os domésticos. Em uma análise sobre o impacto da crise, verificamos que os bancos públicos são mais resilientes a crise do que os bancos estrangeiros e domésticos. A diversificação na intermediação não impactou no desempenho. Estes modelos geram diversas informações úteis para a tomada de decisão dos gestores bancários e fazedores de políticas públicas.
There is an increasing academic debate about bank performance. Some studies argue that banking performance is reinforced by management improvement, as also argued that new international regulations are an integral part of bank performance. Other recent studies include ownership structure and macroeconomic factors as performance´s determinants. This thesis investigated the determinants of banking performance using idiosyncratic bank variables (including regulation) and systematic (macroeconomic) variables, ownership structures, crisis and diversification. This thesis uses dynamic panels (GMM) from 65 Brazilian banks in the period from 2001-2017. The Brazilian banking sector had an expressive growth in analyzed period. In the last period of the sample reached more than 8 billion reais of assets and around 6 billion reais of funding. Bank net profits grew about 14 times over the sample period. This study concluded that past performance has a major bearing on future performance. In addition, bank commission income was found to negatively impact banks' performance. Economic growth and inflation positively impact performance, showing that economy is related to the banking market. Other macroeconomic determinants are relevant, such as: exchange rate, public debt and unemployment. Idiosyncratic determinants relevant were agency numbers and default. Determinants such as regulation, interest rate and personnel were not significant. We found that ownership affects bank performance. Foreign banks have a lower NIM than domestic and public, showing the trending of Brazilian banks to apply high intermediation margins. Public banks have lower ROE than domestic banks. Analyzing the impact of the crisis, we find that public banks are more resilient to the crisis than foreign and domestic ones. Diversification in intermediation was non-significant for performance. These models generate a variety of useful information for decision making by bank managers and policy makers.
Description: Tese no âmbito do Doutoramento em Gestão - Ciência Aplicada à Decisão apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/94982
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Doutoramento
UC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Determinantes do desempenho das instituições bancárias brasileiras.pdf1.92 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

47
checked on Sep 10, 2021

Download(s)

26
checked on Sep 10, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.