Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94963
Title: Estudo de validação da Escala de Baixo Autocontrolo numa amostra de adultos da população geral
Other Titles: Validation study of Low Self-Control Scale on a general population sample
Authors: Palma, Patrícia Ramalho da
Orientador: Alberto, Isabel Maria Marques
Keywords: Autocontrolo; impulsividade; controlo atencional; desejabilidade social; Self-control; impulsiveness; attentional control; social desirability
Issue Date: 9-Oct-2019
Serial title, monograph or event: Estudo de validação da Escala de Baixo Autocontrolo numa amostra de adultos da população geral
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
Abstract: O autocontrolo é fundamental no comportamento humano pelo que tem suscitado inúmeras investigações e o desenvolvimento de instrumentos de avaliação. Em Portugal, a investigação nesta área é recente e, especificamente ao nível da avaliação psicológica, é escassa. A presente investigação teve como principal objetivo o estudo das características psicométricas da Escala de Baixo Autocontrolo, adaptada por Fonseca (2002), com recurso a uma amostra de adultos. Especificamente, procurou-se analisar a estrutura fatorial, a consistência interna, a estabilidade temporal e a validade concorrente. Adicionalmente, pretendeu-se examinar a influência das variáveis sociodemográficas sexo e idade nos resultados na Escala de Baixo Autocontrolo, bem como a correlação entre os resultados numa medida de desejabilidade social e os do baixo autocontrolo. Recorreu-se a uma amostra da população geral (n= 152) com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos. Todos os participantes responderam ao protocolo de investigação composto por um questionário sociodemográfico de caracterização da amostra e três escalas de autorresposta, nomeadamente a Escala de Baixo Autocontrolo, a Escala de Impulsividade de Barratt e a Escala de Desejabilidade Social. Numa segunda fase, que decorreu um mês após a administração do protocolo, foi aplicado presencialmente o Teste da Barragem dos 3 Sinais e novamente a Escala de Baixo Autocontrolo, apenas a 47 dos participantes iniciais. Os resultados obtidos nos estudos de precisão indicam qualidades psicométricas razoáveis ao nível da consistência interna e estabilidade temporal para o intervalo de um mês entre as aplicações. Quanto à validade concorrente, foram encontradas correlações positivas, variando entre baixa e elevada correlação, com significância estatística, entre o total da Escala de Baixo Autocontrolo, as suas subescalas e os fatores que compõem a BIS-11. Registaram-se correlações fracas entre a Escala de Baixo Autocontrolo e os resultados no Teste da Barragem dos 3 Sinais que mede a atenção focalizada e sustentada. Os coeficientes de correlação entre a DESCA e a Escala de Baixo Autocontrolo parecem sugerir não ter havido efeito da desejabilidade social na resposta ao protocolo.No geral, os resultados revelam-se invariantes quando consideradas as características individuais da amostra, relativas ao sexo e idade.
Self-control is a fundamental construct of human behavior that has given rise to numerous investigations and assessment tools. In Portugal, research in this area is recent and, specifically at the level of psychological assessment, is scarce. The current study’s main goal was to examine the psychometric properties of the Low Self-Control Scale, translated into Portuguese by Fonseca (2002), using a adult sample. We sought to evaluated factorial structure, internal consistency, temporal stability and concurrent validity. Additionally, it was intended to analyze the influence of sociodemographic variables, gender and age, as well as the exploring the role of social desirability in the results of low self-control. A sample of the general population (n= 152) aged between 18 and 65 years old. All participants responded to the protocol that integrates a sociodemographic questionnair and three self-response scales, namely the Low Self-Control Scale, the Barrat Impulsivity Scale and the Social Desirability Scale. In a second phase, which occurred one month after the administration of the protocol, Toulouse-Piéron Test and the Low Self-Control Scale were applied to only 47 of the initial participants. The results obtained in the precision studies indicate reasonable psychometric proprieties in terms of internal consistency and temporal stability for the one month interval between applications. Concerning the concurrent validity, positive correlations of small to large strength were found, with statistical significance, between the total of the Low Self-Control Scale, it’s subscales and the factors of BIS-11. Weak correlations were found between Low Self-Control Scale and Toulouse-Piéron Test results, which measures focused and sustained attention. Correlation coefficients between Social Desirability Scale and Low Self-Control Scale seem to suggest that there was no effect of social desirability on the response to the protocol. Overall, the results are invariant when considering the individual characteristics of the sample regarding gender and age.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/94963
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
TESE 2019 - Patrícia Ramalho da Palma .pdf1.69 MBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

11
checked on Sep 17, 2021

Download(s)

2
checked on Sep 17, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons