Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94930
Title: A visão dos professores sobre os alunos que vivem em acolhimento residencial
Other Titles: The overview of the teachers about students in residential care
Authors: Constantino, Ana Raquel Gonçalves da Fonseca
Orientador: Lima, Luiza Isabel Gomes Freire Nobre
Keywords: acolhimento residencial; crianças; jovens; professores; educação; residential care; children; youth; teachers; education
Issue Date: 11-Oct-2019
Serial title, monograph or event: A visão dos professores sobre os alunos que vivem em acolhimento residencial
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: A escola e os professores são um pilar fundamental na construção da identidade e dos projectos de vida de crianças e jovens em acolhimento residencial. Com o objectivo de perceber como estas crianças e jovens são compreendidos no seu funcionamento emocional, cognitivo e comportamental pelos seus professores, foram entrevistados 8 docentes do 3º ciclo de escolaridade, que já tinham dado aulas a crianças e jovens em acolhimento residencial (6 do sexo feminino, Midade=53.5 (DP=8.9), Manos serviço=30.8 (DP=8.6)), tendo as entrevistas sido analisadas de acordo com o método da Grounded Theory. A entrevista, semi-estruturada, obedeceu a guião construído para o efeito. Os resultados revelam que fundamentalmente a visão que os professores têm acerca dos alunos que vivem em acolhimento residencial é negativa, existindo uma ideia algo generalizada de que são jovens problemáticos e alunos difíceis. Os desafios que dizem enfrentar na gestão da sala de aulas e no acto de ensinar são impostos pelas poucas competências dos alunos e da fraca capacidade de regulação emocional, o elevado uso das novas tecnologias, a fraca assiduidade e o conseguir ensinar-lhes qual é o seu lugar na sociedade. Para responder a estes desafios, referem que as estratégias a que recorrem para os contornar são, essencialmente, de investimento na relação com o aluno, em termos relacionais e afectivos, na comunicação com ele (sobre as aulas, a escola e o trauma) e, em situações de crise contêm, apaziguam, advertem, desvalorizam ou tomam medidas mais drásticas como expulsar da sala. Tudo isto tem um impacto nos docentes e no modo como estes se vêem, por considerarem que esta é uma experiência gratificante, que acarrecta um fardo emocional, manifestando a necessidade de terem mais formação sobre estratégias de intervenção em situações de crise. Os aspectos negativos apontados às crianças em acolhimento residencial que maior saturação obtiveram são convergentes com as manifestações que, segundo a literatura cientifica sobre trauma desenvolvimental, decorrem da vivência de episódios traumáticos. Muito embora, os professores percebam, que muitas destas manifestações se devam à história de vida destes alunos, têm dificuldade em utilizar as estratégias mais adequadas para ajudar os alunos a alcançar bons resultados académicos. Será relevante complementar os resultados encontrados, com investigação que se centre na percepção que os alunos, que vivem nestas condições, têm sobre a acção educativa dos seus professores e a sua eficácia.
School and teachers are vital in the construction of the identity and life projects from children and young people in residential care. To understand how these children and young people are understood in their emotional, cognitive and behavioral performance by their teachers, 8 middle school teachers were interviewed. These teachers already taught children in residential care (6 females, Mage=53.5 (DP=8.9), Myears of service=30.8 (DP=8.6)), and the interviews were analyzed according to Grounded Theory. The interview, semi-structured, was guided by a pre-made script.The results show that, usually, the teachers think that children in residential care are problematic and difficult students. They claim the challenges they have while in the classroom are related to the low competences of the students and the weak ability of emotional regulation, the high use of new technologies, the low attendance and the ability to teach them their place in society. To answer these challenges, they say that the strategies they use are, usually, investing in the relation with the students, in affective terms, investing in the communication (about classes, school and trauma) and, in a crisis, restrain, appease, downgrade or take more serious measures, like kicking them out of the classroom. All of this has an impact on the subjects, and how they see themselves, because they think this is a rewarding experience and that contains an emotional burden, proving the need to have more training with dealing with crisis. The negative aspects about children in residential care that are more frequent are interlocked with manifestations that, according to scientific reading about development trauma, occur after living traumatic events. Even though teachers understand that a lot of these manifestations occur because of the student’s life experiences, they have trouble using the most adequate strategies to help students achieve good academic results. It is also relevant to complement the results with some investigation focused on the perception that the students in this situation have about the educational activity of their teachers and their effectiveness.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/94930
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese.pdf2.71 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

5
checked on Jun 10, 2021

Download(s)

5
checked on Jun 10, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons