Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94516
Title: União Económica e Monetária como Zona Monetária Ótima: falhas políticas, consequências económicas.
Other Titles: Economic and Monetary Union as an Optimum Currency Area: political failures, economic consequences.
Authors: Fernandes, Francisca Martinho Violante
Orientador: Duarte, António Manuel Portugal
Keywords: União Económica e Monetária; Zona Euro; Zonas Monetárias Ótimas; Moeda única; Economic and Monetary Union; Eurozone; Optimum Currency Areas; Single Currency
Issue Date: 19-Feb-2021
Serial title, monograph or event: União Económica e Monetária como Zona Monetária Ótima: falhas políticas, consequências económicas.
Place of publication or event: Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
Abstract: Os erros políticos são inseparáveis das falhas económicas, e a crise de 2007-08 veio expor isso no Continente Europeu. Este trabalho analisa a União Económica e Monetária (UEM) sob as oito principais características de otimalidade que uma Zona Monetária Ótima (ZMO) deve ter. Para esse fim, examinámos vários indicadores macroeconómicos que nos permitiram concluir que a UEM não representa (ainda) uma ZMO.Os resultados extraídos dos dados analisados mostram que a UEM foi construída por um ímpeto político, descurando os riscos evidentes e iminentes. Realça-se a importância crescente da coordenação e disciplina político-económica e da preparação ex ante dos Estados. O não cumprimento dos requisitos imprescindíveis a uma ZMO deve-se à crise das dívidas soberanas, no entanto, a arquitetura da UEM não foi capaz de recuperar daí e evoluir. Falta ainda coordenação de políticas, de ciclos económicos e de objetivos.Nesse sentido o Trabalho de Projeto encontra-se estruturado em seis secções. A primeira é a introdução ao objeto de estudo. Na secção 2, começamos por apresentar, sob o ponto de vista da teoria económica, os princípios fundamentais para a existência de uma Zona Monetária Ótima. Na secção 3, discute-se “os dois lados da moeda”, ou seja, apresentam-se as principais conclusões do debate que se seguiu ao reforço do processo de integração monetária, nomeadamente, sobre as consequências da criação da moeda única europeia. Na secção 4, procede-se à verificação empírica dos critérios para que uma união monetária possa ser considerada uma Zona Monetária Ótima. Tal análise é realizada para o caso da União Económica e Monetária Europeia. Na secção 5, faz-se uma reflexão sobre os caminhos que a UEM pode tomar, tendo em conta os testes realizados na secção anterior, e a conjuntura atual. Finalmente, na secção 6, apresentam-se as principais conclusões deste Trabalho de Projeto.
Political errors are inseparable from economic failures, and the 2007-08 crisis exposed this on the European continent. This paper analyses Economic and Monetary Union (EMU) under the eight main optimistic features that an Optimum Monetary Zone (OCA) should have. For this purpose, we analysed several macroeconomic indicators that have allowed us to conclude that EMU does not (yet) represent a ZMO. The results drawn from the data analysed show that EMU was built by a political impetus, neglecting the evident and imminent risks. The growing importance of economic policy co-ordination and discipline and of ex-ante state preparation is stressed. The failure to meet the indispensable requirements of a ZMO is due to the sovereign debt crisis, but the architecture of EMU has not been able to recover and evolve from it. There is still a lack of coordination of policies, economic cycles and objectives.In this sense the Project Work is structured in six sections. The first is the introduction to the object of study. In section 2, we begin by presenting, from the point of view of economic theory, the fundamental principles for the existence of an Optimum Monetary Zone. Section 3 discusses "the two sides of the coin", i.e. the main conclusions of the debate which followed the strengthening of the process of monetary integration, in particular on the consequences of the creation of the single European currency. In section 4, an empirical check is made of the criteria for a monetary union to be considered an optimal monetary area. This analysis is carried out for the case of European Economic and Monetary Union. In section 5, a reflection is made on the ways in which EMU can go, taking into account the tests carried out in the previous section, and the current situation. Finally, section 6 presents the main conclusions of this Project Work.
Description: Trabalho de Projeto do Mestrado em Economia apresentado à Faculdade de Economia
URI: http://hdl.handle.net/10316/94516
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TP_Francisca_Fernandes_2016232999.pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

291
checked on Aug 10, 2022

Download(s)

157
checked on Aug 10, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons