Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94506
Title: When healthy eating becomes problematic: a study on Orthorexia Nervosa
Other Titles: Quando a alimentação saudável se torna problemática: um estudo sobre Ortorexia Nervosa
Authors: Coimbra, Maria Ribeiro
Orientador: Ferreira, Cláudia Rute Carlos
Keywords: Ortorexia Nervosa; Comportamentos ortoréticos; Estudo de Validação; Comportamento alimentar perturbado; Padrão alimentar; Orthorexia Nervosa; Orthorexic behaviours; Validation study; Disordered Eating; Dietary pattern
Issue Date: 22-Jul-2020
Serial title, monograph or event: When healthy eating becomes problematic: a study on Orthorexia Nervosa
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
Abstract: A Ortorexia Nervosa foi mencionada pela primeira vez em 1997, por Steven Bratman, e desde então, este construto tem suscitado o interesse da clínica e da investigação. Ortorexia Nervosa é melhor descrita por uma fixação patológica numa alimentação saudável. Apesar desta atual definição, os investigadores concordam que ainda há muitas incógnitas em relação à Ortorexia Nervosa, incluindo se esta deve ou não ser considerada uma perturbação psiquiátrica. A sua definição mais detalhada, ferramentas de avaliação e implicações clínicas ainda são amplamente discutidas e motivo de discordância. Dito isto, vários estudos concordam que uma parte essencial do desenvolvimento da Ortorexia Nervosa é a adoção de comportamentos associados, também denominados de comportamentos ortoréticos. Estes comportamentos têm uma característica obsessiva e podem abranger tudo, como a compra, preparação e consumo dos alimentos, a autopunição e a culpa, a restrição extrema e, até, a cor dos alimentos escolhidos. Tudo o que o indivíduo entende como uma regra, proveniente do que crê ser uma alimentação saudável, pode ser considerado um comportamento ortorético. Para além disto, a Ortorexia Nervosa e a sua associação com diferentes padrões alimentares, como Vegetariano e Vegan, têm sido exaustivamente estudados, e parece haver uma relação entre a Ortorexia Nervosa e o padrão alimentar escolhido.Em Portugal, a pesquisa centrada na Ortorexia Nervosa ainda é pouco substancial. Uma das razões para esta falta de informação é a inexistência de um instrumento de avaliação válido da Ortorexia Nervosa para a população portuguesa. Apesar de estudos recentes focarem este importante passo, as ferramentas adaptadas e traduzidas não tiveram sucesso, devido aos seus problemas de confiabilidade e validade.Assim, este estudo teve como objetivo principal explorar e contribuir para a pesquisa focada na Ortorexia Nervosa: primeiramente, adaptar uma ferramenta válida para a população portuguesa e estudar a sua prevalência e relação com diferentes indicadores psicológicos, com o sexo, com o BMI e com quatro padrões alimentares (Omnívoro, Vegetariano, Vegan e Paleo). Foi desenvolvido também um segundo estudo para explorar e compreender os processos de alimentação envolvidos no “salto” dos comportamentos ortoréticos para o comportamento alimentar perturbado. Neste estudo, foram também exploradas as diferenças nas populações omnívora e não omnívora.Os resultados foram bem-sucedidos, e uma ferramenta válida para a Ortorexia Nervosa foi traduzida e adaptada para a população portuguesa, com boas propriedades psicométricas: a Dusseldorf Orthorexie Scale (DOS). As conclusões relativamente às relações com as variáveis mencionadas anteriormente parecem estar de acordo com a literatura já existente, e contribuem para o progresso essencial do estudo da Ortorexia Nervosa. Finalmente, os resultados do segundo artigo encontraram uma relação importante na abordagem alimentar escolhida (mais intuitiva ou inflexível), em relação ao desenvolvimento dos comportamentos ortoréticos para comportamento alimentar perturbado, tanto para omnívoros como para não omnívoros. Estes resultados podem ter implicações na área clínica, incentivando os profissionais a concentrarem-se no cultivo de uma abordagem alimentar mais intuitiva, na prevenção e tratamento de indivíduos que apresentam comportamentos ortoréticos, independentemente do padrão alimentar escolhido.
Orthorexia Nervosa was first mentioned in 1997, by Steven Bratman, and since then, this construct has risen the clinical and research interest of many. Orthorexia Nervosa is best described by a pathological fixation in healthy eating. Despite this current definition, researchers agree that there is still a lot of unknowns regarding Orthorexia Nervosa, including if it should be or not considered as a psychiatric disorder. Its detailed definition, assessment tools and clinical implications are still thoroughly discussed and subject of disagreements. Having said that, studies agree that an essential part of the development of Orthorexia Nervosa is the adoption of associated behaviours, known as orthorexic behaviours. These behaviours have an obsessive characteristic, and can encompass anything, from the shopping, preparation and consumption of food, the self-punishment and guilt, the extreme restriction and even the colour of the chosen foods. Everything that the individual perceives as a rule to its belief of healthy eating can be considered as an orthorexic behaviour. Additionally, Orthorexia Nervosa and its association with different dietary patterns, such as Vegetarian and Vegan, has been thoroughly studied, and there seems to be a relation with Orthorexia Nervosa and the chosen dietary pattern.In Portugal, research around Orthorexia Nervosa is still scarce. One of the reasons for this lack of information is the non-existence of a valid measuring tool of Orthorexia Nervosa for the Portuguese population. Despite recent studies focus on this important step, the adapted and translated tools have not had success, duo to its reliability and validity problems.Therefore, this study aimed to further extend the research around Orthorexia Nervosa: firstly, to adapt a valid tool for the Portuguese population and study its prevalence and its relationship with different psychological indicators, with sex, with BMI, and with four dietary patterns (Omnivore, Vegetarian, Vegan and Paleo). A second study was also developed to better understand the eating-related processes involved in the “jump” of orthorexic behaviours into disordered eating. In this study, differences in the omnivore and non-omnivore population were also explored.Results were very successful, and a valid Orthorexia Nervosa tool was translated and adapted for the Portuguese population, with good psychometric properties: the Dusseldorf Orthorexie Scale (DOS). Its finding regarding the relationships with the variables mentioned before, seem to agree with previous literature and add to the essential progress in the understanding of Orthorexia Nervosa. Finally, the second paper’s results found an important relation in the chosen eating approach (more intuitive or inflexible), regarding the development of orthorexic behaviours into disordered eating, both for omnivores and non-omnivores. These results may have a real implication in the clinical setting, showing that professionals should focus on enhancing and cultivating a more intuitive eating approach in the prevention and treatment of individuals presenting orthorexic behaviours, independently of the chosen dietary pattern.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/94506
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Dissertação Maria Ribeiro Coimbra 2020.pdf1.32 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

14
checked on Jun 10, 2021

Download(s)

1
checked on Jun 10, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons