Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94318
Title: Perturbações psiquiátricas e tipologia de crime: existe relação?
Other Titles: PSYCHIATRIC DISORDERS AND TYPES OF CRIME: IS THERE A RELATIONSHIP?
Authors: Jesus, Mariana Barata Santos Barreira
Orientador: Quartilho, Manuel João Rodrigues
Keywords: Psiquiatria Forense; Inimputabilidade; Eventos Adversos da Infância; Perturbações do Uso de Substância; Criminalidade; Forensic Psychiatry; Inimputability; Adverse Childhood Events; Substance Use Disorders; Criminality
Issue Date: 10-Dec-2020
Serial title, monograph or event: PERTURBAÇÕES PSIQUIÁTRICAS E TIPOLOGIA DE CRIME: EXISTE RELAÇÃO?
Place of publication or event: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Abstract: Introduction: The association between criminality and psychiatric disorders has been extensively studies. The most recent studies show that this appear to exist only in acute stages of the disorder. Adverse childhood events are also a risk factor in violent and antisocial behaviors. Methods/Objectives: A retrospective exploratory study was designed, including 91 men and 19 women who were admitted in the Forensic Ward of Coimbra Hospital and University Center between 2018 and august 2020 to evaluate the association between psychiatric diagnosis and crime committed. Gender differences and adverse childhood events were also evaluated. Results: Although psychotic disorders were the most common in both groups, mood disorders were significantly more common in women. Females were also significantly associated with a particular type of crime, infanticide. 39 patients had comorbidity with substance abuse which was associated with a greater prevalence of criminal history and childhood adverse events, but also with a lesser prevalence of violent crimes and homicide. The homicide victims were significantly different from what happens in the general criminal population, with a greater prevalence of nuclear family members, and less violent behaviors directed to strangers. The sample patients also reports more adverse childhood events than the general population.Discussion/Conclusion: Although there were not significant differences in the type of crime considering the psychiatric diagnosis, comorbidity with substance abuse was associated with greater criminality, but with less violent crimes. The greater prevalence of crimes committed against the nuclear family in these patients, and particularly against offspring in women, shows the importance of strategies that mitigate conflicts with the family.
Introdução: A associação entre criminalidade e doença psiquiátrica tem sido extensamente estudada, com estudos mais recentes a demonstrarem que esta existe apenas em fases de descompensação aguda. Os eventos adversos da infância são também fatores de risco comportamentos violentos e antissociais. Métodos/Objetivos: Foi desenhado um estudo retrospetivo exploratório incluindo 91 homens e 9 mulheres, que cumpriram medida de segurança no Serviço de Psiquiatria Forense do CHUC entre 2018 e agosto de 2020 para avaliar a associação entre o diagnóstico psiquiátrico e o tipo de crime cometido. Avaliaram-se também diferenças de género e a presença de eventos adversos da infância.Resultados: Embora as perturbações psicóticas fossem as mais comuns em ambos os géneros, nas mulheres verificou-se uma prevalência significativamente superior de perturbações do humor, sendo também o infanticídio significativamente mais prevalente neste grupo. 39 doentes tinham comorbilidade com consume de substâncias, estando esta associada a maior prevalência de antecedentes criminais e de eventos adversos da infância, mas a menor prevalência de crimes violentos e de homicídios. Comparativamente com a população prisional geral, as vítimas dos crimes de homicídio cometidos pelos doentes da amostra eram significativamente diferentes, com maior prevalência de violência contra a família nuclear e menor prevalência de violência para desconhecidos ou outros conhecidos. Os doentes estudados reportavam também mais eventos adversos da infância que a população geral. Discussão/Conclusão: Embora não se tenham encontrado diferenças estatisticamente significativas no tipo de crime cometido dependendo do diagnóstico psiquiátrico atual, verificou-se que o consumo de substâncias comórbido, embora associado a aumento da criminalidade, se encontra menos associado a crimes violentos. A maior prevalência de crimes contra a família nuclear nos doentes da amostra, e particularmente contra os filhos no género feminino, mostra-nos também que é necessário estabelecer estratégias de forma a mitigar conflitos familiar e diminuir a probabilidade destes episódios.
Description: Dissertação de Mestrado em Medicina Legal e Ciências Forenses apresentada à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/94318
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação - PERTURBAÇÕES PSIQUIÁTRICAS E TIPOLOGIA DE CRIME EXISTE RELAÇÃO.pdf671.86 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

80
checked on Aug 5, 2022

Download(s)

88
checked on Aug 5, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons