Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94266
Title: Experiência numa Unidade de Medicina Geriátrica
Other Titles: Experience in a Geriatric Medicina Unit
Authors: Ferreira, Brigite Margarete de Jesus 
Orientador: Verissimo, Manuel Teixeira Marques
Veríssimo, Rafaela Cláudia Fernandes Teixeira
Keywords: Geriatria; Avaliação Geriátrica Global; Síndromes Geriátricas; Envelhecimento; Geriatrics; Geriatric Global Assessment; Geriatric Syndromes; Ageing
Issue Date: 17-Dec-2020
Serial title, monograph or event: Experiência numa Unidade de Medicina Geriátrica
Place of publication or event: Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho
Abstract: A humanidade, pela sua evolução em todas as áreas, regozija-se ao observar a longevidade da população. As melhores condições de saúde, salubridade e económico sociais permitiram uma maior longevidade, e logo, envelhecimento. Em fevereiro de 2020 Portugal era o quinto país mais envelhecido do mundo, e é o terceiro mais envelhecido da Europa. Com o envelhecimento, as necessidades em saúde alteraram-se. O subgrupo dos idosos é particularmente vulnerável. O “idoso frágil” tem pluripatologia crónica, apresenta sintomatologia atípica na doença aguda, diminuição da capacidade de resposta e descompensa facilmente na adversidade. Portanto o idoso é um doente complexo e tem necessidades específicas. A Geriatria surge para dar resposta à necessidade de prestar cuidados médicos personalizados permitindo a vivência da velhice com a melhor “saúde” possível (como bem-estar físico, mental e social, “mesmo que na presença de alguma enfermidade”). Pretende intervir precocemente no “idoso frágil” minimizando a probabilidade de descompensação e os efeitos colaterais. Nas últimas décadas a ciência tem-se dedicado ao estudo do envelhecimento e tem contribuído para melhor avaliar os doentes, antecipar, integrar e prestar cuidados diferenciados.O objetivo do trabalho foi aperfeiçoar a prática clínica prestada à população idosa, integrando o conhecimento dos cuidados de saúde secundários e da Medicina Geriátrica com a realidade dos cuidados de saúde primários. Consistiu num estágio de 400 horas, de outubro de 2019 a março de 2020 na Unidade de Medicina Geriátrica do Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho. Incluiu um estágio prático com a equipa multidisciplinar; partilha e discussão dos instrumentos da avaliação geriátrica global com outros serviços do hospital; e a realização de um trabalho de investigação que consistiu numa casuística dos internamentos dos doentes centenários na instituição nos últimos dez anos, com apresentação em Congresso. Durante o estágio, foram acompanhados doentes sobretudo no internamento, mas também em consulta, entre 71 e 102 anos de idade. Observou-se maior prevalência do sexo feminino e mais de 50% apresentavam fragilidade ou grau de dependência relevante. As patologias respiratórias e cardiovasculares foram os principais motivos de internamento. A fratura proximal do fémur foi motivo de 20% dos internamentos, pois a unidade formadora tem diferenciação em Ortogeriatria. Os distúrbios eletrolíticos e a insuficiência respiratória foram as intercorrências mais frequentes nas enfermarias. Em todos os doentes internados foram aplicadas as escalas de avaliação geriátrica (índice Katz, mRankin, índice de Barthel e a Clinical Frailty Scale, o Nutritional Risk Screening, e uma avaliação social e psicológica feitas pela equipa multidisciplinar). Quando adequado eram ainda aplicadas escalas complementares para melhor conhecer o utente e como ferramentas de apoio à decisão clínica. Os doentes são internados com um grau de dependência maior que o desejado, mas, muitas vezes têm alta com algum ganho de função e com ferramentas para potenciar esse ganho. À alta feita é a revisão terapêutica, simplificando-a (recorrendo ao uso dos critérios STOPP e START, e dos critérios Beers).A experiência decorrida no estágio dota o estagiário de prática no uso de ferramentas clínicas para a melhoria dos cuidados em geriatria.
The evolution of humanity rejoices to observe the longevity of the population. The health care services, the technology, the social and economic conditions allowed and led to the ageing of society. In February 2020, Portugal was the fifth most aged country in the world and was the third most aged in Europe. Health care needs have changed because the elderly population is a “new” subgroup for medicine, particularly vulnerable and with specific needs. Geriatrics arises from the need to provide targeted and personalized medical care, allowing the experience of old age with the best possible "health" (such as physical, mental and social well being, "even in the presence of some disease"). It intends to intervene early in the “frail elderly person”, who has a reduced response for rebalancing, minimizing the likelihood of decompensation and side effects, when the acute disease appears. In recent decades, the scientific community has become more curious about the study of ageing. Thus, it has contributed to better assess patients, anticipate, integrate and provide differentiated care.The objective of the work was to improve the clinical practice provided to the elderly population, integrating the knowledge of hospital care and Geriatric Medicine with the reality of primary care. It consisted of a 400-hour internship, from October 2019 to March 2020, at the Geriatric Medicine Unit of Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho. It included a practical internship with the multidisciplinary team; sharing and discussing the instruments of global geriatric assessment with other services; and the carrying out of an investigation work that consisted of a series of hospitalizations of centenary patients in the institution in the last ten years, with the results presented at a conference.During the internship, the monitored patients aged from 71 to 102 years old; it was observed a higher prevalence of females and more than 50% had frailty or relevant degree of dependence. Respiratory and cardiovascular pathologies were the main reasons for hospitalization. 20% of hospitalizations were related to femur fracture because that unit has an agreement on Orthopedics/Geriatric medicine. Electrolyte disturbances and respiratory failure were the most frequent complications. Geriatric assessment scales were applied to all inpatients (Katz index, mRankin, Barthel index and the Clinical Frailty Scale, the Nutritional Risk Screening and a social and psy-chological assessment was made by the multidisciplinary team). When appropriate, complementary scales were also applied to better know the patients and as tools to support the clinical decision. Patients are hospitalized with a greater degree of dependency than desired. However, when they go home, in several situations, there is an improvement in function and they go with tools to improve even more. At the time of discharge, the therapeutic is reviewed and simplified (using the STOPP and START criteria and the Beers criteria).The internship experience endows the trainee with the practice of using clinical tools to improve geriatric care.
Description: Dissertação de Mestrado em Geriatria apresentada à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/94266
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Brigite Ferreira_dissertação.pdf10.71 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

78
checked on Aug 17, 2022

Download(s)

12
checked on Aug 17, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons