Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/93795
Title: Capitalismo, Ética e Educação: Sobre os Limites da Prática Pedagógica
Other Titles: Capitalism, Ethics and Education: on the limits of teaching practice
Authors: Azevedo, Ivo Belchior
Orientador: Marcelo, Gonçalo Nuno Falcão de Bettencourt Coutinho
Keywords: Capitalismo; Patologias sociais; Vida ética; Pedagogia crítica; positivismo; Capitalism; social pathologies;; ethical life; critical pedagogy; positivism
Issue Date: 11-Dec-2020
Serial title, monograph or event: Capitalismo, Ética e Educação: Sobre os Limites da Prática Pedagógica
Place of publication or event: residência
Abstract: O presente relatório pretende explorar um problema de segunda ordem. Com isto afirmamos que não iremos partir da prática pedagógica e do contexto particular do nosso estágio, mas sob o referencial de fundo que limita a própria prática, as suas possibilidades e as suas manifestações no presente contexto educacional. O contexto particular da nossa prática serve assim para corroborar as teses avançadas na parte teórica, mais do que a parte teórica serve para justificar aquilo que foi a nossa prática. A pertinência do nosso relatório está assim explicada: não faz sentido fazer uma reflexão sobre o nosso trabalho prático pedagógico, os nossos métodos e estratégias, nem fazer uma autoavaliação desse trabalho sem questionar quais as premissas que guiam a nossa prática e os critérios para aferir a sua qualidade. Iremos essencialmente explorar dois tópicos. Primeiro, o modo como a racionalidade capitalista e o projeto educativo neoliberal, radicados sobre o positivismo e um conceito parcial de “homem”, reproduzem as “enfermidades” sociais exploradas -entre outros- pelos autores da Teoria Crítica. Iremos assim tratar das instituições educativas e do papel ideológico que desempenham na socialização dos educandos. Em segundo, iremos ver como esse contexto institucional limita fundamentalmente a prática pedagógica, perdendo a educação a sua verdadeira natureza ética e política debaixo da ideologia positivista e capitalista. Partindo da premissa de Dewey, que “não existe educação sem um ideal social”- contrariamente à presente negação de qualquer conceção normativa da educação-, cabe-nos explorar qual o ideal contemporâneo, que se recusa fundamentalmente à crítica e, assim, à mudança estrutural, e quais as condições da possibilidade de uma prática mais livre, bem como de uma educação que socialize os educandos de acordo com os verdadeiros ideais democráticos. Neste sentido, iremos propor um conceito de educação fundado sob a ideia hegeliana de Bildung e tentar propor um ideal educativo referido ao conceito de “vida ética” e tentaremos dar-lhe uma viragem crítica. Tentaremos adaptar o ideal educativo hegeliano às instituições educativas através de Dewey, Durkheim, Giroux e Freire e defender que um tal ideal é inexequível dentro do contexto institucional contemporâneo.
This report aims to explor a second order problema. This means we are not going to depart from our limited context of our practical experience, but from the framework that limits the pedagogical practice, its possibilities and manifestations in the current educational context. The specific context of our practice aims, with this in mind, not as a justification about the way we guided our practice, but to support the theses advanced on the theoretical chapters. The relevance of this work is obvious: it is not possible to reflect upon our practice, our methods and strategies, or to make na evaluation of it, without questioning the premises that rule our practice and the criteria of its quality. We are going to explore two topics:. First, the way in which the capitalist rationality, and the neoliberal educative project, rooted in positivism and a limited concept of “human”, reproduce the social malaises worked -among others- by the authors of Critical Theory. We will adress the ideological role educational institutions play in the socialization of students. Secondly we will adress how that institutional framework limits pedagogical practice and how it steals the ethical and political nature of education. By departing from Dewey’s premise that “there is no education without a social ideal” – as opposed to the current negation of any normative conception of education- we will try to explore the contemporary ideal, one that tends to refuse any criticism as well as any strctural change. We will try to find, on the other hand, the conditions of possibility of a free pedagogical practice as well as one that doesn’t fall prey to ideological mechanisms that prepetuate a disfunctional, amoral, unethical society. We will try to advance a concept of education grounded on the Hegelian idea of Bildung, intimately connected with his concept of “ethical life” and give it a critical turn. We will try to adapt the Hegelian educative ideal to educational institutions through the work of authors such as Dewey, Durkheim, Giroux e Freire and defend that such an ideal is not possible under current institutional framework.
Description: Relatório de Estágio do Mestrado em Ensino de Filosofia no Ensino Secundário apresentado à Faculdade de Letras
URI: http://hdl.handle.net/10316/93795
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
IvoAzevedo_versaofinal.pdf4.55 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

10
checked on Jul 22, 2021

Download(s)

12
checked on Jul 22, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons