Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/93765
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorLoureiro, Ana Paula Oliveira-
dc.contributor.authorGama, Inês Alexandra Carvalho-
dc.date.accessioned2021-03-18T23:08:54Z-
dc.date.available2021-03-18T23:08:54Z-
dc.date.issued2020-02-17-
dc.date.submitted2021-03-18-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/93765-
dc.descriptionDissertação de Mestrado em Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS) apresentada à Faculdade de Letras-
dc.description.abstractA presente dissertação tem como objetivo central o estudo do modo como se processa e consolida a aquisição/aprendizagem da voz passiva em português como língua estrangeira (PLE) por aprendentes polacos de diferentes níveis de proficiência. Para tal, partiu-se da análise de respostas dadas por estes a questionários que testaram os contextos verbais e argumentais que admitem diátese passiva em português e os verbos auxiliares que aí são usados.O objetivo específico deste trabalho é apurar, tendo em conta as regras de construção e uso da voz passiva em português, i) quais os comportamentos linguísticos e metalinguísticos dos aprendentes polacos no domínio das estruturas passivas em português; ii) quais as caraterísticas sintáticas e semânticas dos núcleos verbais passivos em português que suscitam maiores dificuldades aos aprendentes polacos; iii) se essas dificuldades são resultado de fenómenos de transferência ou decorrem da complexidade intrínseca desta estrutura.Deste modo, partindo da definição de conceito de interlíngua proposto por Larry Selinker (1972) e das caraterísticas da voz passiva em português descritas nos trabalhos de Duarte & Oliveira (2010) e Duarte (2013), procedemos à análise detalhada das respostas aos estímulos presentes nos questionários preenchidos por aprendentes polacos que, entre outubro de 2018 e junho de 2019, aprendiam português na Universidade Jaguelónia, de Cracóvia, e por um grupo de controlo, constituído por falantes nativos que em maio de 2019 frequentavam o ensino universitário. Assim, as correlações estabelecidas entre os tipos respostas obtidas nos questionários e o nível de proficiência dos aprendentes polacos permitem concluir que: i) em todos os níveis de proficiência analisados foram encontradas respostas desviantes relativamente à língua alvo (LA); ii) os aprendentes polacos mostram dificuldade em reconhecer que frases ativas com verbos transitivos estativos não admitem diátese passiva; iii) observa se uma tendência para aceitar a expressão do agente da passiva em frases passivas adjetivais resultativas. A observação dos dados obtidos junto dos informantes nativos permite ainda avançar com a hipótese de que muitos dos problemas identificados se correlacionam com a complexidades inerente à voz passiva.por
dc.description.abstractThis research has as its main aims the perception of how the acquisition/learning of passive voice in Portuguese as a foreign language (PFL) by polish leaners of different levels of proficiency is consolidated, based on answers given by them to questionnaires that have test verbal and argumental contexts that admit passive diasthesis and the choice of passive auxiliary verbs of Portuguese in different situations. The specific aims of this work is to determine, taking into account the rules of construction and use of passive voice in Portuguese, i) what are the linguistic and metalinguistic behaviors of Polish learners in the domain of passive structures in Portuguese; ii) which are the syntactic and semantic characteristics of passive verbal nuclei in Portuguese that cause difficulties for Polish learners; iii) whether these difficulties result from transfer phenomena or come from the intrinsic complexity of this structure.Starting from the definition of interlanguage concept proposed by Larry Selinker (1972) and the characteristics of the passive voice in Portuguese according to the proposals and works of Duarte & Oliveira (2010) and Duarte (2013), we carried out the analysis of the answers to the stimuli present in the questionnaires that were filled by Polish learners who between October 2018 and June 2019 learned Portuguese at the Jagiellonian University of Krakow and a control group, made up of native speakers who in May 2019 attended the Portuguese higher education system.The correlations established between the types of answers obtained in the questionnaires and the level of proficiency of Polish learners allow us to conclude that: i) at all levels of proficiency analyzed deviant answers were found in relation to the target language (TL); ii) Polish learners find it difficult to recognize that sentences with transitive stative verbs do not allow passive diathesis; iii) there is a tendency to accept the expression of the passive agent in resultative passive. Observing the data obtained from native speakers also allows us to advance the hypothesis that many of the identified problems correlate with the complexities inherent in passive voice.eng
dc.language.isopor-
dc.rightsopenAccess-
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/-
dc.subjectvoz passivapor
dc.subjectportuguês como língua estrangeiraapor
dc.subjectaquisição/aprendizagem de língua não maternapor
dc.subjectaprendentes com LM polacapor
dc.subjectinterlínguapor
dc.subjectpassive voiceeng
dc.subjectPortuguese as a foreign languageeng
dc.subjectNon-native language acquisition/learningeng
dc.subjectPolish learnerseng
dc.subjectinterlanguageeng
dc.titleAquisição/Aprendizagem da voz passiva: comportamentos linguísticos e metalinguísticos de aprendentes polacos de PLEpor
dc.title.alternativePassive Voice Acquisition / Learning: Linguistic and Metalinguistic Behaviors of PFL Polish Learnerseng
dc.typemasterThesis-
degois.publication.locationFaculdade de Letras da Universidade de Coimbra-
degois.publication.titleAquisição/Aprendizagem da voz passiva: comportamentos linguísticos e metalinguísticos de aprendentes polacos de PLEpor
dc.peerreviewedyes-
dc.identifier.tid202490785-
thesis.degree.disciplineLíngua e Literatura Materna-
thesis.degree.grantorUniversidade de Coimbra-
thesis.degree.level1-
thesis.degree.nameMestrado em Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS)-
uc.degree.grantorUnitFaculdade de Letras-
uc.degree.grantorID0500-
uc.contributor.authorGama, Inês Alexandra Carvalho::0000-0003-4699-0305-
uc.degree.classification17-
uc.degree.presidentejuriMartins, Cristina dos Santos Pereira-
uc.degree.elementojuriLoureiro, Ana Paula Oliveira-
uc.degree.elementojuriSantos, Maria Joana de Almeida Vieira dos-
uc.contributor.advisorLoureiro, Ana Paula Oliveira::0000-0002-3791-5867-
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextCom Texto completo-
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
InesGama_versaofinal.pdf1.7 MBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s)

5
checked on May 13, 2021

Download(s)

4
checked on May 13, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons