Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/93648
Title: O JORNALISMO ALTERNATIVO ATENTO ÀS MULHERES: UMA ANÁLISE DOS PORTAIS BRASILEIROS REVISTA AZMINA E GÊNERO E NÚMERO
Other Titles: ALTERNATIVE JOURNALISM SENSITIVE TO WOMEN: AN ANALYSIS OF THE BRAZILIAN PLATFORMS REVISTA AZMINA E GÊNERO E NÚMERO
Authors: Silva, Bibiana Garcez da
Orientador: Silveirinha, Maria João Rosa Cruz
Keywords: Jornalismo; Jornalismo alternativo; Jornalismo feminista; Ética feminista; Objetividade jornalística; Journalism; Alternative journalism; Feminist journalism; Feminist ethics; News objectivity
Issue Date: 12-Oct-2020
Serial title, monograph or event: O JORNALISMO ALTERNATIVO ATENTO ÀS MULHERES: UMA ANÁLISE DOS PORTAIS BRASILEIROS REVISTA AZMINA E GÊNERO E NÚMERO
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Partindo do conhecimento acumulado sobre ética jornalística e a situação das mulheres no jornalismo, esta dissertação tem como objetivo compreender de que forma se pode configurar o jornalismo alternativo e feminista. Para isto, após uma revisão bibliográfica sobre as duas problemáticas que constituem o nosso enquadramento teórico, analisamos os estatutos editoriais e as reportagens publicadas entre janeiro e maio de 2020 nos portais brasileiros Revista AzMina e Gênero e Número. Para o efeito, recorremos a métodos qualitativos e quantitativos. Através da análise textual, olhamos para os estatutos das duas publicações, como forma de entender os seus posicionamentos éticos que têm em comum a defesa da equidade de gênero. Em seguida, analisamos as reportagens, a fim de verificar de que maneira se aplicam na prática os compromissos firmados e como se aproximam dos conceitos de jornalismo feminista discutidos no referencial teórico. A nossa análise permite concluir que ambas as plataformas realizam enquadramentos com perspectiva de gênero e raça/etnia, valorizam as experiências das mulheres, dão atenção às populações mais vulneráveis, apoiam o movimento, os ideais e as ideias feministas e orientam para a ação. Quantitativamente, inspiramo-nos na metodologia proposta pelo GMMP para analisar as pessoas citadas. Verificamos que ambas as plataformas citam maioritariamente mulheres como fontes e como fontes especialistas. Apesar de haver um enquadramento das reportagens que dá atenção às questões de raça/etnia, verificamos que não há indicação étnico-racial de grande parte das fontes, o que nos sugere que sejam mulheres brancas, em sua maioria. Concluímos que ambas as plataformas produzem, de fato, um jornalismo feminista e alternativo, encontrando novas formas éticas, rompendo de diferentes maneiras com a objetividade jornalística tradicional.
Based on the accumulated knowledge about journalistic ethics and the situation of women in journalism, this dissertation aims to understand how alternative and feminist journalism can be shaped. In order to do so, following a bibliographic review on the two issues that constitute our theoretical framework, we analyze the editorial statements and the articles published between January and May 2020 of the Brazilian news platforms Revista AzMina e Gênero e Número. For this purpose, we use qualitative and quantitative methods. Through textual analysis, we look at the editorial statements of the two publications, to see how their ethical positions include gender equity. Then, we analyze the news stories, to verify how the commitments made are applied in practice and how they relate to the concepts of feminist journalism discussed in the theoretical framework. Our analysis allows us to conclude that both platforms provide framings with a gender and race/ethnicity perspective, value the experiences of women, pay attention to the most vulnerable populations, support the feminist movement, ideals and ideas and guide action. Quantitatively, we were inspired by the methodology proposed by the GMMP to analyze the people quoted in the news stories. We found that both platforms mostly cite women as sources and as expert sources. Notwithstanding a news framing that pays attention to race/ethnicity issues, we found that there is no ethnic-racial identification of most sources, which suggests that they are mostly white women. We conclude that both platforms do produce feminist and alternative journalism, finding new ethical forms and departing in different ways from the traditional concept of news objectivity.
Description: Dissertação de Mestrado em Jornalismo e Comunicação apresentada à Faculdade de Letras
URI: http://hdl.handle.net/10316/93648
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Bibiana Garcez_Repositório.pdf1.86 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

15
checked on Apr 9, 2021

Download(s)

18
checked on Apr 9, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons