Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/93085
Title: Avaliação dos Recursos Necessários para Implementação de um Serviço de Reconciliação da Medicação num Hospital Universitário Português
Other Titles: Evaluation of the resources required for implementing a Medication Reconciliation Service in a portuguese university hospital
Authors: Silva, Thaís Colombo Costa e
Orientador: Caetano, Maria Margarida Coutinho de Seabra Castel-Branco
Rocha, Marília João da Silva Pereira
Keywords: Reconciliação da Medicação; Erros de medicação; Transição de cuidados; Segurança do doente; Discrepâncias de medicação; Medication Reconciliation; Medication errors; Care transition; Patient safety; Medication discrepancies
Issue Date: 2-Oct-2020
Serial title, monograph or event: Avaliação dos Recursos Necessários para Implementação de um Serviço de Reconciliação da Medicação num Hospital Universitário Português
Place of publication or event: FAculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Abstract: Os hospitais têm-se deparado, nos últimos anos, com uma pressão crescente para implementar a Reconciliação da Medicação – uma avaliação sistematizada de todos os medicamentos que estão a ser adicionados, alterados ou descontinuados nos pontos de transição de cuidados. Visando a segurança do doente, têm por objetivo a prevenção de erros de medicação e eventos adversos decorrentes destes. No entanto, os profissionais encontram ainda desafios na sua aplicação na prática clínica, uma vez que esta exige a disponibilização de recursos e integração num fluxo de trabalho pré-existente, o que envolve diferentes fatores clínicos, comportamentais e organizacionais.Foi objetivo deste estudo identificar as barreiras a transpor e os recursos necessários para implementação da Reconciliação da Medicação na admissão de um serviço hospitalar.Para tal, efetuou-se um estudo-piloto com 100 doentes admitidos num Serviço de Medicina Interna, com idade superior a 18 anos e a tomar de forma crónica pelo menos um medicamento. A melhor história farmacoterapêutica possível foi obtida sistematicamente, com posterior identificação, classificação e resolução das discrepâncias.A população em estudo, em geral polimedicada e com múltiplas morbilidades, apresentou uma média de idades de 77,04 ± 13,74 anos, sendo 67,0% do sexo masculino. Foram identificadas 791 discrepâncias e as intencionais (95,7%) estavam documentadas em 50,9% das situações. As barreiras identificadas envolveram principalmente o acesso, atualização e qualidade da informação terapêutica, estando os principais recursos relacionados com as categorias de processo, ferramentas e pessoal.A melhoria dos registos clínicos na interface cuidados primários/hospitalares, a informatização do processo, atuação multidisciplinar e definição de grupos prioritários foram identificadas como oportunidades de otimização. Os resultados reforçam a necessidade de melhor estruturação dos recursos na comunicação da informação terapêutica, com vistas a tornar os programas de Reconciliação da Medicação mais aplicáveis e com maior impacto nos desfechosclínicos dos doentes.
In recent years, hospitals have faced increasing pressure to implement Medication Reconciliation - a systematic evaluation of all drugs that are being added, altered, or discontinued at transition points of care. Aiming to contribute to the patient safety, its objective is to prevent medication errors and adverse events arising from them. However, professionals still face challenges in their application in clinical practice, since this requires the provision of resources and integration into a pre-existing workflow, which involves different clinical, behavioral and organizational factors.The aim of this study was to identify the barriers to be overcome and the resources required for the implementation of Medication Reconciliation in the admission of a hospital service. To that, a pilot-study was conducted with 100 patients admitted to an Internal Medicine Service, over 18 years of age and taking at least one medication chronically. The best possible medication history was obtained systematically, with subsequent identification, classification, and resolution of the discrepancies.The study population, generally polymedicated and with multiple morbidities, had a mean age of 77.04 ± 13.74 years, being 67.0% male. A total of 791 discrepancies were identified and the intentional ones (95.7%) were documented in 50.9% of the situations. The barriers identified mainly involved access, updating and quality of therapeutic information, with the main resources related to the categories of process, tools and personnel.The improvement of clinical records at the primary care/hospital interface, the normalization and informatization of the process, multidisciplinary actions and definition of priority groups were identified as opportunities for optimization. The results reinforce the need for better structuring of resources already existing in the communication of therapeutic information, aiming to make Medication Reconciliation programs more applicable and with greater impact on patient’s clinical outcomes.
Description: Dissertação de Mestrado em Farmacologia Aplicada apresentada à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/93085
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação última versão - Thaís Colombo.pdf5.68 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

5
checked on Feb 25, 2021

Download(s)

5
checked on Feb 25, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons