Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/93042
Title: Relatório de Estágio e Monografia intitulada “Terapia Antioxidante na Lesão Cerebral Traumática"
Other Titles: Internship and Monograph reports entitled” Antioxidant Therapy for Traumatic Brain Injury"
Authors: Fernandes, Jessica Fatima Freitas
Orientador: Rocha, Alda Maria Santana da
Pinho, Capitolina Maria de Figueiredo Fernandes
Silva, Teresa Carmo Pimenta Dinis
Keywords: Lesão cerebral traumática; Dano cerebral; Dano oxidativo; Radicais livres; Terapia antioxidante; Traumatic brain injury; Brain damage; Oxidative damage; Free radicals; Antioxidant therapy
Issue Date: 9-Nov-2020
Serial title, monograph or event: Relatório de Estágio e Monografia intitulada “Terapia Antioxidante na Lesão Cerebral Traumática"
Place of publication or event: Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra; Farmácia Figueiredo-Coimbra e Farmácia Moura -Fafe
Abstract: Monography: Traumatic brain injury is associated with a high rate of disability and mortality worldwide and, therefore, stands out as a public health problem that urgently needs solutions.The type of injury varies according to the severity of the injury, which depends on the external force that originates the primary injury and the place where it is exercised. From a primary lesion, other lesions develop, defined as secondary lesions, which are associated with complex pathophysiological mechanisms that together can lead to serious brain damage that can become irreversible.Among these pathophysiological mechanisms, oxidative damage due to the accumulation of free radicals, triggered by the excitotoxicity of glutamate, which develops after injury, stands out.Traumatic brain injury, although already somewhat demystified, remains quite complex, so new studies continue to be carried out with a view to accurately clarifying the pathophysiology of this type of injury and, essentially, in order to discover new really effective therapies.Antioxidant therapy appears as a promising therapy, capable of neutralizing the free radicals released after injury and, therefore, preventing various brain damage.Report: The role of the pharmacist has evolved in the eyes of society, particularly in the community pharmacy, which often presents itself as the first choice with regard to obtaining a professional opinion for questions or health care.In this way, the functions of the community pharmacist go far beyond “dispensing medicines” or “filling prescriptions”. As a public health promoting agent, the community pharmacist has responsibility for counseling in several areas, for promoting adherence to therapy, for pharmacotherapeutic accompaniment and for the rational use of the medication, always taking into account professional ethics and deontology.
Monografia: A Lesão Cerebral Traumática está associada a uma grande taxa de incapacidade e mortalidade a nível mundial e, por isso, destaca-se como um problema de saúde pública que necessita urgentemente de soluções.O tipo de lesão varia de acordo com a gravidade da lesão, que depende da força externa que origina a lesão primária e do local onde a mesma é exercida. A partir de uma lesão primária desenvolvem-se outras lesões, definidas como lesões secundárias, que estão associadas a mecanismos fisiopatológicos complexos que em conjunto podem levar a sérios danos cerebrais que podem tornar-se irreversíveis.De entre estes mecanismos fisiopatológicos, destaca-se o dano oxidativo devido à acumulação de radicais livres, despoletado pela excitotoxicidade do glutamato, que se desenvolve após lesão.A Lesão Cerebral Traumática, embora já um pouco desmitificada, continua a ser bastante complexa, por isso, novos estudos continuam a ser realizados com vista a esclarecer com rigor a fisiopatologia deste tipo de lesão e, essencialmente, com vista a descobrir novas terapias realmente eficazes.A terapia antioxidante surge como uma terapia promissora, capaz de neutralizar os radicais livres libertados após lesão e, por isso, prevenir vários danos cerebrais.Relatório: O papel do farmacêutico foi evoluindo aos olhos da sociedade, particularmente, na farmácia comunitária, que se apresenta, muitas vezes, como a primeira escolha no que diz respeito à obtenção de uma opinião profissional para questões ou cuidados de saúde. Deste modo, as funções do farmacêutico comunitário vão muito além de “dispensar medicamentos” ou “aviar receitas”. Como agente promotor de saúde pública, o farmacêutico comunitário possui responsabilidade pelo aconselhamento em várias áreas, pela promoção de adesão à terapêutica, pelo acompanhamento farmacoterapêutico e pelo uso racional do medicamento, tendo sempre em conta a ética e a deontologia profissional.
Description: Relatório de Estágio do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas apresentado à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/93042
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Documento Único- Jéssica Fernandes.pdf2.34 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

2
checked on Feb 25, 2021

Download(s)

2
checked on Feb 25, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons