Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/93033
Title: Perceção de Efeitos Adversos por Doentes Hipertensos e sua Relação com Não Adesão Voluntária à Terapêutica
Other Titles: Perception of Adverse Effects by Hypertensive Patients and its Relation with Intentional Non-Adherence to Medication
Authors: Matos, Joana dos Santos
Orientador: Cabral, Ana Cristina Gaspar
Caetano, Maria Margarida Coutinho de Seabra Castel-Branco
Keywords: Adesão à medicação; Anti-hipertensores; Efeitos adversos; Hipertensão arterial; Questionários de adesão; Adherence questionnaires; Adverse effects; Antihypertensive drugs; Arterial hypertension; Medication adherence
Issue Date: 20-Nov-2020
Serial title, monograph or event: Perceção de Efeitos Adversos por Doentes Hipertensos e sua Relação com Não Adesão Voluntária à Terapêutica
Place of publication or event: Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
Abstract: IntroduçãoA Hipertensão Arterial é considerada um dos mais importantes fatores de risco da principal causa de mortalidade em Portugal e em todo o mundo: as doenças cérebro-cardiovasculares. Uma das principais variáveis que conduzem a um mau controlo da pressão arterial em doentes hipertensos é a falta de adesão à terapêutica. A adesão à terapêutica é influenciada por múltiplos fatores, que condicionam o seguimento das recomendações médicas relativas à toma da medicação, sendo um deles a presença de efeitos adversos percecionados com a medicação. Existem múltiplos métodos capazes de avaliar a adesão à terapêutica, sendo os questionários os mais utilizados na prática clínica.Objetivo O objetivo principal deste trabalho é analisar de que forma a perceção de efeitos secundários associados à terapêutica anti-hipertensora é avaliada nos questionários de adesão à terapêutica anti-hipertensora já validados na população portuguesa.Material e MétodosFoi realizada uma pesquisa bibliográfica na PubMed para a recolha dos questionários de adesão à terapêutica, através de uma equação de pesquisa que incluiu os seguintes termos: “medication adherence”, “patient adherence”, “instrument”, “scale”, “questionnaire”, “hypertension”, “antihypertensive agents”, “portuguese”, “Portugal”.A seleção dos artigos atendeu a critérios de inclusão previamente estabelecidos. Foram incluídos todos os artigos que utilizassem um questionário de adesão à terapêutica anti-hipertensora, desde que esse questionário estivesse validado em português. Posteriormente, os questionários identificados foram comparados com base nos itens presentes em cada um, agrupando-os de acordo com as temáticas abordadas. Foram analisados e comparados os itens que avaliavam a presença ou perceção de efeitos adversos.ResultadosForam obtidos 66 artigos através da equação de pesquisa selecionada. Outros 2 artigos foram adicionados pela sua identificação em referências bibliográficas. Num total de 68 artigos obtidos, foram excluídos 64, uma vez que apenas 4 cumpriram os critérios de inclusão. No total dos 4 questionários, foram analisados 41 itens, onde apenas 6 estavam possivelmente relacionados com os efeitos adversos da medicação. Outros itens avaliavam, por exemplo, razões económicas (em 3 itens), esquecimento (em 11 itens), conhecimentos acerca da doença (em apenas 1 item), crenças na medicação (em 6 itens) e adesão às medidas não farmacológicas (em 6 itens).ConclusãoExistem poucos questionários validados na população portuguesa capazes de avaliar ou predizer a adesão à medicação em indivíduos hipertensos. A análise revelou que os 4 questionários continham itens capazes de avaliar a perceção de efeitos adversos, contudo alguns deles não eram diretos, podendo originar múltiplas interpretações. Não existem grandes diferenças entre os questionários de adesão validados em português e aqueles que se encontram validados noutros países. São necessários estudos observacionais que avaliem, na prática, a relação entre a perceção de efeitos adversos e a adesão, para uma melhor confirmação do impacto negativo de efeitos adversos percecionados na decisão de toma da medicação.
IntroductionArterial hypertension is considered one of the most important risk factors of the primary cause of mortality in Portugal and worldwide: brain-cardiovascular diseases. One of the main variables that lead to a bad control of blood pressure in hypertensive patients is the lack of adherence. Adherence to medication is influenced by multiples factors that conditionate the following of medical recommendations about taking medicines, and the presence of perceived adverse effects with medication is one of them. There are multiple measures available to assess adherence, although questionnaires are preferred in clinical practice.ObjectiveThe principal objective of this work is to analyse in which way the perception of adverse effects associated to antihypertensive medication is evaluated in adherence questionnaires validated in portuguese population.Material and MethodsIt was made a bibliographic research in PubMed to collect adherence questionnaires, through a research equation which included the following terms: “medication adherence”, “patient adherence”, “instrument”, “scale”, “questionnaire”, “hypertension”, “antihypertensive agents”, “portuguese”, “Portugal”.The selection of the articles attended to a previously established inclusion criteria. All the articles that utilized at least one adherence questionnaire to antihypertensive medication, since it was validated in portuguese-portuguese were included. Then, questionnaires were compared based on their items, grouping them according to the topics covered. All the items that evaluated the presence or the perception of adverse effects were analysed and compared.Results66 articles were obtained using the selected research equation. Two other articles were added through their identification in the bibliographic references. In a total of 68 articles, 64 were excluded and only 4 fulfilled all the inclusion criteria.In the total of 4 questionnaires, 41 items were analysed and only 6 were possibly related to adverse effects of medication. Other items evaluated, for example, economic reasons (in 3 items), forgetfulness (in 11 items), knowledge about the disease (in only 1 item), beliefs about medication (in 6 items) and adherence to non-pharmacological interventions (in 6 items).ConclusionsThere are few questionnaires validated in Portuguese population with hypertension that are able to evaluate or predict medication adherence. The analysis revealed that all the 4 questionnaires had items that were capable of evaluate the adverse effects perception. However, some of those items aren’t totally direct to adverse effects and are able to originate multiple interpretations. There isn’t much difference between Portuguese adherence questionnaires and questionnaires validated in other countries. Future observational studies are necessary to evaluate the relationship between adverse effects perception and adherence, to estimate the negative impact of perceived adverse effects with the decision of taking antihypertensive drugs.
Description: Dissertação de Mestrado em Farmacologia Aplicada apresentada à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/93033
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação - Joana Matos.pdf1.14 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

12
checked on May 13, 2021

Download(s)

13
checked on May 13, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons