Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/92926
Title: Dados do mundo real relativos ao tratamento com pembrolizumab de doentes com cancro do pulmão de células não-pequenas em estadio avançado previamente tratados.
Other Titles: Real world data related to the treatment with pembrolizumab of patients with non-small cell lung cancer in advanced stage previously treated.
Authors: Portugal, Ricardo Antunes
Orientador: Silva, Joana Isabel Dias da
Rosete, Maria Teresa da Teixeira Cruz
Keywords: Cancro do Pulmão; Cancro do pulmão de não-pequenas células; Imunoterapia; anti-PD1; Pembrolizumab; Lung Cancer; Non-small cell lung cancer; Imunotherapy; anti-PD1; Pembrolizumab
Issue Date: 9-Dec-2020
Serial title, monograph or event: Dados do mundo real relativos ao tratamento com pembrolizumab de doentes com cancro do pulmão de células não-pequenas em estadio avançado previamente tratados.
Place of publication or event: Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e CHUC
Abstract: Mundialmente o cancro do pulmão de não-pequenas células (CPNPC) é o tipo de cancro que causa mais mortes, tanto em homens como em mulheres. Desde os finais da década de 90 que a quimioterapia constitui o tratamento de primeira linha para doentes com CPNPC. Posteriormente, a introdução da imunoterapia no tratamento de CPNPC tem demonstrado grandes benefícios terapêuticos, nomeadamente no aumento da esperança média de vida dos doentes. O pembrolizumab é um anticorpo monoclonal humanizado, bloqueador dos recetores Programmed Death-1 (PD-1) presentes nos linfócitos T, que impede que estes estabeleçam ligação com os respetivos ligandos imunossupressores presentes nas células tumorais, Programmed Death – Ligand 1 (PD-L1) e PD-L2. Consequentemente, o pembrolizumab permite a proliferação de células T, a produção de citocinas inflamatórias e uma resposta anti-tumoral. Quando comparado com a quimioterapia clássica em ensaios clínicos, o pembrolizumab demonstrou melhores resultados relativamente à sobrevivência global e sobrevivência livre de progressão de doença. Adicionalmente, a ocorrência de efeitos adversos relacionados com o tratamento com pembrolizumab também é inferior relativamente aos despoletados pela quimioterapia. No entanto, os dados clínicos sobre a utilização deste anticorpo são escassos. Tendo em conta o exposto, o objetivo geral deste projeto consistiu na recolha e análise retrospetiva de dados de eficácia e segurança do pembrolizumab para o tratamento de doentes com CPNPC em estadio avançado, obtidos na prática clínica em contexto de vida real comparando-os com os dados reportados em ensaios clínicos.A recolha dos dados do presente estudo foi feita num horizonte temporal de 14 meses no Serviço de Pneumologia B do Hospital Geral – CHUC, onde se incluíram todos os doentes com CPNPC com idade superior a 18 anos cujas caraterísticas tiveram de obedecer a determinados critérios de inclusão e exclusão. Os dados sociodemográficos e clínicos relacionados com o doente foram recolhidos através da base de dados de diários clínicos dos doentes presentes no CHUC, garantindo-se sempre a privacidade de dados pessoais, através da sua anonimização (regulamento Geral de Proteção de Dados 2016/679). Os dados foram recolhidos, analisados e posteriormente tratados através do programa IBM SPSS® Statistics software.Neste estudo foram incluídos 19 doentes sujeitos a tratamento com pembrolizumab de 3 em 3 semanas e que demonstraram progressão da doença após tratamento com quimioterapia. Ao longo do estudo, 6 doentes (31,58%) morreram e 8 (42,11%) apresentaram progressão de doença. A sobrevivência livre de progressão (SLP) foi de 11,7 meses, superior aos 4 meses reportados em ensaio clínico. Dos 19 doentes, 16 tiveram pelo menos um evento adverso de qualquer grau. As toxicidades mais comuns foram a fadiga/astenia com 15 eventos (15,69%) e edemas, rash e dor com 6 eventos cada um, ou seja, 11,76% para cada um dos eventos.Com a realização deste estudo verificou-se que o uso de pembrolizumab em segunda linha no tratamento do CPNPC, apesar de evidenciar um valor de SLP diferente do reportado em ensaio clínico, demonstrou um benefício clínico de sobrevivência significativo, com um perfil de segurança favorável quando administrado em contexto de vida real.
Worldwide, non-small cell lung cancer (NSCLC) is the type of cancer that causes the most deaths, both in men and women. Since the late 1990s, chemotherapy has been the first-line treatment for patients with NSCLC. The subsequent introduction of immunotherapy for the treatment of NSCLC has shown great therapeutic benefits, namely in increasing the average life expectancy of patients. Pembrolizumab is a humanized monoclonal antibody, a PD-1 receptors blocker, present in T lymphocytes, which prevents them from establishing connection with tumor ligands and immunosuppressants PD-L1 and PD-L2. Consequently, pembrolizumab promotes the proliferation of T cells, the production of inflammatory cytokines and an anti-tumor response. When compared to classic chemotherapy in clinical trials, pembrolizumab has shown better results in overall survival and progression-free survival. In addition, the occurrence of adverse effects related to treatment with pembrolizumab is also lower compared to chemotherapy. However, clinical data on the use of this antibody are scarce. In view of the above, the general objective of this project is to collect and retrospectively analyze data on the efficacy and safety of pembrolizumab for the treatment of patients with advanced NSCLC, comparing them with data reported in clinical trials.Data collection for this study was carried out in a compressed period of 14 months at the Pulmonology B Service of Hospital Geral - CHUC, where only patients with NSCLC aged over 18 years whose charatheristics had to fill in certain inclusion and exclusion criterias were included. The sociodemographic and clinical data related to the patient were collected through the database of clinical diaries of patients present at CHUC, always guaranteeing the privacy of personal data, through their anonymization (General Data Protection Regulation 2016/679). The data were collected, analyzed and later processed using the IBM SPSS® Statistics software.This study included 19 patients treated with pembrolizumab every 3 weeks, after showing disease progression when being treated with chemotherapy. Throughout the study about 6 patients (31.58%) died and 8 (42.11%) of these had disease progression. Progression-free survival (SLP) was 11.7 months, higher than the 4 months reported in a clinical trial. Of the 19 patients, 16 had at least one adverse event of any degree. The most common toxicities were fatigue/asthenia with 15 events (15.69%) and edema, rash and pain with 6 events each, that is, 11.76% for each event.With this study, it was found that the use of pembrolizumab in second line of treatment of NSCLC, despite showing a different SLP value than that reported in a clinical trial, demonstrated a significant clinical survival benefit, with a favorable safety profile when administered in a real-life context.
Description: Dissertação de Mestrado em Farmacologia Aplicada apresentada à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/92926
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese- Versao final 2! r retificado.pdf2.6 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

4
checked on Feb 25, 2021

Download(s)

1
checked on Feb 25, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons