Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/92543
Title: Imagining Alternative Futures: ethnography through critical and speculative design workshops.
Other Titles: Imaginando Futuros Alternativos: etnografia através de oficinas de design crítico e especulativo.
Authors: Pereira, Camila Monteiro
Orientador: Gaspar, Andrea Catarina Marques
Pereira, Sandra Isabel de Oliveira e Xavier
Keywords: Futuros alternativos; Antropologia design; Antropologia para o futuro; Alternative futures; Anthropology design; Future anthropoloy
Issue Date: 30-Jul-2020
Serial title, monograph or event: Imagining Alternative Futures: ethnography through critical and speculative design workshops.
Place of publication or event: Portugal, França e Itália.
Abstract: O presente trabalho é uma etnografia das práticas de imaginação de futuros em oficinas de design crítico especulativo. Meu trabalho de campo, portanto foi realizado em três distintas oficinas de design crítico e especulativo. Esses eventos ocorreram no ano de 2019 em três países diferentes sendo que um ocorreu em Portugal. Esta pesquisa trata o futuro não como um destino limitado pelas impossibilidades do presente, mas de arranjos distintos e possíveis, nos quais a noção de ‘temporalidades espontâneas’ (livre tradução do termo ‘eventful temporalities’ de Savransky et al., 2017: 7) nos é de grande ajuda. O foco é em como a antropologia pode engajar-se com construções de mundos futuros. Este trabalho também é uma tentativa de experimentar com a antropologia design e a antropologia para o futuro, onde as antropólogas não apenas observam e descrevem o que já está a acontecer como também intervém e colaboram para a catalisação do que pode vir a ser. Eu afirmo que a crise contemporânea do Antropoceno traz novos e complexos problemas que demandam um entendimento diferenciado da agencialidade humana. O argumento principal é que, como o design tornou-se um lugar de mudança e produção cultural nas sociedades modernas (Miller, 2018), a prática do design crítico e especulativo surge como um canal disruptivo e um lugar onde é possível desafiar a presente crise de imaginação. Por essa razão, o presente trabalho entende que o design crítico e especulativo pode exercer um papel importante na exploração, no campo subjetivo, de futuros alternativos. Entretanto, para esse papel ser satisfatório, as práticas de imaginação de futuros pelo design crítico e especulativo deve examinar criticamente suas metodologias e abrir suas práticas e espaços para uma colaboração mais ampla e interdisciplinar.
The present work is an ethnography of future imagining practices in critical and speculative design workshops. My fieldwork is based on three distinct critical and speculative design workshops. All three events took place in 2019 in three different countries including one in Portugal. This research addresses the future not as a destination limited to the impossibilities of the present but as a space of distinct, possible arrangements, for which the notion of ‘eventful temporalities’ (Savransky et al., 2017: 7) is helpful. The focus is on how anthropology can engage with future world making. This work is also an attempt at experimenting with anthropology design and future anthropology, where anthropologists not only observe and describe what is already there but intervene and collaborate to catalyse what could be. I state that the contemporary crisis of the Anthropocene brings new and complex issues that demands a different understanding of human agency. The main argument is that, as design becomes a significant site for cultural change and production in modern societies (Miller, 2018), the practice of critical and speculative design emerges as a disruptive channel and a place for defying the present crises of imagination. For this reason, the present work understands that critical and speculative design could play an important role in exploring alternative futures subjectively. However, for this role to be satisfactory, the practice of future imagining through critical and speculative design should critically examine its methodologies and open its practices and spaces to a broader and more interdisciplinary collaboration.
Description: Dissertação de Mestrado em Antropologia Social e Cultural apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/92543
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação_texto_final_com_capa Camila Monteiro Pereira.pdf2.55 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

18
checked on Feb 25, 2021

Download(s)

22
checked on Feb 25, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons