Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/92414
Title: Uncovering the endophenotypic factors on the impact of functional outcomes in schizophrenia: studies on different genetic risk samples from the Portuguese Population
Authors: Motta, Carolina Dall'Antónia da
Orientador: Carvalho, Célia Maria de Oliveira Barreto Coimbra
Freitas, Paula Cristina de Oliveira de Castilho
Pato, Michele Tortora
Keywords: schizophrenia; endophenotypic; social cognition; neurocognition; funcional outcomes; assessment; esquizofrenia; endofenótipo; cognição social; neurocognição; capacidade funcional; avaliação
Issue Date: 26-Nov-2020
Project: Uncovering the endophenotypic factors on the impact of functional outcomes in schizophrenia: studies on different genetic risk samples from the Portuguese Island Cohort (SFRH/BD/110308/2015) 
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: The administration of neurophysiological, neurocognitive and behavioral measures as endophenotypes in studies about schizophrenia is in vogue, particularly the inquiry on their interrelationships and their impact on patient’s functional outcome. To this date, increasingly large Portuguese samples with genetic risk to schizophrenia (patients and families) have been integrated into studies about candidate genes to schizophrenia or linkage studies relating schizophrenia to other severe mental illnesses. The inclusion of Portuguese samples gained significant interest for being genetically homogenous in comparison to other western populations. However, despite cognitive abilities being also largely inheritable and relevant to the understanding of schizophrenia, the profile of cognitive deficits in schizophrenia has not been sufficiently explored in our national samples. The use of neurocognitive assessment in schizophrenia has the potential to yield innovations in the multidisciplinary treatment and intervention for affected patients and families, and future research that heighten our understanding about what stands between the genotype and the phenotype regarding this complex and impairing disease. The work hereby presented provides an empirical contribute to the understanding of the endophenotypic aspects involved in schizophrenia, and to the discussion of the implications to research, new intervention targets and psychosocial approaches for families and patients. We studied several putative neurocognitive endophenotypes of that illness by developing an in-depth investigation of the neurocognitive and social cognition in schizophrenia in Portuguese samples of patients affected with schizophrenia, first-degree relatives, and controls. We dove below the cloudy waters of clinical heterogeneity of symptoms to attempt to provide a characterization of schizophrenia – both on an endophenotypic and functional level – in an objective and comprehensive approach. By empirically tracing a latent neurocognitive profile and characterizing the underlying processes of the clinical and biological underpinnings of schizophrenia, we expected to contribute to a more coherent systematization of schizophrenia and treatment/rehabilitation. As a by-product of this research, we also aimed to provide specific and psychometrically sound tools for neurocognitive assessment and performance-based skills assessment relevant to practitioners and researchers working in several disciplinary fields with Portuguese-speaking populations.
A administração de medidas neurofisiológicas, neurocognitivas e comportamentais para a avaliação de variáveis endofenotípicas nos estudos sobre a esquizofrenia é uma área que tem adquirido um progressivo destaque, particularmente no que toca o questionamento sobre as inter-relações entre estas variáveis e o seu impacto na capacidade funcional dos doentes. Até a data, diversos estudos sobre genes candidatos à esquizofrenia ou estudos de ligação relacionando a esquizofrenia a outras doenças mentais graves integraram grandes amostras portuguesas de sujeitos em risco genético para esquizofrenia (pacientes e famílias). A inclusão destas amostras relaciona-se com o facto da população portuguesa ser geneticamente mais homogénea em comparação com outras populações ocidentais. No entanto, e apesar das capacidades cognitivas serem, em grande parte, também hereditárias e relevantes para a compreensão da esquizofrenia, o perfil dos défices cognitivos na esquizofrenia não tem sido suficientemente explorado em amostras nacionais. O uso da avaliação neurocognitiva na esquizofrenia tem o potencial de introduzir inovação no tratamento e potenciar intervenções multidisciplinares direcionadas para pacientes e famílias afetadas, bem como o potencial de fomentar futuras investigações orientadas para o aumento da nossa compreensão sobre o que existe entre o genótipo e o fenótipo desta doença tão complexa e invalidante. O trabalho aqui apresentado é um contributo para a compreensão dos aspetos endofenotípicos subjacentes à esquizofrenia, bem como para a discussão das suas implicações para a investigação, para o estabelecimento de alvos específicos de intervenção e para o desenvolvimento abordagens psicossociais específicas para famílias e pacientes que sofrem de esquizofrenia. Estudámos diversos endofenótipos neurocognitivos putativos da doença, encontrados na literatura, desenvolvendo uma investigação aprofundada da neurocognição e da cognição social na esquizofrenia, em amostras portuguesas de pacientes diagnosticados com esquizofrenia, parentes em primeiro grau e controlos. Mergulhámos para além das águas conturbadas pela heterogeneidade clínica dos sintomas para tentar proporcionar uma caracterização da esquizofrenia – tanto ao nível endofenotípico quanto funcional – recorrendo a abordagens objetivas e metodologicamente abrangentes. Ao traçar empiricamente um perfil neurocognitivo latente e ao caracterizar os processos clínicos e biológicos subjacentes da esquizofrenia, esperámos poder contribuir para uma futura sistematização mais coerente da esquizofrenia, bem como para o seu tratamento e reabilitação. Como um subproduto deste trabalho, procurámos, ainda, fornecer ferramentas específicas e psicometricamente robustas para a avaliação neurocognitiva e para a avaliação de habilidades baseadas no desempenho, que se mostrassem relevantes para profissionais e investigadores atuantes em diversas áreas disciplinares junto de populações falantes da língua portuguesa.
Description: Tese no âmbito do Doutoramento em Psicologia, especialidade em Psicologia Clínica apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/92414
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Teses de Doutoramento
FPCEUC - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s)

8
checked on Jan 14, 2021

Download(s)

2
checked on Jan 14, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons