Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/92276
Title: Mosteiro de Santa Clara-a-Nova - O legado da memória na construção de um futuro
Other Titles: Monastery of Santa Clara-a-Nova - The legacy of memory in the construction of a future
Authors: Carvalho, Mariana Silva Costa
Orientador: Coelho, Carolina da Graça Cúrdia Lourenço
Keywords: Mosteiro de Santa Clara-a-Nova; Transformações Programáticas; Memória; Espaço de Arte; Coimbra; Monastery of Santa Clara-a-Nova; Programmatic Transformations; Memory; Art Space; Coimbra
Issue Date: 17-Sep-2020
Serial title, monograph or event: Mosteiro de Santa Clara-a-Nova - O legado da memória na construção de um futuro
Place of publication or event: FCTUC Departamento de Arquitectura
Abstract: Inserted in the urban fabric of the city of Coimbra, on the left bank of the Mondego, the Monastery of Santa Clara-a-Nova rises on the mount of Esperança with all its splendour and monumentality as the product of a politically turbulent historical time standing as the symbol of the royal power of the recently enthroned House of Bragança. It was built to be the home of the religious order of the Poor Clares who had the mission of guarding the tomb and honouring the memory of Queen Saint Isabel, patron of the city.The power and symbolism that this Monastery embodies in its façades and which has been built over a long period of time, turns it into a national monument. From Monastery it has been metamorphosed into Military Headquarters, becoming the home of the militaries for almost a hundred years, until the Army left the building in 2006. From that date on, the building did not acquire a permanent program again, remaining forgotten in the city until it was introduced in the REVIVE program. In an attempt to counteract the passage of time on it, which caused continuous destruction, striding towards an eventual ruin, this program establishes that this building should be an hotel.The monument doors only opened again in 2017 and 2019 to host the Anozero – Coimbra Biennial of Contemporary Art. The new art space in the Monastery appears, in this context, as a possible future to be implemented with a permanent character, opposing to the hotel program proposed by REVIVE. Defined as the central nucleus of the two editions of Anozero, the Monastery becomes a site-specific museum, which, contaminated by art, allows its revival in the city with a new program.Considering that the value of a monument is not calculated merely considering its material character, but it is also empowered by the intangible social values associated with it, the present dissertation proposes to understand how the different layers of memory in the space converge to the present time, and contribute to envision its future.
Inserido na malha urbana da cidade de Coimbra, na margem esquerda do Mondego, o Mosteiro de Santa Clara-a-Nova ergue-se sobre o Monte da Esperança, com todo o seu esplendor e monumentalidade, fruto de uma época histórica politicamente conturbada e afirmando-se como símbolo do poder real da recém entronizada Casa de Bragança. Foi erguido para ser a casa das religiosas da ordem das clarissas que tinham como missão, guardar o túmulo e honrar a memória da Rainha Santa Isabel, padroeira da cidade.O poder e a simbologia que este Mosteiro comporta nas suas fachadas, e que foi sendo construído ao longo de muito tempo, fazem dele um monumento nacional. De Mosteiro metamorfoseou-se em Quartel, permanecendo como casa militar durante quase cem anos, até à saída do Exército, no ano de 2006. A partir desta data o edifício não voltou a adquirir um programa de caráter permanente, ficando esquecido na cidade até ser introduzido no programa REVIVE. Numa tentativa de contrariar a passagem do tempo, que provocava um contínuo desgaste, caminhando a passos largos para uma eventual ruína, este programa propõe que o edifício adquira um caráter hoteleiro.As portas do monumento só voltam a abrir-se nos anos de 2017 e de 2019 para acolher o Anozero- Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra. O novo espaço de arte no Mosteiro surge, neste contexto, como um possível futuro a ser implementado com um caráter permanente, fazendo frente ao programa hoteleiro proposto no REVIVE. Definido como o núcleo central das duas edições do Anozero, o Mosteiro transforma-se num museu site-specific, o qual, contaminado pela arte, permite o seu renascimento na cidade com um novo programa.Considerando que o valor de um monumento não reside apenas no seu caráter material, mas é, igualmente potenciado pelos valores sociais intangíveis a ele associados, a presente dissertação propõe compreender como é que as diferentes camadas da memória do espaço do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova convergem no tempo presente, e contribuem para perspetivar o seu futuro.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitetura apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/92276
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação_MarianaCarvalho_Setembro2020.pdf76.81 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

9
checked on Jan 14, 2021

Download(s)

9
checked on Jan 14, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons