Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90529
Title: A "redescoberta" do Brasil em Joaquim de Carvalho. Uma comunidade luso-brasileira feita de livros (1928-1958)
Authors: Macambira, Débora Dias
Orientador: Catroga, Fernando José de Almeida
Keywords: História do Livro; Missões culturais; Universidade de Coimbra; Universidade de São Paulo; Intercâmbio universitário; Getúlio Vargas; Salazar; João Cruz Costa; Joaquim de Carvalho; Estado Novo; Relações culturais luso-brasileiras; Imprensa da Universidade de Coimbra; República das Letras; Bibliotecas
Issue Date: 13-Jun-2017
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Este estudo tem como eixo estruturante o processo que levou a uma “redescoberta” do Brasil em (e por) Joaquim de Carvalho (1892-1958), historiador da filosofia e da cultura portuguesa, editor, educador, administrador de bibliotecas, colecionador de impressos e um leitor extraordinário. Na conjugação destes múltiplos papéis, enquadra-se o seu interesse crescente pelo outro lado do Atlântico, acelerado pela viagem que fez ao Brasil, em 1953, num contexto de consolidação do campo universitário deste país. Ponto de partida de afinidades intelectuais e afetivas que o levarão a considerar a antiga colônia como sua “segunda pátria”. A investigação dessa rica experiência, com repercussões na vida e obra de Joaquim de Carvalho, está centrada na formação de uma biblioteca Brasiliana, em Coimbra, e na constituição de uma rede luso-brasileira de intelectuais que tiveram no livro o grande mediador e condensador metafórico dos seus debates, projetos e cumplicidades científicas, literárias e políticas. E este intercâmbio foi alimentado por um vasto epistolário formando uma heterogênea e informal teia comunicativa que nos permitiu surpreender o pulsar do diálogo cultural entre Portugal e o Brasil, bem como os múltiplos obstáculos que teve de vencer em tempos poucos propícios ao respeito da liberdade de pensar. Tais dimensões são inseparáveis da sua condição de acadêmico, mas também de bibliófilo, editor e diretor da Imprensa da Universidade (1921-1934), convivendo cotidianamente com todo o circuito de comunicação do impresso, visto desde a escrita de autor (ou de tradutor), às diversas etapas da materialidade editorial e da venda, guarda e leitura do livro. Se Carvalho, leitor omnívoro, esteve presente em todas essas fases, também as assumiu como objeto de reflexão teórica e de investigação historiográfica em torno do Livro e da Leitura, combinando-as, igualmente, com seu ofício de professor. Simultaneamente, o acompanhamento da edificação da sua grande biblioteca pessoal e, dentro desta, de uma Brasiliana, assim como das movimentações que ditaram a especificidade e o cariz alternativo da sua ida ao Brasil em 1953, possibilitou-nos entrar no âmago de algumas das tensões mais fortes que configuravam as práticas culturais e universitárias de ambos os países. O que nos ofereceu novos dados tanto acerca das “políticas do espírito” que cada qual, à sua maneira, perseguia, como das resistências antissalazaristas de setores portugueses exilados e de brasileiros que contestavam a qualidade das “missões culturais” que o Estado Novo de Salazar enviava à ex-colônia. Desse modo, se a paulatina “redescoberta” do Brasil por Carvalho não foi estranha ao seu itinerário profissional, também teve muito a ver com os postulados ético-cívicos que nortearam, quer as suas opções políticas de cariz demoliberal, quer o seu posicionamento dentro de uma “República das Letras” cada vez mais minada por clivagens ideológicas e sujeita, mesmo no foro íntimo da correspondência, ao olho vigilante da polícia política. Por sua vez, os múltiplos sinais respeitantes ao “brasileirismo” permitem-nos concluir que muitos dos seus projetos que envolviam essa temática foram quebrados pela sua morte prematura. No entanto, não será excessivo defender que a permuta de ideias e de livros que desembocou na Brasiliana foi também pensada para servir de base a investigações que o ajudariam a compreender melhor a febricitante construção da identidade brasileira que muito o surpreendeu, num horizonte comparativo com a compleição da identidade portuguesa.
This study axis is the process that leads to a rediscovery of Brazil in (and by) Joaquim Carvalho (1892-1958), philosophy and Portuguese culture philosopher, editor, library administrator, print matter collector and an amazing reader. His interest in the other side of the Atlantic lies at the junction of these multiple roles and it was accelerated as a result of a trip he took to Brazil in 1953, in the context of the consolidation of the academic field in the country. This was the starting point of affective and intellectual affinities that will lead him to consider the former colony as his “second homeland”. The investigation about this rich experience and its repercussion on life and on Joaquim de Carvalho’s works, is centred in the formation of a Brasiliana library in Coimbra and in the constitution of a Luso-Brazilian network of intellectuals that contained, in book (writings), the main metaphoric mediator and condenser of their debates, projects, scientific, literary and political complicity. This exchange was fed by a vast epistolary that resulted in a heterogeneous and informal communicative network that allowed us to catch the pulsation of cultural dialogue between Portugal and Brazil, as well as the multiple obstacles that had to be overcome in times less propitious in respect to freedom of thought. These dimensions are inseparable from his academic position, but also as a bibliophile, editor and director of the University Press (1921-1934), living daily within the circuit of printed communication, from the start of an author’s writing (or translators) to the diverse phases of editing itsself and the selling, storage and book reading. If Carvalho, an omnivore reader, was present in all these phases, he also understood it as an object of theoretical reflection and historiography investigation about Book and Reading, binding them equally, with his occupation as a Professor. Simultaneously, accompanying the creation of his vast personal library, and within it, Brasiliana library, as well as the movements that dictated the specificity and the alternative character of its trip to Brazil in 1953, allowed us to enter into the core of one of the strongest tensions that configured the cultural and academic practices in both countries. And this offered us new data both about the “spirit politics” that each country, in its particular way chased, as well as the anti-Salazar resistances of the Portuguese exiled sector and Brazilians who contested the quality of the “cultural mission” that Salazar’s New State sent to the excolony. In this sense, if the slow discovery of Brazil by Carvalho was not disconnected from his professional trajectory but was also related to the ethic-civic principles that guided both his political choices based on a ‘demoliberal’ character and his position within a “Republic of Letters” each time more undermined by ideological divisions, under the political police vigilant eye, even in the private sphere of correspondence, Moreover, the multiple signs concerning the “brasileirismo” allow us to conclude that many of the projects that involved this topic were disrupted by his death, however, it will not be excessive to defend that the exchange of ideas and books that result in the Brasiliana was also thought to serve as a base to the investigations that would help him to comprehend better, the exciting construction of Brazilian identity that was of great surprise to him in a comparative horizon with the constitution of the Portuguese identity.
Description: Tese de doutoramento em Altos Estudos em História, no ramo de História - Época Contemporânea, apresentada ao Departamento de História, Arqueologia e Artes da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/90529
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Teses de Doutoramento
FLUC Secção de História - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
A redescoberta do Brasil em Joaquim de Carvalho.pdf4.86 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

19
checked on Sep 17, 2020

Download(s)

11
checked on Sep 17, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.