Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90520
Title: O Contributo do Desenvolvimento Sustentável do Turismo nas Áreas Transfronteiriças de Conservação, para a Inclusão das Comunidades e Promoção da Paz. Área Transfronteiriça de Conservação Okavango-Zambeze Componente Angolana - ATFC KAZA
Authors: Cazalma, Amélia Cecília Domingas Carlos
Orientador: Cunha, Lúcio
Cravidão, Fernanda
Keywords: Áreas transfronteiriças de Conservação; Desenvolvimento sustentável do Turismo; Turismo de Natureza e Comunitário; Desreterritorialização; Inclusão das Comunidades e Promoção da Paz; Promoção da Paz; Transfrontier Areas of Conservation; Des-repossession; Sustainable Tourism; Nature Tourism and Community; Inclusion of Communities; Promotion of Peace
Issue Date: 14-Mar-2017
Abstract: Pretende-se com este trabalho analisar as Áreas Transfronteiriças de Conservação, no caso a ATFC KAZA – Área Transfronteiriça de Conservação Okavango-Zambeze, bem como o formato da organização da gestão entre os cinco países que a constituem, a questão do território (principalmente dos novos territórios), assim como o desenvolvimento sustentável do turismo, fundamentalmente o de natureza e de base comunitária. Identificou-se um projeto de Base Comunitária que está sendo desenvolvido na área da ATFC KAZA, na componente da Zâmbia. Este modelo de desenvolvimento centrado na comunidade é apresentado como ferramenta para inclusão social, económica, desenvolvimento do nível de vida das comunidades e para a sustentabilidade. O turismo é um sector com grande capacidade de resiliência, que apesar dos muitos problemas que o planeta vive, nomeadamente as tensões geopolíticas, as catástrofes naturais provocadas pelo próprio Ser Humano, a crise dos refugiados e a desigualdade na recuperação económica global, no ano de 2014 o turismo internacional atingiu um recorde histórico. Registaram-se 1133 milhões de turistas, com um crescimento anual a nível global de 4,4% e contribuiu com um total de 1,5 biliões de dólares em exportações globais, o que representou uma média de 4000 milhões por dia. Hoje o turismo representa cerca de 10% do PIB mundial, 6% das exportações totais e um em cada onze postos de trabalho no mundo. Assim, a sustentabilidade deverá estar nas prioridades do desenvolvimento do turismo, pois é um grande desafio a circulação das milhões e milhões de pessoas devido aos impactos que podem causar, tanto a nível ambiental e cultural, como a nível económico. Se o turismo for organizado e gerido de forma ética e sustentável, constitui-se como uma alavanca para o desenvolvimento das comunidades locais, criação de sociedades mais estáveis, promoção e protecção da biodiversidade, da geodiversidade e dos recursos culturais. Constatou-se que para a organização do modelo de turismo sustentável, são necessários indivíduos qualificados, para que estes possam vir a formar uma comunidade organizada e consciente, capaz de gerir o planeamento e execução da atividade turística da área em que estão inseridos. Assim, foi estruturado um modelo de investigação baseado na revisão bibliográfica, trabalho de campo, inquéritos por questionário e inquéritos por entrevista - instrumentos que permitiram reflectir sobre os tipos de turismo que podem ser desenvolvidos nestas áreas e de que forma o contributo do desenvolvimento do turismo sustentável nas áreas transfronteiriças de conservação, poderá contribuir para a inclusão das comunidades e para a promoção da paz. Dos resultados obtidos a partir dos questionários aplicados aos Pontos Focais das Áreas Transfronteiriças de Conservação da SADC (ATFCs da SADC), verificamos que 77,4% dos respondentes acha que o movimento transfronteiriço promove a paz e, ainda mais, cerca de 90,3% (tabela 24) responde que o turismo promove a paz. Relativamente aos questionários aplicados às comunidades da Área Transfronteiriça de Conservação Okavango-Zambeze (ATFC KAZA), quanto à análise da inclusão e do desenvolvimento das Comunidades, foi referido por 71,2% dos inquiridos que esta foi proporcionada pela ATFC KAZA. No que se refere à promoção da solidariedade, da segurança e da paz, cerca de 82,6% dos inquiridos afirmou que essa é feita através da gestão conjunta entre os países parceiros. Destaca-se a importância do desenvolvimento do turismo sustentável nas áreas transfronteiriças de conservação.
This works intent is to analyse the Transfrontier Areas of Conservation, in this case KAZA TFCA (Kavango-Zambezi Transfrontier Conservation Area), as well as the format of the organisation, which is formed by the five countries that it consists off, the territory issue (mainly the new territories), as well as the sustainable development of the tourism, ultimately the nature and community development. A project of community base as been identified and it is being grown in the KAZA TFCA area, specifically Zambia. This type of central growth in the community is presented as a tool for social inclusion, economy expansion, quality of the community’s life up growth as well as its sustainability. Tourism is a sector with large resilience capacities. Despite all the issues the planet is facing, particularly geopolitical tension, the natural catastrophes caused by man itself, refugee crises and inequality of the global economics recovery. In 2014 international tourism hit an historical record. 1133 millions of tourists were registered, with an annual global increase of 4,4% that contributes with total of 1,5 billion dollars in all-inclusive exports, representing an average of 4000 million per day. Today tourism represents around 10%of the worldwide PIB, 6% of the overall exports and finally one in eleven work stations globally. Therefore, sustainability should be placed as a priority in a developing tourism, as the circulation of millions and millions of people is challenging due to the impacts that can be caused, affecting the environment, culture and economics. If tourism is organised and managed ethically and sustainably, it can be used as a boost for the development of local community, the creation of a more stable society, promotion and protection of biodiversity, geodiversity and cultural resources. It was found that for the organisation of sustainable tourism are needed skilled individuals, so that they can come to form an organised and conscious community, able to manage the planning and implementation of tourism on the area in which they live. Thus, a research model was structured based on the literature review, fieldwork, questionnaire surveys and interview surveys - instruments that allowed to reflect on the types of tourism that can be developed in these areas and how the contribution of the developing sustainable tourism in cross-border conservation areas, may devote to the inclusion of communities and promote peace. The results obtained from the questionnaires to the focal points of SADC’s Transfrontier Conservation Area (SADC’s TFCA) shows that 77.4% of respondents think that the transfrontier movement promotes peace and, even more, about 90.3 % replies that tourism promotes peace. With regard to the questionnaires applied to communities of Transfrontier Area of Okavango- Zambezi Conservation (KAZA TFCA), regarding the analysis of inclusion and development of the Communities, it was reported by 71.2% of respondents this was provided by TFCA said that this is done through cooperative management between the associated countries. It is highlighted the importance of sustainable tourism development in the border areas of conservation.
Description: Tese de Doutoramento em Turismo, Lazer e Cultura apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/90520
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Teses de Doutoramento
FLUC Geografia - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s)

12
checked on Sep 17, 2020

Download(s)

4
checked on Sep 17, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.