Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90066
Title: Crenças, atitudes e experiências de violência no namoro: Estudo de uma população clínica de adolescentes
Other Titles: Dating violence beliefs, attitudes and experiences: study of an adolescent clinical population
Authors: Marques, Raquel Lopes
Orientador: Mação, Patrícia Alexandra Batista
Pedroso, Sara
Keywords: violência no namoro; sexualidade; crenças; adolescência; psicopatologia; dating violence; sexuality; beliefs; adolescence; psychopathology
Issue Date: 16-May-2019
Serial title, monograph or event: Crenças, atitudes e experiências de violência no namoro: Estudo de uma população clínica de adolescentes
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: ResumoIntrodução: A violência no namoro na fase da adolescência é considerada, atualmente, um problema de saúde pública para o qual é necessária uma intervenção precoce, atendendo às graves consequências tanto a curto como a longo prazo. A violência no namoro tem sido associada a comportamentos auto-lesivos e consumo de substâncias na população em geral, contudo a sua caraterização na população adolescente é ainda escassa comparativamente à população adulta. Este estudo pretende analisar de que forma crenças, atitudes e experiências de violência no namoro numa população clínica de adolescentes se correlacionam com variáveis clínicas e demográficas.Métodos: Estudo observacional transversal no qual foram incluídos adolescentes seguidos em consulta externa de Pedopsiquiatria do Hospital Pediátrico de Coimbra, através do preenchimento de um conjunto de questionários: questionário sociodemográfico construído para o efeito, Questionário de Atitudes e Crenças sobre Sexualidade e Educação Sexual (QACSES) e Escala de Atitudes relativas à Violência no Namoro (EAVN) durante um período de 3 meses (novembro de 2018 a janeiro de 2019). Resultados: Foram incluídos 58 adolescentes com idade média de 15,1 anos. 23,7% admitiu já ter experienciado situações de violência no namoro. 27,6% referiu o consumo de substâncias e 23,6% assume já ter tido comportamentos auto-lesivos. 37,9% dos adolescentes é seguido por perturbação de hiperatividade e défice de atenção (PHDA) e 29,3% por ansiedade. Observou-se uma relação inversa entre a idade e a legitimação da violência. As experiências de violência no namoro associaram-se significativamente a comportamentos auto-lesivos e consumo de substâncias. Discussão: Embora estas associações possam ser encaradas como fatores de risco ou consequências, os comportamentos auto-lesivos, o consumo de substâncias, a maior aceitação da violência psicológica feminina pelo sexo masculino e crenças negativas em relação ao género e contraceção devem deixar os profissionais de saúde alerta para as situações de violência no namoro.Conclusão: A identificação de alguns dos fatores associados a comportamentos de violência permite que estes possam ser utilizados como estratégia de deteção e intervenção precoces em casos de violência no namoro.Palavras-chave: violência no namoro, sexualidade, crenças, adolescência, psicopatologia, consumo de substâncias, comportamentos auto-lesivos.
AbstractIntroduction: Dating violence in adolescence is considered a public health problem and early intervention is required because of its serious short and long term consequences. It has been associated with self-injurious behaviours and substance use. However, dating violence characterization in adolescent and clinical population is still scarce compared to the adult population. The present study analyses the association of beliefs, attitudes and experiences of dating violence with clinical and demographic variables in a clinical adolescent population.Method: Cross-sectional study of adolescents from the Child and Adolescence Psychiatry outpatient service during a period of three months (November 2018 to January 2019) through a sociodemographic questionnaire constructed for this purpose, the Attitudes and Beliefs Questionnaire about Sexuality and Sexual Education (ABQSSE) and a Portuguese adaptation for adolescents of the Scale of Attitudes towards Dating Violence.Results: A population of 58 adolescents with a mean age of 15.1 years was studied. 23.7% admitted to have already been involved in experiences of dating violence. 27.6% admitted substance abuse and 23.6% had engaged in self-injurious behaviours. 37.9% of adolescents are followed due to attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) and 29.3% due to anxiety. An inverse relation was found between age and legitimacy of violence. Experiences of dating violence were significantly associated with self-injurious behaviours and substance abuse. Discussion: Although some of this associations may be considered as risk factors or consequences, self-injurious behaviours, substance abuse, greater acceptance of female psychological violence by males, and negative beliefs about gender and contraception should alert to situations of dating violence.Conclusion: The identification of factors associated with violence behaviours could be used as a strategy for early detection and intervention in cases of dating violence.Keywords: dating violence, sexuality, beliefs, adolescence, psychopathology, substance abuse, self-injurious behaviours.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/90066
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
tese.final.pdf922.37 kBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

10
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

1
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons