Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90043
Title: Avaliação da perceção da saúde oral no idoso
Other Titles: Assessment of oral health perception in older adults
Authors: Queirós, Teresa Maria Matos de
Orientador: Barbosa, Benilde Teresa Rodrigues
Verissimo, Manuel Teixeira Marques
Keywords: Idoso; Saúde oral; Perceção; Aged; Oral health; Perception
Issue Date: 24-Sep-2019
Serial title, monograph or event: Avaliação da perceção da saúde oral no idoso
Place of publication or event: ACeS Baixo Mondego
Abstract: Introdução: O envelhecimento associa-se a elevada prevalência de alterações fisiológicas e patológicas na cavidade oral. O presente estudo visa avaliar a perceção que os idosos têm sobre a sua saúde oral e também a perceção que os seus médicos têm sobre a mesma.Métodos: Estudo observacional e transversal. A amostra incluiu idosos de ambos os sexos com idade igual ou superior a 65 anos. Aos idosos aplicou-se um questionário sociodemográfico e a escala de GOHAI e aos seus médicos foi solicitada observação da cavidade oral para posterior identificação dos problemas observados. Para a análise estatística utilizou-se o SPSS©.Resultados: A amostra foi constituída por 104 idosos, 57 do sexo feminino e 47 do masculino, com idade média de 74,09 anos. Na classificação por classes da escala de GOHAI, 38,5% dos idosos apresentaram uma elevada autoperceção da saúde oral, 46,2% moderada e 15,4% baixa. Na observação médica, o edentulismo, a existência de prótese dentária aparentemente ajustada, a retração gengival e as cáries foram os achados mais frequentes. Verificou-se uma relação estatisticamente significativa entre o sexo e a escolaridade e a classificação por classes da escala de GOHAI. Quanto à heteroavaliação da saúde oral, os médicos consideraram que 16,3% dos idosos tem saúde oral muito má, 24% má, 27,9% razoável, 25% boa e 6,7% muito boa. Discussão: A maioria dos idosos da amostra apresenta uma autoperceção moderada a elevada da sua saúde oral. Apesar dos resultados da classificação por classes do GOHAI, na observação médica houve elevada prevalência de alterações da cavidade oral. Conhecer a perceção que a população geriátrica tem da sua saúde oral é importante para detetar idosos em risco e cuja observação é ainda mais necessária. O GOHAI não deve ser utilizado como substituto da avaliação clínica, no entanto pode ser utilizado para detetar casos que podem beneficiar desta observação.Conclusão: O envelhecimento populacional e a elevada prevalência das doenças orais tornam essencial a aposta na prevenção e na deteção precoce de alterações, evitando complicações e implicações na qualidade de vida do idoso.
Introduction: Aging is associated with a high prevalence of physiological and pathological changes in oral cavity. The present study aims to evaluate the oral health self-perception of a group of older adults and the perception of their doctors. Methods: Observational and cross-sectional study. The sample included people of both genders, from the age of 65 and above. A sociodemographic questionnaire and the GOHAI scale were used to gather data from the participants and an oral examination was performed by their physicians to identify oral health issues. The statistical analysis was done using SPSS©. Results: The sample consisted of 104 older people, 57 women and 47 men, with a mean age of 79,04. Through the GOHAI scale, we found that, of the older adults participants, 38,5% showed a high self-perception of oral health, 46,2% showed a moderate self-perception and 15,4% showed a low self-perception. The most common findings during oral examinations were edentulism, properly adjusted dental prosthesis, gingival recession and caries. A statistically significant correlation was found between sex and schooling and classification through the GOHAI scale. Hetero-assessment done by the physicians classified the participants’ oral health as very poor in 16,3% of cases, poor in 24%, reasonable in 27,9%, good in 25% and very good in 6,7%.Discussion: Based on the GOHAI scale, most of the participants assessed their oral health as moderate to good. Despite these results, the oral examination performed by the physicians revealed a high prevalence of dental and oral cavity issues. Knowing how the geriatric population views its own oral health is important to detect at risk individuals which would benefit the most from a clinical assessment. The GOHAI scale can be a useful tool to achieved that goal but should not be viewed as a substitute for a proper oral examination.Conclusion: Aging and the high prevalence of oral health issues make it essential to detect pathological modifications early on and prevent further damage, so as to avoid complications and their repercussions on quality of life.
Description: Dissertação de Mestrado em Geriatria apresentada à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/90043
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Dissertação Mestrado em Geriatria 2019.pdf694.32 kBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

5
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

1
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons