Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90026
Title: Padrão Menstrual e Práticas Contracetivas de Atletas Portuguesas - revisão da literatura e inquérito populacional
Other Titles: Menstrual pattern and contraceptive practices of the portuguese athlete - Literature review and populational survey
Authors: Coutinho, Filipa Mendes Felício
Orientador: Marques, Alexandre Rebelo
Moura, José Paulo Achando Silva
Keywords: Atleta Portuguesa; Contraceção; Padrão Menstrual; Rendimento desportivo; Female Portuguese Athlete; Contraception; Menstrual Cycle; Sports Performance
Issue Date: 27-Feb-2020
Serial title, monograph or event: Padrão Menstrual e Práticas Contracetivas de Atletas Portuguesas - revisão da literatura e inquérito populacional
Place of publication or event: Serviço de Ginecologia/Obstetrícia do CHUC
Abstract: Introdução: A menstruação e os sintomas menstruais têm influência negativa bem conhecidos no desempenho desportivo das mulheres. O adiamento ou a evicção da perda hemorrágica através dos contracetivos hormonais poderá ultrapassar estas barreiras, mas ainda existe pouca informação acerca dos benefícios não contractivos dos métodos hormonais nestas atletas.Objetivo: O objetivo deste trabalho é identificar o padrão menstrual de um grupo de atletas portuguesas, as suas opções contracetivas, o impacto dos métodos no ciclo menstrual, no desempenho desportivo e os seus efeitos adversos. Como objetivo secundário iremos comparar as respostas entre atletas federadas e não federadas bem como utilizadoras e não utilizadoras de métodos contracetivos hormonais.Métodos: Estudo observacional, descritivo e comparativo, de respostas obtidas através de um questionário anónimo de auto-avaliação a atletas portuguesas. O questionário inclui 4 grupos de questões, relativas ao padrão menstrual, perceção do desempenho físico ao longo do ciclo, uso e conhecimento de contraceção e impacto dos métodos contracetivos hormonais no desempenho físico. Para estudo comparativo as atletas foram divididas em 4 grupos, federadas e não federadas e, utilizadoras e não utilizadoras de métodos contracetivos.Resultados: Responderam ao questionário 256 atletas de 18 modalidades, sobretudo atletas de atletismo, futebol, triatlo e natação, sendo a sua idade média de 29 anos. As atletas praticavam um tipo de treino predominantemente misto, numa média de 2 horas diárias, 5 vezes por semana. A idade média da menarca foi de 12.8 anos, 41% encontrava-se e ciclo natural e a maioria destas atletas apresentava ciclos menstruais mensais. Mais de 85% das atletas eram da opinião que o rendimento desportivo era variável ao longo do mês e cerca de metade das mesmas apresentavam dismenorreia aquando da perda hemática. A maioria das inquiridas era utilizadora de métodos contracetivos, sendo que em mais de 80% destas o método elegido era hormonal. Apenas 16% das atletas era da opinião que a contraceção hormonal combinada diminuía o rendimento desportivo. Quando comparamos atletas federadas com não federadas temos padrões de utilização de contraceção semelhante. Ao comparar utilizadoras de contraceção hormonal com não utilizadoras observámos que as utilizadoras apresentam IMC médio inferior e duração da perda hemorrágica também inferior em relação às não utilizadoras. Conclusões: A maioria das atletas em ciclo natural não se encontra em amenorreia e tem padrões menstruais mensais, tendo a perceção de que o desempenho físico varia ao longo do ciclo. As atletas portuguesas têm uma prevalência de uso de contraceção sobreponível à da população geral não considerando aparentemente nenhuma inconveniência na utilização de contraceção hormonal e percecionando potencial benefício do controlo do ciclo.
Introduction: Menstruation and menstrual symptoms are commonly-cited barriers to physical activity in women. The delay or avoidance of menstruation through hormonal contraceptive may mitigate these barriers, yet information on menstrual manipulation practices in women are sparse.Objectives: To identify the menstrual pattern of Portuguese athletes, their contraceptive choices and the impact of the contraceptive methods in the menstrual cycle and sports performance and their adverse effects. As a secondary objective we will compare the answers between federated and non federated athletes and also between contraceptive users and non users.Methods: Observational, descriptive and comparative study of a self-assessment online survey of 256 Portuguese athletes. The survey includes 4 groups of questions about menstrual pattern, influence of the menstrual pattern in sports practice, use and knowledge of contraceptive methods and impact of hormonal contraceptives in the sportive performance. We compared 4 population in 2 groups, federated and non-federated, and users of contraceptive methods and non-users.Results: We obtained answers from athletes of 18 modalities, specially athletics, football, triathlon and swimming, with a mean age of 29 years. The athletes practiced a predominantly mixed type of training, in a mean of 2 hours per day, 5 days a week. The mean age of menarche was 12.8 years, 41% of the athletes were in natural cycle and the majority of them presented a monthly menstrual menses. More than 85% of the athletes believed that sports performance was variable throughout the month and about half of them presented dysmenorrhea at the time of blood loss. Also, the majority of them used contraceptive methods and more than 80% of them, the method was hormonal. Only 16% of the athletes believed that contraception decreased sports performance. Comparing federated and non-federated women we obtain a similar pattern in the use of contraception. When we compare users and non-users we observed that the users of contraceptive methods exhibit a lower mean BMI and a lower blood loss than the non-users. Conclusion: The majority of the portuguese athletes are not in amenorrhea and present monthly menses with the perception that the sports performance varies throughout the month. Similar to what we observed in the general population the athletes have high usage rates of contraceptive methods and apparently do not present any inconvenience in their use, showing some potential benefit in the cycle control.
Description: Dissertação de Mestrado em Medicina do Desporto apresentada à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/90026
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Mestrado MD Tese Filipa Mendes Felício Coutinho.pdf916.11 kBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

15
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

2
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons