Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90005
Title: A INFLUÊNCIA DO AMBIENTE DE PRÁTICA NA INDIVIDUALIZAÇÃO E OMISSÃO DE CUIDADOS.
Other Titles: The influence of practice environments into Care individualization and omitting nursing care activities.
Authors: Pinto, Pedro Manuel de Matos Lopes
Orientador: Amaral, António Fernando Salgueiro
Keywords: Ambientes de Prática; Cuidados Omissos; Individualização Cuidados; Working environments; Missing care; Individualized care plan
Issue Date: 16-Oct-2019
Serial title, monograph or event: A INFLUÊNCIA DO AMBIENTE DE PRÁTICA NA INDIVIDUALIZAÇÃO E OMISSÃO DE CUIDADOS.
Place of publication or event: Instituto Português de Oncologia de Coimbra Francisco Gentil
Abstract: ENQUADRAMENTO: A evolução da saúde nos últimos anos tem conduzido a que a aposta na qualidade e efectividade dos cuidados seja um desafio constante nas diferentes instituições de saúde. A individualização dos cuidados de enfermagem e a não omissão de cuidados são indicadores de cuidados de qualidade, importa por isso perceber como os ambientes de prática, na multiplicidade de factores que os constituem, influenciam os cuidados e a qualidade dos mesmos. Os ambientes de prática de enfermagem favoráveis caracterizam-se pela adequação de recursos humanos e materiais, participação efectiva dos enfermeiros na governação interna das organizações, promoção de fundamentos de enfermagem para a qualidade dos cuidados, gestão, liderança e suporte aos Enfermeiros e boas relações entre os diferentes grupos profissionais, particularmente entre médicos e enfermeiros (Lake, 2002).OBJECTIVO: Determinar se existe influência dos ambientes de prática na omissão de cuidados de enfermagem e na sua individualização. Avaliando simultaneamente o ambiente de prática dos enfermeiros, a percepção das pessoas internadas acerca da individualização dos cuidados recebidos, identificando e quantificando os cuidados que ficam omissos no último turno dos enfermeiros.MÉTODO: Estudo descritivo-correlacional, quantitativo, realizado em três unidades cirúrgicas de um hospital de cariz oncológico, envolvendo 49 enfermeiros e 30 doentes. Tendo os dados dos enfermeiros sido obtidos através da aplicação de um questionário sociodemográfico de auto preenchimento com a Practice Environment Scale of the Nursing Work Index (PES-NWI) e uma lista predefinida de cuidados omissos e os dados dos doentes resultantes da aplicação de um questionário de caracterização, conjuntamente com a Individualized Care Scale – patient (ICSP). Os dados foram tratados com recurso à estatística descritiva e analítica.RESULTADOS: Da análise dos dados obtivemos um valor médio global da PES-NWI, positivo de 2,52 (DP=0,35), as dimensões negativas foram a “adequação de recursos humanos e materiais “e a “participação dos enfermeiros na governação hospitalar”, e as positivas “gestão, liderança e suporte dos Enfermeiros”, “fundamentos de enfermagem para a qualidade” e a “relação entre médicos enfermeiros”. Os cuidados omissos mais frequentes foram “confortar/falar com os doentes” (52.1%), “elaborar ou atualizar planos de cuidados” (43,8%), “educar doentes e familiares” (35,4%). A média de omissão de cuidados aumenta quando o ambiente é desfavorável, média de 2 (DP=2) nos ambientes favoráveis e de 4 (DP=3) para ambiente desfavorável, existindo uma diferença estatisticamente significativa (p=0,024).Existe percepção dos doentes, da existência de uma preocupação relativa a individualização dos cuidados por parte dos enfermeiros, tendo-se registado um valor médio da ICSP-A de 4,28 (0,80) e da individualização dos cuidados, valor médio da ICSP-B de 4,55 (0,52).CONCLUSÃO: A percepção dos doentes sobre a individualização dos cuidados melhora nos ambientes mais favoráveis e verifica-se a existência de uma relação entre a omissão de cuidados e os ambientes de prática, diminuindo a omissão de cuidados nos ambientes mais favoráveis.
BACKGROUND: The evolution in healthcare during the last few years has made the goal of improving quality and care plans effectivity a continuous challenge among all kinds of health services. The individualized nursing care and not missing nursing care are indicators of good quality care, therefore is quite important to understand how practice environments, with the multiple factors that compose them, influence their respective care and quality. Favourable nursing practice environments are composed by human resources and materials adequacy, effective participation of nurses into internal management roles of the respective organizations, advocacy of nursing fundamentals for quality care, management, leadership and nurses support, with good relationships among professional work groups, namely between doctors and nurses (Lake, 2002).OBJECTIVE: Determine if there is any influence of practice environments into omitting nursing care activities, or their individualize care plans. Assess the nursing practice environment, how hospitalized patients perceive the individualization plans of their caring activities, identifying and quantifying the care omission occurrences during the previous nursing shifts.METHOD: Descriptive correlational study, quantified, performed across three chirurgical units in a hospital with oncologic focus, composed of 49 nurses and 30 patients. The nurses' data was taken via a socio demographic questionnaire form, with auto-fill support in line with the Practice Environment Scale of the Nursing Work Index (PES-NWI) and a predefined list from missing care, while the patient data was obtained via a characterization questionnaire, jointly with the Individualized Care Scale - patient (ICSP). The data results were further processed with descriptive and analytical statistical methods.RESULTS: From the data analysis a PES-NWI global average value was obtained, with a positive value of 2.52 (DP=0.35), with the negative dimensions being "human resources and materials adequacy" and "nurses involvement in the hospital management", while the positive dimensions were "management, leadership and nurses support", "nursing fundamentals for quality", and “relationships between nurses and physicians". The missing care cases that occurred with higher frequency were "cheering up/talking with the patients" (52.1%), "create or update the care plans" (43.8%), "educate patients and relatives" (35.4%). The average in care omission increases when the environment is unfavourable, with an average value of 2 (DP=2) in favourable environments and a value of 4 (DP=3) in unfavourable environments. The statistic difference is significant (p=0.024).Patients have the perception, that nurses take the effort to provide a personalized caring plan, an ICSP-A average value of 4.28(0.80) was registered, and a personalization of caring activities, with an ICSP-B average value of 4.55(0.52).CONCLUSION: Patients perception about the care personalization improves in more favourable environments, a correlation between care omission and practice environments could be verified, with omission care cases decreasing in more favourable environments.
Description: Dissertação de Mestrado em Gestão e Economia da Saúde apresentada à Faculdade de Economia
URI: http://hdl.handle.net/10316/90005
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação_ VFinal.pdf1.7 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

19
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

20
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons