Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89990
Title: Fertility Preservation in Ovarian Cancer Patients
Other Titles: Preservação da Fertilidade em Doentes com Cancro do Ovário
Authors: Santos, Maria Luís de Oliveira e Almeida
Orientador: Pais, Ana Sofia Fernandes
Santos, Ana Teresa Moreira Almeida
Keywords: neoplasias ováricas; preservação da fertilidade; ovócitos; quimioterapia; hormona libertadora de gonadotropina; ovarian neoplasms; fertility preservation; chemotherapy; organ sparing treatments; GnRH
Issue Date: 24-May-2019
Serial title, monograph or event: Fertility Preservation in Ovarian Cancer Patients
Place of publication or event: Faculdade de Medicina de Universidade de Coimbra
Abstract: O cancro do ovário é mais frequente em mulheres pós-menopáusicas, mas pode atingir mulheres jovens em idade reprodutiva. Depois do diagnóstico e estadiamento da neoplasia, os profissionais de saúde devem avaliar o risco de infertilidade e oferecer opções de preservação de fertilidade. O diagnóstico de cancro do ovário em mulheres jovens é uma preocupação emergente, visto que a maioria das opções terapêuticas causa infertilidade. O tratamento com quimioterapia é frequentemente utilizado no cancro do ovário e implica dano ovárico extenso. Vários agentes protectores de fertilidade poderão reduzir a falência ovárica prematura. No entanto, ainda nenhum foi aprovado, por falta de evidência de benefício e segurança. A cirurgia convencional poderá ser demasiado agressiva e o risco de recorrência poderá não justificar optar por esta opção em mulheres jovens. A cirurgia de manutenção de fertilidade tem sido progressivamente aceite e muitas abordagens cirúrgicas têm demonstrado sucesso tanto no tratamento como na preservação da fertilidade, assim como uma baixa taxa de recorrência. Apesar de existirem vários métodos de preservação de fertilidade que são aplicáveis em doentes oncológicos, em doentes com cancro do ovário, a criopreservação de ovócitos e de embriões são os únicos que não são considerados experimentais e que são apropriados. A criopreservação de tecido ovárico tem sido alvo de diversos estudos, mas não existem dados referentes à sua aplicação em doentes do cancro do ovário devido à possibilidade de reintroduzir células neoplásicas após reimplantação do tecido. Este método permitiria restaurar a função endócrina, assim como proporcionar uma possível gravidez espontânea. O ovário artificial e a maturação in vitro de ovócitos estão a ser estudados e desenvolvidos, visto que não requerem estimulação ovárica controlada e consequente atraso no início do tratamento, mas ainda há muitas questões a resolver.
Ovarian cancer is more frequent in post-menopausal women, however it can also occur in young premenopausal women. After diagnosis and cancer staging, health care providers should address the possibility of infertility and might offer fertility preservation options. A concern about young women who are diagnosed with ovarian cancer has emerged as most therapeutic options cause infertility. Chemotherapy, frequently used when treating ovarian cancer, has proven to cause extensive ovarian damage. Several fertoprotective agents may reduce premature ovarian failure, but, so far, none has been fully approved, due to the lack of proof of efficacy and safety. Standard surgery may be too aggressive and the recurrence risk may not be relevant enough to opt for these approaches. Fertility sparing surgery has been progressively accepted and many alternative surgical approaches have shown success in both cancer treatment, fertility preservation and a low recurrence rate. Even though there are several techniques available for fertility preservation in cancer patients, when dealing with ovarian cancer patients, oocyte and embryo cryopreservation are the only not considered experimental and suitable. Ovarian tissue cryopreservation has been largely studied, but no data on ovarian cancer patients exist, due to the risk of reimplanting cancer cells. This technique would restore endocrine function and allow spontaneous pregnancy. Artificial ovary and in vitro maturation of oocytes are being developed as these do not require controlled ovarian stimulation and subsequent treatment delay, but many procedures have yet to be optimized.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89990
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese Final Maria Luis.pdf1.04 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

8
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

1
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons