Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89940
Title: Ausências infantis: Será uma epilepsia benigna?
Other Titles: Childhood absence epilepsy: is it a benign epilepsy?
Authors: Esteves, Alexandra dos Santos
Orientador: Pereira, Cristina Duarte
Oliveira, Guiomar Gonçalves
Keywords: Ausências infantis; Comorbilidades; Atenção; Memória; Desempenho escolar; Childhood absence epilepsy; Comorbidities; Attention; Memory; School Performance
Issue Date: 20-Mar-2019
Serial title, monograph or event: Ausências infantis: Será uma epilepsia benigna?
Place of publication or event: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Abstract: A epilepsia é uma doença do sistema nervoso central (SNC) que se caracteriza pela presença de crises epiléticas que ocorrem espontaneamente e pelas suas consequentes alterações cognitivas, psicológicas, psiquiátricas e sociais. De acordo com a International League Against Epilepsy (ILAE), a epilepsia é classificada tendo em conta o tipo de crises epiléticas e o tipo de epilepsia sendo por fim enquadrada sempre que possível num síndrome epilético. Por conseguinte, a epilepsia abrange um conjunto de síndromes que apresentam diferentes tipos de crises epiléticas e comorbilidades.A epilepsia de ausências infantis corresponde a um destes síndromes epiléticos que afeta crianças predominantemente em idade escolar com idades compreendidas entre os 4 e os 10 anos. A epilepsia de ausências infantis era previamente considerada uma doença de carácter benigno uma vez que se considerava que as crianças em que as crises epiléticas eram tratadas, o neurodesenvolvimento não seria afetado. No entanto, estudos mais recentes têm vindo a refutar esta premissa demonstrando que o neurodesenvolvimento destas crianças poderá estar alterado. Assim, para compreender melhor esta doença (fisiopatologia, sintomas, diagnóstico, tratamento e prognóstico) e as perturbações a que está associada foi realizada uma pesquisa bibliográfica que decorreu entre julho a outubro de 2018 na plataforma PubMed.Através desta pesquisa, confirmou-se que as crianças com epilepsia de ausências infantis associam-se a perturbações a nível cognitivo, comportamental, psiquiátrico e social. São alterações que não podem ser menosprezadas na medida em que afetam a aprendizagem escolar, a interação com os pares e ainda o neurodesenvolvimento. Para além disto, verifica-se ainda que estas influenciam não só o neurodesenvolvimento a curto prazo mas também têm um impacto na vida adulta uma vez que se associam a comportamento impulsivo e dificuldades de aprendizagem.
Epilepsy is a central nervous system disorder that is characterized by spontaneous epileptic seizures and by the presence of cognitive, psychological, psychiatric and social impairment. According to the International League Against Epilepsy (ILAE), epilepsy disorders are classified by the type of epileptic seizures and by the type of epilepsy and eventually are categorized as part of an epileptic syndrome. Therefore, epilepsy comprises different types of epileptic seizures and different comorbidities. Childhood absence epilepsy is one of these epileptic syndromes affecting essentially school age children with ages between 4 and 10 years. In spite of the presence of epileptic seizures, this pathology was previously considered a benign disease because if treated, children were considered healthy and without neurodevelopmental impairments. However, recent discoveries have been disproving this premise by showing that children with childhood absence epilepsy have developmental impairments due to several impairments associated with this disease. So in order to better comprehend this disease (physiopathology, symptoms, diagnosis, treatment and prognosis) and its impairments, multiples articles were consulted in the PubMed database between july and october of 2018.Through this research, it was confirmed that children with childhood absence epilepsy have cognitive, behavioral, psychiatric and social impairments. These impairments cannot be dismissed due to the impact in school performance, peer interaction and the neurodevelopment. Besides, these impairments have not only poor short term outcomes but also poor long term outcomes due to the impulsive behavior and learning disabilities.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89940
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese EAI 1.pdf860.28 kBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

18
checked on Sep 17, 2020

Download(s)

1
checked on Sep 17, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons