Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89938
Title: Ansiolíticos, sedativos e hipnóticos em idosos: o papel da organização dos Cuidados de Saúde Primários
Other Titles: Anxiolytics, sedatives and hypnotics: the role of the Primary Health Care organization
Authors: Gameiro, Bárbara Silva
Orientador: Caetano, Inês Rosendo Carvalho e Silva
Monteiro, Luís Miguel André
Keywords: prescrição; cuidados de saúde primários; hipnóticos e sedativos; ansiolíticos; prescriptions; primary health care; hypnotics and sedatives; anti-anxiety agents
Issue Date: 21-Jan-2019
Serial title, monograph or event: Ansiolíticos, sedativos e hipnóticos em idosos: o papel da organização dos Cuidados de Saúde Primários
Place of publication or event: FMUC - Área científica de Medicina Geral e Familiar
Abstract: Introdução: Os médicos de família são os principais prescritores de ansiolíticos, sedativos e hipnóticos. Avaliámos o impacto da organização dos Cuidados de Saúde Primários (CSP) nesta prescrição, relacionando o nível de organização e localização geográfica de uma unidade de saúde com a prescrição prolongada destes fármacos, na população idosa.Material e Métodos: Estudo transversal. Base de dados composta pelas 885 unidades de saúde que apresentavam dados informáticos disponíveis online, referentes ao indicador em estudo, no ano de 2017, e respetiva região geográfica. Incluímos os utentes com idade ≥65 anos e uma dose diária prescrita ≤53, durante o período em estudo. Resultados: 885 unidades de saúde, 490 (56,6%) Unidades de Saúde Familiar (USF) e 375 (43,4%) Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP). Não encontrámos diferença de desempenho estatisticamente significativa (p=0,646) entre USF e UCSP. Dentro das USF, o modelo A alcançou uma média superior ao modelo B (78,20±6,50 vs 75,85±5,28; p<0,001). Apurámos diferenças entre Administrações Regionais de Saúde (ARS). A ARS Algarve apresentou o melhor resultado, com a ARS Norte em último (85,69±3,16 vs 74,12±4,58; p<0,001).Discussão: Não parecem existir ganhos de desempenho mediante a utilização de incentivos financeiros. Não só não encontrámos diferença estatisticamente significativa entre modelos organizacionais, como o modelo de maior maturidade organizacional não apresentou melhores resultados. Importa apurar o motivo para a diferença significativa entre regiões de saúde. Conclusão: A reforma dos CSP não aparentou trazer vantagens na prescrição prolongada de ansiolíticos, sedativos e hipnóticos a idosos, sugerindo a necessidade de considerar outras estratégias futuramente.
Introduction: Family doctors are the main prescribers of anxiolytics, sedatives and hypnotics. We evaluated the impact of the Primary Health Care organization (CSP) on this prescription, relating the level of organization and geographical location of a health unit with the prolonged prescription of these drugs in the elderly.Materials and Methods: Cross-sectional study. Database with the 885 health units that presented informatic data available online, referring to the indicator under study, in the year of 2017, and its geographic region. We included patients aged ≥65 years and with a prescribed daily dose ≤53 during the study period.Results: 885 health units, 490 (56.6%) Family Health Units (USF) and 375 (43.4%) Personalized Health Care Units (UCSP). There was no statistically significant difference in performance (p=0.646) between USF and UCSP. Within the USF, model A reached a mean higher than model B (78.20±6.50 vs 75.85±5.28, p<0.001). We found differences between Regional Health Administrations (ARS). ARS Algarve had the best result, with ARS Norte coming last (85.69±3.16 vs 74.12±4.58, p<0.001).Discussion: Didn’t appear to be any performance gains through the use of financial incentives. Not only there was no statistically significant difference between organizational models, but also the model with greater organizational maturity didn’t present better results. It would be important to determine the reason for the difference between health regions.Conclusion: CSP reform didn’t show advantages in the prolonged prescription of anxiolytics, sedatives and hypnotics in the elderly, suggesting the need to consider other strategies in the future.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89938
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
TF Bárbara Gameiro 2013146194.pdf799.93 kBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

17
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

3
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons