Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89845
Title: Poor Outcome Predictors and Donor Surgical Morbidity in Pediatric Living Donor Liver Transplant
Other Titles: Preditores de Mau Prognóstico e Morbilidade Cirurgica de Dadores Vivos em Transplante Hepático Pediátrico (Tradução de Título original escrito em Inglês)
Authors: Santos, José Pedro Fernandes dos
Orientador: Lopes, Maria Francelina Sousa Cruz
Martins, Ricardo Jorge Teixeira
Keywords: Transplantação Hepática; Dador Vivo; Outcome do Dador; Morbilidade; Segurança do Dador; Liver Transplantation; Living Donors; Donor Outcomes; Morbidity; Donor Safety
Issue Date: 22-May-2019
Serial title, monograph or event: Poor Outcome Predictors and Donor Surgical Morbidity in Pediatric Living Donor Liver Transplant
Place of publication or event: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Abstract: Introdução: O transplante hepático em contexto pediátrico é o tratamento de escolha para crianças com doença hepática terminal (end-stage liver disease - ESLD). A incidência ESLD pediátrica está a aumentar, tal como o número de crianças em lista de espera para transplantação hepática. Desde 1991, o número de enxertos de fígado de dadores vivos não consegue acompanhar o número de transplantações necessárias, principalmente devido à desinformação dos doadores.Métodos: Para este estudo, foram analisados ​​retrospectivamente 18 anos de transplante de fígado de doadores vivos (LDLT), correspondendo a 28 procedimentos bem sucedidos. Os dados dos dadores foram recolhidos e analisados, e os resultados cirúrgicos foram categorizados de acordo com a Classificação de Complicações Cirúrgicas de Clavien. Além disso, foi realizada uma revisão bibliográfica com foco nos fatores que podem interferir no prognóstico cirúrgico do dador. Os preditores de prognóstico foram agrupados e organizados em três categorias: pré, intra e pós-operatórios.Resultados: Vinte e oito por cento (n = 8) dos dadores tiveram complicações cirúrgicas. De acordo com a classificação de Clavien, 2 doadores tiveram complicações major (grau Clavien ≥ 3); 4 dadores tiveram complicações de grau 2 e 2 dadores tiveram complicações de grau 1. A presente série não reporta mortalidade. A revisão da literatura sugere que dados importantes pré-operatórios a analisar são idade e sexo do dador, tabagismo, obesidade e esteatose hepática, concentrações de albumina, enzimologia hepática (Fosfatase Alcalina, Transaminase glutâmico-oxalacética e transaminase glutâmico pirúvica), estado de coagulação, variações da anatomia vascular e urgência do procedimento. Fatores intra-operatórios importantes são a transfusão de sangue, hipotensão, volume de fígado remanescente, duração da hepatectomia, tipo de hepatectomia e incisão na parede abdominal. Técnicas recentes como o uso de cirurgia invasiva mínima do fígado, infusão de Propofol e Terlipressina, modulação da pressão da veia Porta, "Softcoagulation" e "Bloodless hepatectomy" podem melhorar o resultado pós-cirúrgico do dador. Deve também ser dada a devida consideração como um preditor de mau resultado cirúrgico a existência Hiperbilirrubinemia pós-operatória e aumento da INR.Conclusões: A série do CHUC mostra que a hepatectomia do dador no P-LDLT é um procedimento seguro e viável, sem mortalidade. Ao avaliar um potencial dador, a avaliação de preditores de mau prognóstico deve ser feita com o objetivo de excluir pacientes em que seja previsível o aparecimento de morbilidade e diminuir as taxas de complicações cirúrgicas. Tendo em conta o preceito "Primum non nocere", a morbilidade global deve ser reduzida, diminuindo assim a relutância do doente, o que pode contribuir para uma maior disponibilidade de órgãos e maior utilização de LDLT.(Tradução de Abstract original escrito em Inglês)
Introduction: Pediatric liver transplantation is the state-of-the-art treatment for children with end-stage liver disease (ESLD). Pediatric ESLD incidence is increasing and so is the number of children enlisted for liver transplant. Since 1991 the number of liver grafts from living donors could not keep up with the demand, mostly due to donor misinformation.Methods: For this study, 18 years of Living Donor Liver Transplant (LDLT) were retrospectively analysed, matching 28 successfully procedures. Donor’s data were collected, and surgical outcomes were categorized according to Clavien’s Classification of Surgical Complications. Furthermore, a bibliographical review focusing on the factors that can interfere with the donor’s operative prognosis was performed. These poor outcome predictors were collected and organized into 3 categories: pre-, intra- and postoperative.Results: Twenty-eight per cent (n=8) of donors had surgical complications. According to Clavien’s classification, 2 donors had major complications (Clavien grade ≥3); 4 donors had grade 2 complications and 2 donors had grade 1 complications. The present series reports no mortality. Literature review suggests that pre-operative important data gathered is donor’s age and sex, smoking habits, obesity and hepatic steatosis, albumin concentrations, liver blood tests (Alkaline Phosphatase, Alanine Transaminase and Aspartate Transaminase), coagulation status, vascular anatomy variations and procedure urgency. Intra-operative important factors are blood transfusion, hypotension, remnant liver volume, hepatectomy length, type of hepatectomy and abdominal wall incision. Recent techniques as the use of minimal invasive liver surgery, Propofol and Terlipressin infusion, Portal vein pressure modulation, “softcoagulation” and bloodless donor hepatectomy may improve donor post-surgical outcome. Postoperative hyperbilirubinemia and increased INR should also be given due consideration as a predictor of poor surgical outcome.Conclusions: CHUC’s series shows that donor hepatectomy in P-LDLT is a safe and feasible procedure, without mortality. When assessing a potential donor, poor outcome predictors assessment should be done aiming to exclude patients and decrease surgical complication rates. Bearing in mind the Primum non nocere precept regarding donation, overall morbidity should be reduced, thus decreasing patient reluctance which may contribute to greater availability of organs and wider use of LDLT.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89845
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Poor Outcome Predictors and Donor Surgical Morbidity in Pediatric Living Donor Liver Transplant.pdf649.61 kBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons