Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89841
Title: Podemos detetar pneumococo na saliva de crianças em idade pré-escolar?
Other Titles: Can we detect pneumococcus in saliva from preschool children?
Authors: Simões, Mariana Salgado Branco
Orientador: Rodrigues, Fernanda Maria Pereira
Keywords: Streptococcus pneumoniae; Secreções nasofaríngeas; Saliva; Colonização; Microarray; Streptococcus pneumoniae; Nasopharyngeal secretions; Saliva; Colonization; Microarray
Issue Date: 6-Mar-2019
Serial title, monograph or event: Podemos detetar pneumococo na saliva de crianças em idade pré-escolar?
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: Os estudos de colonização nasofaríngea permitem avaliar o impacto da utilização das vacinas conjugadas pneumocócicas no vacinado e na transmissão da bactéria entre indivíduos e, por conseguinte, os seus efeitos na proteção individual e da população (imunidade de grupo). São habitualmente feitos através de análises laboratoriais de amostras de secreções nasofaríngeas (NF) obtidas por técnicas não invasivas. A deteção de Streptococcus pneumoniae (Sp) por PCR em saliva foi descrita numa elevada proporção de indivíduos. Tendo obtido resultados semelhantes num grupo de crianças portuguesas, pretendeu-se com este estudo comparar a presença desta bactéria em secreções NF e na saliva da mesma criança, de forma a avaliar a possibilidade da utilização deste produto biológico em estudos de colonização bem como avaliar o seu papel na transmissão do pneumococo. Material e Métodos: Em 2015 obtivemos pares de saliva e de secreções NF em 95 crianças, com idades entre os 6 meses e os 6 anos, em infantários de Coimbra. Efetuámos cultura destas amostras biológicas utilizando métodos padrão e, quando ocorreu crescimento bacteriano, foi feita extração de ADN. Foi utilizada qPCR de gene único (lytA) para deteção de Streptococcus pneumoniae. Quando Sp foi identificado simultaneamente nas duas amostras, procedeu-se à serotipagem utilizando uma técnica molecular de microarray. Resultados: Dos 95 pares de amostras colhidos, obtivemos 49 (51,58%) simultaneamente positivos para Sp. Das amostras da NF, 45/49 (91,8%) apresentaram evidência de presença de Sp por microarray, 3 eram estreptococos não-Sp e num caso não havia Sp ou espécies relacionadas. Em 36 (80%) foi detetado um serotipo único e em 9 (20%) múltiplos. Em contraste, apenas 3/49 (6,1%) amostras de saliva tinham evidência de presença de Sp por microarray, em todos os casos correspondendo ao mesmo serotipo de Sp detetado na NF dessa mesma criança; nos 3 casos, Sp era pouco abundante na saliva quando comparado com a abundância na NF (23A: 5% vs 95%; 35F: 4% vs 99%; 9N: 1% vs 100% respetivamente) e encontrava-se incluído numa mistura complexa de outras espécies bacterianas. O número médio de espécies de estreptococos detetado na NF foi 1,6 e na saliva foi 4,3. Discussão e conclusão: Os resultados deste estudo sugerem que a deteção de Sp por lytA qPCR na saliva de crianças em idade pré-escolar poderá refletir a presença de estreptococos da flora oral geneticamente relacionados, que se apresentam em misturas complexas de espécies, e não de pneumococos. Estes achados sugerem também que a transmissão de Sp pela saliva pode ser menos importante do que pelas secreções nasais nessa faixa etária e que a sua utilização em estudos de colonização tem limitações.
Introduction: Nasopharyngeal colonization studies allow to assess the impact of pneumococcal conjugate vaccines use on the vaccinated person and on transmission of the bacterium between individuals and, therefore, its effects on individual protection and at the population level (herd immunity). They are usually performed by laboratory analysis of nasopharyngeal (NP) secretions obtained by non-invasive techniques. The detection of Streptococcus pneumoniae (Sp) in saliva using PCR has been described in a high proportion of individuals. Having obtained similar results in a group of Portuguese children, this study aimed to compare the presence of this bacterium in NF secretions and saliva of the same child, in order to evaluate the possibility of using this biological sample in colonization studies, as well as to assess the role of saliva in pneumococcal transmission. Material and Methods: In 2015, we obtained pairs of saliva and NF secretions in 95 children aged 6 months to 6 years attending nurseries in Coimbra. These biological samples were cultured using standard methods and, when bacterial growth occurred, DNA was extracted. Single-gene qPCR (lytA) was used to detect Sp. When Sp was identified simultaneously in both samples, serotyping was performed using a microarray molecular technique. Results: Of the 95 pairs of samples collected, 49 (51%) were simultaneously positive for Sp. 45/49 (91,8%) NP samples showed evidence of the presence of Sp by microarray, 3 were non-Sp streptococci and in one case there was no Sp or related species. In 36 (80%) a single serotype was detected and in 9 (20%) multiple serotypes were present. In contrast, only 3/49 (6,1%) saliva samples had evidence of Sp by microarray, in all cases corresponding to the same Sp serotype detected in the NP of that same child; in all 3 cases, Sp was poorly abundant in saliva when compared to the abundance in NP (23A: 5% vs 95%; 35F: 4% vs 99%; 9N: 1% vs 100% respectively) and was included in a complex mixture of other bacterial species. The mean number of streptococcal species detected in NP was 1,6 and in saliva was 4,3. Discussion and Conclusion: The results of this study suggest that the detection of Sp by lytA qPCR in saliva of preschool children may reflect the presence of genetically related streptococci of oral flora, which are found in complex mixtures of species, and not pneumococcus. These findings also suggest that the transmission of Sp by saliva may be less important than by nasal secretions in this age group and that its use in colonization studies has limitations.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89841
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese - Mariana Simões.pdf454.55 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

8
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

1
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons