Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89812
Title: Anemias e gravidez: Diagnóstico, Orientação e Tratamento
Other Titles: Anemia in pregnancy: Diagnosis, Management and Treatment
Authors: Viegas, Mariana Violante
Orientador: Areia, Ana Luísa Fialho Amaral
Pinto, Anabela Mota
Keywords: anemia; gravidez; anemia por défice de ferro; anemia megaloblástica; talassémia; anemia; pregnancy; iron deficiency anemia; megaloblastic anemia; thalassemia
Issue Date: 20-Mar-2019
Serial title, monograph or event: Anemias e gravidez: Diagnóstico, Orientação e Tratamento
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: A anemia na gravidez é um dos problemas mais frequentes nos cuidados obstétricos mundiais, afetando cerca de 56 milhões de grávidas, 1 em cada 4 a nível europeu.Convencionalmente definida como uma concentração de hemoglobina dois desvios padrão abaixo da mediana dos valores definidos para a população saudável, o seu diagnóstico na gravidez é dificultado por alterações fisiopatológicas como a expansão plasmática e hemodiluição (com grande impacto no status de ferro e hemoglobina); variações étnicas dos valores da hemoglobina; inespecificidade da clínica e grande proporção de mulheres assintomáticas. As anemias podem ser classificadas em três grandes grupos: anemias microcíticas, normocíticas e macrocíticas. A etiologia mundialmente mais comum é a deficiência nutricional de ferro, protótipo das anemias microcíticas, que juntamente com a anemia megaloblástica por défice de folato (forma mais frequente de anemia macrocítica) correspondem a 90 % das anemias na gravidez. A elevada prevalência destas patologias na gravidez justifica-se pelo número elevado de mulheres com dietas inadequadas e sem suplementação pré-natal de micronutrientes.As causas genéticas são também responsáveis por uma proporção razoável de anemias na gravidez. Destas, a anemia falciforme é a mais prevalente, manifestando-se na forma de anemia normocítica. A gestação em mulheres com esta patologia representa um elevado risco materno-fetal, com aumento da frequência e gravidade de complicações.O impacto da anemia na saúde materna e perinatal, com aumento do risco de restrição do crescimento fetal, parto pré-termo, prematuridade e défices cognitivos no recém-nascido, reforça a necessidade de aumentar o conhecimento e instituir práticas de prevenção, diagnóstico precoce, orientação e tratamento desta condição. A grande variedade de formulações estudadas na prevenção e tratamento da anemia, os valores de hemoglobina considerados limite para introdução de terapêutica transfusional, e as múltiplas evidências contraditórias no que diz respeito às diferenças de eficácia, segurança e tolerabilidade em trimestres particulares da gravidez, levantam algumas dificuldades na determinação de um consenso relativamente à terapêutica com impacto mais benéfico a nível preventivo e sintomático.Com esta revisão procuro então estabelecer um algoritmo de diagnóstico, orientação e terapêutica da anemia na gravidez, consoante a etiologia, gravidade da sintomatologia e período gestacional, no sentido de criar uma visão sobre uma patologia com proporções epidémicas e indubitável impacto deletério na saúde materna e neonatal.
Anemia in pregnancy is one of the most frequent problems in global obstetric care, affecting about 56 million pregnant women, 1 in 4 in Europe.Conventionally defined as a haemoglobin concentration two standard deviations below the median values set for the healthy population, its diagnosis in pregnancy is hampered by pathophysiological changes such as plasma expansion and hemodilution (with great impact on the status of iron and haemoglobin); ethnic variations in haemoglobin values; clinical specificity and a large proportion of asymptomatic women.Anemias can be classified into three major groups: microcytic, normocytic, and macrocytic anemias. The most common worldwide etiology is iron deficiency, the prototype of microcytic anemia, which together with megaloblastic anemia due to folate deficiency (the most frequent form of macrocytic anemia) accounts for 90% of anemia in pregnancy. The high prevalence of these pathologies in pregnancy is justified by the high number of women with inadequate diets and no pre-natal micronutrient supplementation.Genetic causes are also responsible for a reasonable proportion of anemia in pregnancy. Of these, sickle-cell anemia is the most prevalent, manifesting in the form of a normocytic anemia. Gestation in women with this pathology represents a high maternal-fetal risk, with an increase in the frequency and severity of complications.The impact of anemia on maternal and perinatal health, with an increased risk of fetal growth restriction, preterm birth, prematurity and cognitive deficits in the newborn, reinforces the need to increase the knowledge and instigate the adequate prevention, early diagnosis, guidance and treatment of this condition.The wide variety of formulations studied in the prevention and treatment of anemia, haemoglobin levels considered as the limit for the introduction of transfusion therapy, and the multiple contradictory evidence regarding differences in efficacy, safety, and tolerability, raise some difficulties in finding a consensus regarding the most beneficial preventive and symptomatic therapy.With this review, I will try to establish an algorithm for the diagnosis, orientation, and therapy of anemia in pregnancy, according to the etiology, severity of the symptomatology and the gestational period, in order to create a new vision about a pathology with epidemic proportions and undoubtedly deleterious impact on maternal and neonatal health.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89812
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE Mariana Violante Viegas.pdf1.94 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons