Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89790
Title: MELANOMA CUTÂNEO MALIGNO E RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA: MECANISMOS DA GÉNESE TUMORAL
Other Titles: MALIGNANT CUTANEOUS MELANOMA AND ULTRAVIOLET RADIATION: MECHANISM OF TUMOR GENESIS
Authors: Macedo, Humberto Carlos Matos
Orientador: Oliveira, Hugo Miguel Schonenberger Robles
Keywords: melanoma; cutâneo; malignidade; radiação; ultravioleta; melanoma; cutaneous; malignant; radiation; ultraviolet
Issue Date: 18-Jun-2019
Serial title, monograph or event: MELANOMA CUTÂNEO MALIGNO E RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA: MECANISMOS DA GÉNESE TUMORAL
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: O melanoma é um tumor maligno melanocítico e, assim sendo, pode ter origem em qualquer tecido em que estas células existam. A grande maioria destes tumores afeta inicialmente a pele. A radiação ultravioleta, há muito tem sido proposta como um fator de risco ao desenvolvimento desta patologia. Para além disso, esta parece ser também um agente carcinogénico responsável pelo desenrolar de processos chave na formação e progressão do melanoma cutâneo maligno.Materiais e métodos: A pesquisa necessária à realização do trabalho foi feita na plataforma Pubmed. Devido à imensa quantidade de informação disponível, esta focou-se essencialmente na literatura publicada nos últimos 5 anos. Em seguida, a informação foi analisada e sintetizada, culminando neste artigo de revisão.Resultados: Foi possível perceber a interação da radiação ultravioleta com os melanócitos, responsável pela formação do melanoma cutâneo maligno. A informação recolhida permite inferir que a radiação ultravioleta consegue induzir carga mutagénica através da quimioexcitação de eletrões, que conduz à formação de dímeros de ciclobutano de pirimidina, necessários para a disrupção da normal estrutura e emparelhamento de DNA, levando a que haja cópias de DNA com mutações oncogénicas. Para além disso, a reparação dos normais processos celulares está impedida pela alteração da expressão dos miRNAs. À transformação e multiplicação de células malignas dá-se aquando do recrutamento das células tronco melanocíticas, após o processo inflamatório local provocado pela exposição a esta radiação. A radiação UV-A, responsável pelo aumento da acidificação do meio e dano das membranas celulares, provoca a secreção de metaloproteinases e uroquinase, e catepsinas, respetivamente. Estes são agentes importantes na progressão local e à distância do melanoma cutâneo maligno.Conclusão: Devido à quantidade de exposição a esta radiação e à quantidade de processos lesionais que ela acarreta, este tema toma uma relevância acrescida. Faltam clarificar alguns dos mecanismos descritos, bem como novos estudos que acabem com a informação contraditória encontrada em alguns dos tópicos para que assim, quem sabe, novos caminhos terapêuticos surjam.Palavras-chaves: melanoma, cutâneo, malignidade, radiação, ultravioleta.
Introduction: melanoma is a melanocytic malignant tumor so it can affect any tissue that contain these cells. Most of these tumors affect primarily the skin. The UV radiation has long been proposed as a risk factor for the development of this pathology. Moreover, it seems that this radiation is also a carcinogenic agent, responsible for the unroll of key processes in formation and proliferation of cutaneous malignant melanoma.Material and Methods: the necessary research for the realization of these work, was made in Pubmed platform. It focusses essentially in the literature that was published in the past 5 years, due to the huge amount of available information. Then, that same information was analyzed and synthesized, culminating in this review article.Results: It was possible to understand the interaction between the ultraviolet radiation and the melanocytic cells, responsible for the formation of cutaneous malignant melanoma. The information collected shows that ultraviolet radiation has the ability of induce mutagenic charge through the Chemoexcitation of electrons, leading to dimers of cyclobutene pyrimidine causing the disruption of normal DNA structure and pairing, which leads to the formation of oncogenic DNA copies. Moreover, the normal repair of cellular processes is impaired due to the altered expression of miRNAs. The transformation and multiplication of the malignant cells occurs when recruitment of quiescent melanocytic stem cells, after the local inflammatory process caused by the UV radiation exposure. The UV-A radiation, responsible for the increase of the acidification of the surrounding environment and damage of cellular membranes, cause the secretion of metalloproteases, urokinase and cathepsins, respectively. These are important agents in local and distant progression of cutaneous malignant melanoma.Conclusion: an increased importance is given to this topic, due to the amount of people ultraviolet radiation exposure and the damaging processes that it entails. I tis not completely understood some of the described mechanisms, as well as some contradictory information that is in published literature. When that understanding is reached, may be some new therapeutic paths.Key Words: melanoma, cutaneous, malignant, radiation, ultraviolet.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89790
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Entrega de tese.pdf356.09 kBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons