Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89777
Title: Relação entre Parâmetros do Eco-Doppler no Período Pós-Transplante Hepático Imediato e Complicações Biliares Tardias
Other Titles: Correlation between Doppler Ultrasound findings in the early post-liver transplantation period and late biliary complications
Authors: Pinto, Pedro Manuel Conceição Nolasco
Orientador: Cortes, Dulce Helena Saramago Diogo
Oliveira, Pedro Filipe Craveiro Coutinho
Keywords: Tranplante hepático; Doppler; Veias hepáticas; Modulação cardiaca; Complicações biliares; Liver transplantation; Doppler; Hepatic veins; Cardiac modulation; biliary complications
Issue Date: 7-Jun-2019
Serial title, monograph or event: Relação entre Parâmetros do Eco-Doppler no Período Pós-Transplante Hepático Imediato e Complicações Biliares Tardias
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: O transplante hepático é uma opção terapêutica na doença hepática crónica,mas as complicações pós-operatórias podem limitar o sucesso e a sobrevivência do enxertoa longo prazo. A ecografia no período pós-transplante é utilizada para monitorização davascularização do enxerto, através do eco-Doppler, bem como para diagnosticar possíveiscomplicações, quer vasculares, quer biliares. Está bem definida a associação entre alteraçõesdos achados do eco-Doppler e o desenvolvimento de complicações vasculares após otransplante, mas não a relação com complicações biliares. Este estudo retrospetivolongitudinal caso-controlo pretende avaliar a relação entre as alterações encontradas navascularização hepática pelo eco-Doppler nos primeiros cinco dias pós-transplante hepáticoe o desenvolvimento de complicações biliares após os primeiros 30 dias pós-transplante.Métodos: Foram analisadas variáveis do recetor, incluindo valor do MELD e MELD-Na prétransplante, indicação e aspetos técnicos do transplante, tempo livre de complicações biliaresdo recetor, índice de resistência da artéria hepática, velocidade média na veia porta emodulação cardíaca nas veias hepáticas, os três últimos, nos primeiros cinco dias póstransplantehepático. Os resultados estatisticamente significativos foram definidos quandop<0,05.Resultados: A amostra populacional incluiu 105 doentes, dos quais 47 desenvolveramcomplicações biliares. Não se identificou relação entre o valor do MELD e MELD-Na préviosao transplante e o desenvolvimento de complicações biliares. De igual forma, não seencontrou uma diferença estatisticamente significativa quando comparados valores alteradosdo índice de resistência da artéria hepática (p=0,390) e da velocidade média na veia porta(p=0,852, p=0,962, p=0,817, p=0,905), com o desenvolvimento de complicações biliares.Porém, há mais casos de surgimento de complicações biliares quando o índice de resistênciada artéria hepática está fora do intervalo considerado normal, apesar de p=0,390. A ausênciade modulação cardíaca nas veias hepáticas em qualquer um dos cinco primeiros dias póstransplantemostrou uma diferença estatisticamente significativa (p=0,003). Quando analisadaa ausência de modulação cardíaca individualmente nos cinco primeiros dias, verificou-se umresultado estatisticamente significativo em D1 (p=0,001), D2 (p=0,020) e D4 (p=0,037). Ohazard ratio revela um risco cerca de 3,4 vezes superior de desenvolver complicações biliaresquando não há modulação cardíaca nas veias hepáticas em algum dos cinco primeiros dias.Conclusão: A ausência de modulação cardíaca nas veias hepáticas mostra estar associadaao desenvolvimento de complicações biliares, tendo estes doentes um risco acrescido de 3,4vezes. Contrariamente, o índice de resistência da artéria hepática e a velocidade média naveia porta não mostram estar associados ao desenvolvimento de complicações biliares.
Background: Liver transplant is a therapeutic option in chronic liver disease, but postoperatorycomplications may limit the long-term success and survival of the graft. Ultrasoundin the post-transplant period is used to monitor the graft vascularization, through Dopplerultrasound, as well to diagnose possible complications, both vascular and biliary. It’s welldemonstrated the association between altered Doppler ultrasound findings and vascularcomplications, but not with biliary complications. We conducted this retrospective longitudinalcase-control study with the aim to assess the correlation between altered Doppler ultrasoundchanges and biliary complications after the first thirty days post-transplant.Methods: Variables of the receptor were analyzed, including MELD and MELD-Na scoresprior to liver transplant, indication and technical aspects of the transplant, time free of biliarycomplications of the receptor, hepatic artery resistance index, portal vein mean velocity andcardiac modulation of hepatic veins, the last three, during the first five days post-livertransplant. Statistically significant results were defined when p<0.05.Results: Population sample included 105 patients, of whom 47 developed biliarycomplications. It wasn’t identified any relation between MELD and MELD-Na score values priorto the transplant and the development of biliary complications. Similarly, it wasn’t found astatistically significant difference when compared altered values of the hepatic arteryresistance index (p=0.390) and portal vein mean velocity (p=0.852, p=0.962, p=0.817,p=0.905), with the development of biliary complications. However, there are more patientsdeveloping biliary complications when the hepatic artery resistance index is outside the rangeconsidered normal, beside p=0.390. The absence of cardiac modulation in hepatic veins inany of the first five days post-transplant showed a statistically significant result (p=0.003).When analyzed individually the first five days for the absence of cardiac modulation, it wasfound significant results for D1 (p=0.001), D2 (p=0.020) and D4 (p=0.037). Hazard ratiorevealed a risk 3,4 times higher for the development of biliary complications when there’s nocardiac modulation of hepatic veins in any of the first five days post-transplant.Conclusion: Hepatic artery resistance index and portal vein mean velocity hasn’t shown to begood predictors of the development of biliary complications. Contrarily, the absence of cardiacmodulation in the hepatic veins is a good predictor of biliary complications, having, thesepatients, a risk 3,4 higher for developing it.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89777
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

9
checked on Oct 1, 2020

Download(s)

10
checked on Oct 1, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons