Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89757
Title: Effect of water aging on dentin bond strength after tooth fragment reattachment
Other Titles: Efeito do envelhecimento em água na força de adesão dentinária após cimentação de fragmentos dentários
Authors: Gorito, Mara Filipa Oliveira
Orientador: Vinagre, Alexandra Rosa Rodrigues
Ramos, João Carlos Tomás
Keywords: reinserção fragmento dentário; resina composta; vibração ultrassónica; compósito pré-aquecido; resistência à microtração; tooth fragment reattachment; "composite resin"; ultrasonic vibration; pre-heated composite; Microtensile bond strength
Issue Date: 22-Jul-2019
Serial title, monograph or event: Effect of water aging on dentin bond strength after tooth fragment reattachment
Place of publication or event: Laboratório de Ensaios Mecânicos e Preparação de Amostras da área de Medicina Dentária de Coimbra
Abstract: Introdução: O trauma dentário constitui um problema mundial de saúde pública sendo mais frequente em fases de crescimento e desenvolvimento dos indivíduos. Independentemente da ocasião, a ausência de tratamento pode levar não só a preocupações estéticas, mas também a distúrbios funcionais e emocionais. Ainda são poucas as publicações que nos fornecem informações sobre o procedimento para aplicar os materiais de "colagem" de fragmentos que devamos escolher para garantir a longevidade clínica.Objetivo: Comparar a força de união da interface dentina-resina-composta de três diferentes técnicas de reinserção dentária e avaliar os modos de falha após dois anos de envelhecimento com água.Materiais e métodos: Há Dois anos, quinze terceiros molares foram selecionados, preparados e aleatoriamente divididos em três grupos (n = 5). Cada dente foi seccionado transversalmente no nível da coroa para a obtenção de um fragmento da coroa. Posteriormente o protocolo de colagem com resina composta foi aplicado de três formas diferentes de acordo com três grupos: convencionalmente com uma camada de resina composta (grupo I), resina pré-aquecida a 50ºC (Grupo II) e resina composta com vibração ultrassónica (Grupo III). Em todos os protocolos foi aplicada uma força controlada de 30 N. Após a reiserção dos fragmentos, os espécimes foram seccionados transversalmente e obtiveram-se bastões com 1 mm2. Foram então testados em tensão numa máquina de ensaios universal a 0,5 mm / min. O modo de falha foi avaliado com microscopia ótica. Os dados foram analisados pelo software IBM SPSS e o nível de significância foi estabelecido em α = 0,05.Resultados: Foram registadas as seguintes forças de adesão à microtração (média em MPa ± DP): Grupo I - 21,8 ± 8,7; Grupo II - 20 ± 10,6; Grupo III - 23,9 ± 7,4.Conclusão: Não houve diferenças na resistência de união entre os diferentes grupos, de modo que o material utilizado e as técnicas não foram uma influência significativa para a resistência de união, dois anos após a reinserção.
Introduction: Dental trauma is a serious worldwide public health issue more frequent in phases of individuals' growth and development. Regardless the occasion, the absence of treatment may lead not only to aesthetic concerns but also to functional and emotional disturbances. There are still very few publications that provide us with information about the procedure for applying the fragment "bonding" materials that we should choose to ensure clinical longevity.Purpose: To compare the dentin microtensile bond strength of three different tooth reattachment techniques and evaluate failure modes, after two years water aging.Materials and methods: Two years ago, fifteen third molars were selected, prepared and randomly divided into three groups (n=5). Each tooth was transversely sectioned at the crown level due to obtain a detached crown fragment. Afterwards, the bonding protocol with resin composite was applied in three different ways according to three groups: conventionally with a layer of resin composite (group I), pre heated resin composite at 50ºC (Group II) and resin composite applied with ultrasonic vibration (Group III). For all groups a controlled 30 N force was applied. After bonding the teeth were cross-sectioned and sticks with 1 mm2 were obtained. They were then tested in tension in a universal testing machine at 0,5 mm/min. The mode of failure was evaluated with optical microscopy. Data was analyzed with the IBM SPSS software and significance level was set at α = 0.05.Results: The following microtensile bond strengths were registered (mean in MPa ± SD): Group I – 21,8 ± 8,7; Group II - 20 ± 10,6; Group III- 23,9 ± 7,4. No statistical differences were found. All groups experienced the three types of failure.Conclusion: There were no differences in bond strength among different groups, so the material used and techniques were not a significant influence for bond strength, two years after reattachment.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina Dentária apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89757
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE MARA GORITO.pdf709.31 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

8
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

12
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons