Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89699
Title: Literacia em saúde e doença cardiovascular na diabetes tipo 2
Other Titles: Health literacy and cardiovascular disease in type 2 diabetes
Authors: Gomes, Pedro Miguel Marques
Orientador: Caetano, Inês Rosendo Carvalho e Silva
Santiago, Luiz Miguel de Mendonça Soares
Keywords: Diabetes mellitus tipo 2; Literacia em saúde; Complicações cardiovasculares; Adesão à terapêutica; Capacitação; Type 2 diabetes mellitus; Health literacy; Cardiovascular complications; Self care; Empowerment
Issue Date: 11-Jun-2019
Serial title, monograph or event: Literacia em saúde e doença cardiovascular na diabetes tipo 2
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Introdução: A desregulação metabólica ligada à diabetes mellitus (DM) está associada a uma deterioração funcional de múltiplos órgãos e sistemas, nomeadamente do sistema cardiovascular. A literacia em saúde (LS) compreende um conjunto de capacidades do indivíduo, que lhe permitem utilizar os cuidados de saúde da forma mais adequada e melhor gerir a sua saúde, podendo ser um fator de extrema relevância no controlo da DM, contribuindo para a prevenção de complicações cardiovasculares.Objetivos: Perceber a relação entre LS e a prevalência de complicações cardiovasculares em pessoas com DM 2. Como objetivo secundário, pretendeu-se também perceber a relação da LS com a capacitação, adesão à terapêutica e qualidade de vida relacionada com a saúde (QdVRS), e a relação entre variáveis sociodemográficas e a prevalência de complicações cardiovasculares em pessoas com DM 2.Material e Métodos: Estudo transversal observacional exploratório, recorrendo a amostra de conveniência de pessoas com DM 2, com recolha de dados sociodemográficos e aplicação de escalas validadas: METER (avaliação da LS), QAD (avaliação da adesão à terapêutica), DES-SF (avaliação da capacitação) e EQ-5D (avaliação da QdVRS). Do processo clínico, recolheu-se informação relativa a complicações cardiovasculares, último valor de hemoglobina glicada (HbA1c), pressão arterial (PA) e colesterol LDL. Analisou-se a relação entre a LS e as complicações cardiovasculares, e variáveis sociodemográficas e complicações cardiovasculares, através do teste de Mann-Whitney, e a relação entre LS, adesão à terapêutica, capacitação e QdVRS através do teste de correlação de Spearman (scc).Resultados: Amostra de 150 pessoas com DM 2, dos quais 56,7% homens, com 67,0 ± 10,7 anos. Observou-se que uma maior LS se associa a uma menor prevalência de complicações cardiovasculares (p = 0,021), bem como uma maior adesão à terapêutica não farmacológica (scc = 0,179 p = 0,029), menor adesão à terapêutica farmacológica (scc = -0,175 p = 0,032), uma maior capacitação (scc = 0,241 p = 0,003) e uma maior QdVRS (scc = 0,266 p = 0,001). Uma maior formação associou-se a maior prevalência de EAM (p = 0,003) e menor de AVC (p = 0,020). Discussão: A relação entre uma maior LS e uma menor prevalência de complicações cardiovasculares pode dever-se ao facto de uma maior LS permitir uma melhor utilização e compreensão dos cuidados de saúde, que associada a uma maior adesão à terapêutica da DM 2 (também verificada neste estudo) e a uma maior capacitação para a doença, permite um maior controlo metabólico da DM 2, prevenindo assim complicações cardiovasculares. O stress psicossocial pode ajudar a explicar as diferenças encontradas na relação entre formação, EAM e AVC. A principais limitações do estudo são o tamanho da amostra, a amostra ser de conveniência, viés de memória e de desejabilidade nos inquiridos.Conclusão: Verificou-se uma relação estatisticamente significativa entre uma maior LS e uma menor prevalência de complicações cardiovasculares. Obteve-se ainda uma correlação positiva entre LS, adesão à terapêutica não farmacológica, capacitação e QdVRS e negativa entre LS e adesão à terapêutica farmacológica, e uma relação estatisticamente significativa entre uma maior formação e história prévia de EAM.
Introduction: The metabolic dysregulation linked to diabetes mellitus (DM) is associated with a functional deterioration of multiple organs and systems, mainly the cardiovascular system. Health literacy (HL) comprises a set of capacities of the individual, which allow him to use the health care in the most appropriate way and better manage his health, being a factor of extreme relevance in the control of DM, contributing to the prevention of cardiovascular complications.Objectives: To understand the relationship between HL and the prevalence of cardiovascular complications in people with type 2 DM. As a secondary objective, it is also intended to understand the relation of HL with empowerment, adherence to therapy and health-related quality of life (HRQoL), and the relation between sociodemographic variables and the prevalence of cardiovascular complications in people with type 2 DM. Material and methods: A cross-sectional observational study was carried out, using a convenience sample of people with type 2 DM with, sociodemographic data collection and validated scales: METER (HL evaluation), SDSCA (evaluation of adherence to therapy), DES-SF (evaluation of empowerment) and EQ-5D (HRQoL assessment). From the clinical process, information regarding cardiovascular complications, last value of glycated hemoglobin (HbA1c), blood pressure (BP) and LDL cholesterol was collected. The association between HL and cardiovascular complications, and sociodemographic variables and cardiovascular complications was analyzed through the Mann-Whitney test, and the relation between HL, adherence to therapy, empowerment and HRQoL through the Spearman correlation test (scc).Results: Sample of 150 people with type 2 DM, of which 56.7% were men, with 67.0 ± 10.7 years. It was observed that higher HL was associated with a lower prevalence of cardiovascular complications (p = 0.021), as well as greater adherence to non-pharmacologial therapy (scc = 0.179 p = 0.029), lower adherence to pharmacological therapy (scc = -0.175 p = 0.032), higher empowerment (scc = 0.241 p = 0.003) and higher QdVRS (scc = 0.266 p = 0.001). Higher education was associated with a higher prevalence of AMI (acute myocardial infarction) (p = 0.003) and lower prevalence of stroke (p = 0.020).Discussion: The relation between higher HL and a lower prevalence of cardiovascular complications may be due to the fact that an increased HL allows a better use and understanding of health care, which associated with a greater adherence to type 2 DM therapy (also verified in this study) and increased empowerment, allows a greater metabolic control of type 2 DM, thus preventing cardiovascular complications. Psychosocial stress may help to explain the differences found in the relation between formation, AMI and stroke. The main limitations of the study are: convenience sample and size, memory and desirability bias. Conclusion: There was a statistically significant association between a higher HL and a lower prevalence of cardiovascular complications. There was also a positive correlation between HL, adherence to non-pharmacological therapy, empowerment and HRQoL, and negative between HL and adherence to pharmacological therapy, and a statistically significant association between a higher formation and previous history of AMI.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89699
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Artigo científico - Literacia em saúde e doença cardiovascular na diabetes tipo 2.pdf1.15 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

5
checked on Sep 17, 2020

Download(s)

2
checked on Sep 17, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons