Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89675
Title: Adiar a maternidade: uma questão demográfica e contemporânea
Other Titles: Postponing motherhood: a demographic and contemporary issue
Authors: Nazaré, Patrícia Félix
Orientador: Pais, Ana Sofia Fernandes
Dias, Maria Margarida Oliveira Figueiredo
Keywords: Fertilidade; Idade materna; Envelhecimento; Preservação da fertilidade; Criopreservação; Fertility; Maternal age; Aging; Fertility preservation; Cryopreservation
Issue Date: 12-Mar-2019
Serial title, monograph or event: Adiar a maternidade: uma questão demográfica e contemporânea
Place of publication or event: Clínica Universitária de Ginecologia, Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra, Portugal
Abstract: Introdução: Nas últimas décadas, adiar a maternidade passou a ser uma realidade nos países desenvolvidos, devido a um alargado espetro de causas e condições, trazendo consigo inevitáveis consequências materno-fetais. As técnicas de preservação da fertilidade constituem um tópico cada vez mais em discussão no contexto do adiamento voluntário da gravidez.Materiais e métodos: Foi realizada pesquisa de publicações entre 2008 e 2018 através do Serviço da Biblioteca do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e do Serviço de Pesquisa da Biblioteca de Ciências da Saúde da Universidade de Coimbra, utilizando os termos MeSH “fertility preservation”, “aging”, “cryopreservation”, “maternal age”, “reproductive behavior”, “fertility” e “reproductive techniques, assisted”. Resultados: As razões que levam ao adiamento da maternidade são o maior investimento na educação e participação no mercado de trabalho, a dificuldade em estabelecer relações estáveis, a difusão dos métodos contracetivos, a insegurança financeira, a alteração dos valores e a insuficiência das políticas de apoio social. O aumento da infertilidade, da morte fetal sob a forma de abortamento espontâneo, nado morto ou gravidez ectópica, das anomalias cromossómicas, das gestações múltiplas, do parto pré-termo e das cesarianas são consequências médicas associadas. A revisão das políticas sociais, o fornecimento de informação sobre a fertilidade e a mudança de mentalidades são respostas possíveis para este fenómeno. As técnicas de preservação de fertilidade surgem como opção, mas não conseguem compensar totalmente o declínio da fertilidade associado à idade materna avançada.Conclusões: O adiamento da maternidade assenta essencialmente num conjunto de fatores sociais interligados e envolve riscos consideráveis para a saúde materno-fetal. É fundamental que os clínicos forneçam informação adequada acerca deste tema e ter em mente que as técnicas de preservação da fertilidade podem constituir uma falsa-esperança e contribuir para a perpetuação desta realidade.
Introduction: During the last decades, the postponement of motherhood became a reality in developed countries, due to an extensive spectrum of causes and conditions, leading to inevitable medical consequences, both maternal and fetal. Fertility preservation techniques constitute a matter of discussion in the context of voluntary delay of pregnancy.Methods: Research of articles published between 2008-2018 was taken through the Service of Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra Library and Research Service of the UC Health Sciences Library. The MeSH terms “fertility preservation”, “aging”, “cryopreservation”, “maternal age”, “reproductive behavior”, “fertility” and “reproductive techniques, assisted” were used.Results: The reasons that lead to the postponement of motherhood are the increasing investment in education and labor market participation, the difficulty in establishing stable relationships, the expansion of the contraceptive methods, the economic insecurity, the change of values and the poor social support policies. The increased infertility, fetal death (spontaneous abortions, stillbirth or ectopic pregnancy), chromosomal anomalies, multiple pregnancies, preterm birth and caesarean sections are associated medical consequences. The review of social policies, the provision of fertility related information and the change of mentalities constitute some possible answers to this phenomenon. The fertility preservation techniques appear as an option but cannot totally compensate the age-related fertility decline.Conclusion: The postponement of motherhood is essentially explained by a set of interconnected social factors and involves considerable risks for the maternal and fetal health. It’s crucial that clinicians provide appropriate information about this subject and realize that fertility preservation techniques may contribute to the perpetuation of this reality.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89675
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TRABALHO FINAL PFN.pdf770.49 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

12
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

2
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons