Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89674
Title: Os benefícios do planeamento avançado de cuidados: uma revisão sistemática
Other Titles: The benefits of advance care planning: a systematic review
Authors: Santos, Adriana Veloso dos
Orientador: Dourado, Marilia Assunção Rodrigues Ferreira
Keywords: Planeamento avançado de cuidados; Avaliação de resultados (cuidados de saúde); Cuidados em fim de vida; Benefícios; Economia; Advance care planning; Outcome assessment (health care); End-of-life care; Benefits; Economics
Issue Date: 19-Mar-2019
Serial title, monograph or event: Os benefícios do planeamento avançado de cuidados: uma revisão sistemática
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: O planeamento avançado de cuidados (PAC) pode definir-se como um processo que permite aos indivíduos com capacidade de decisão refletirem e definirem preferências de tratamento, em caso de doença grave futura, e discutirem estas preferências com os profissionais de saúde e familiares. A finalidade é que as suas preferências possam ser respeitadas caso o indivíduo perca a sua autonomia. Embora o interesse por este tema tenha crescido ao longo dos últimos anos, a verdade é que ainda não são evidentes quais os efeitos positivos que este tipo de intervenção pode ter. Assim, o objetivo deste trabalho é identificar os principais benefícios associados ao PAC.Métodos: Pesquisa nas bases de dados MEDLINE, Embase e Cochrane Library por artigos acerca do PAC publicados em língua inglesa entre janeiro de 2010 e setembro de 2018. A revisão manual da lista de referências dos artigos selecionados permitiu incluir outros artigos relevantes para o tema.Resultados: Da pesquisa resultaram 377 artigos, tendo sido incluídos nesta revisão 24 artigos, após aplicação dos critérios de elegibilidade. Treze referem-se a estudos experimentais, 10 a estudos observacionais e 1 a estudo de custo-efetividade. A maioria dos estudos decorreu nos EUA (71%).Discussão e conclusão: O planeamento avançado de cuidados, ao facilitar a ocorrência de uma discussão centrada na identificação dos valores morais e crenças do indivíduo, permitiu uma tomada de decisão mais consciente e esclarecida e uma maior estabilidade das preferências de tratamento em fim de vida, sem aumentar os níveis de ansiedade ou depressão no doente. A melhoria da comunicação, induzida pelo processo de PAC, possibilitou um maior conhecimento e cumprimento das preferências de tratamento do doente e desenvolveu a confiança dos familiares e dos profissionais de saúde. O PAC parece ter contribuído para a redução do número de mortes no hospital, nomeadamente em unidades de cuidados intensivos, assim como para o registo de documentos legais e para a diminuição dos custos associados aos cuidados de saúde. Contudo, o PAC não alterou significativamente o recurso aos serviços de saúde, a agressividade dos cuidados prestados e a satisfação, do doente e da família, com os cuidados recebidos. Muita investigação tem ainda de ser feita para que no futuro seja possível um programa para aplicação estruturada do PAC.
Introduction: Advance care planning (ACP) can be defined as a process that allows individuals who have decisional capacity to reflect and establish treatment preferences for future severe illness and to discuss these preferences with health-care professionals and family members. The purpose is that their preferences can be respected if the individual loses his autonomy. Although interest in this topic has grown over the last few years, the truth is that the positive effects that this type of intervention may have are not yet evident. Thus, the aim of this work is to identify the main benefits associated with ACP.Methods: Research in MEDLINE, Embase and Cochrane Library databases for articles on ACP published in English between January 2010 and September 2018. The review of the list of references allowed us to include other relevant articles to this matter.Results: The research resulted in 377 articles, and 24 articles were included in this reviewafter meeting inclusion criteria. Thirteen refer to experimental studies, 10 to observationalstudies, and 1 to a cost-effectiveness study. Most studies were conducted in the USA (71%).Discussion and conclusion: Advanced care planning, by facilitating the occurrence of a discussion centered on the identification of the individual's moral values and beliefs, allowed a more informed decision making and greater stability of treatment preferences at the end of life, without increasing anxiety or depression in the patient. The improvement in comunication induced by ACP conduced to a greater knowledge and compliance with the patient'streatment preferences and developed the confidence of family members and health-careprofessionals. ACP seems to have contributed to reduce the number of deaths in the hospital, particularly in intensive care units, to promote legal documentation and to reduce the costs associated with health care. However, ACP did not significantly affect the use of health services nor the aggressiveness of care provided as well as patient and family satisfaction with the care received. Much research has yet to be done so that in a near future a program for structured application of ACP would be possible.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89674
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TRABALHO_FINAL_MIM.pdf625.86 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

9
checked on Sep 17, 2020

Download(s)

1
checked on Sep 17, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons