Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89646
Title: Potencial efeito dos prebióticos na doença periodontal
Other Titles: Potential effect of prebiotics on periodontal disease
Authors: Spinache, Cristina
Orientador: Resende, Elisabete Cristina Peres
Domingues, Elsa Teresa
Matos, Sérgio Miguel Andrade
Keywords: prebióticos; polifenóis; ácidos gordos polinsaturados; arginina; microbioma oral, arâmetros clínicos, efeito imunoinflamatório, doença periodontal; prebiotics; polyphenols; polyunsaturated fatty acids; arginine; oral microbiome, clinical parameters, periodontal disease
Issue Date: 22-Jul-2019
Serial title, monograph or event: Potencial efeito dos prebióticos na doença periodontal
Place of publication or event: Universidade de Coimbra, Faculdade de Medicina
Abstract: Introdução: Quando existem condições que favorecem o crescimento de microrganismos patogénicos na cavidade oral, o desequilíbrio microbiano pode levar à incidência da doença periodontal. Vários métodos que têm como base a modulação do microbioma estão a ser utilizados para o tratamento e prevenção da doença periodontal de forma a manter a homeostasia. Os prebióticos surgem como uma nova abordagem para repor o equilíbrio na cavidade oral. Estes substratos modulam seletivamente o microbioma, e podem também melhorar a imunidade do hospedeiro, conferindo benefícios para a saúde. Objectivos: Estudar o potencial dos prebióticos de forma a entender o racional a nível biológico e avaliar a aplicabilidade clínica em doentes com doença periodontal através de uma pesquisa com uma metodologia de Revisão Sistemática. Metodologia: Foi estabelecida uma questão PICO: “Em pacientes com doença periodontal qual a ação dos substratos prebióticos, aplicados nas diversas formulações, comparado com a sua abstenção de utilização, através de uma avaliação quantitativa/qualitativa do microbioma, dos efeitos bioquímicos/imuno-inflamatórios e dos parâmetros clínicos?” A pesquisa eletrónica foi realizada nas bases de dados MEDLINE/PubMed, Embase e Cochrane com termos MeSH previamente definidos. Foram incluídas revisões sistemáticas, ensaios clínicos randomizados, estudos em animais e estudos in vitro publicados entre 1 de Janeiro de 2004 e 5 de Junho de 2019. Resultados: A pesquisa eletrónica gerou um total de 577 artigos, 30 satisfaziam os critérios de seleção: 1 revisão sistemática, 1 revisão sistemátia de estudos in vivo, ex vivo e in vitro, 5 ensaios clínicos randomizados, 9 estudos em animais, 14 estudos in vitro. Discussão: Os prebióticos mais estudados a nível da doença periodontal são os ácidos gordos polinsaturados e os polifenóis. O ómega 3 foi estudado em forma de suplementação mas não foram estudados os seus efeitos a nível direto na cavidade oral em indivíduos com doença periodontal. O resveratrol apresenta efeitos inibidores ao nível da contagem de certas bactérias porém ainda não foi estudado a nível clínico. Os taninos e os flavonoides apresentam estudos a nível do racional biológico e a nível clínico. A arginina é dos prebióticos menos estudados a nível da doença periodontal, apresentando efeitos benéficos na inibição de bactérias patogénicas. Conclusão: Os polifenóis e os ácidos gordos polinsaturados são os mais estudados a nível da doença periodontal. Dos ácidos gordos polinsaturados o ómega 3 é o que apresenta possíveis efeitos benéficos a nível do processo inflamatório, e possivelmente a nível dos parâmetros clínicos.Dos polifenóis os taninos e os flavonoides parecem ser os mais promissores, apresentando efeitos benéficos a nível do racional biológico e de alguns parâmetros clínicos.
In some conditions there may be an increase of pathogenic microorganims in the oral cavity that can disrupt the homeostasis, shifting the microbiome balance to periodontal disease. Several methods based on microbiome modulation are being used for the treatment and prevention of periodontal disease in order to maintain homeostasis The prebiotics arise as new approach to restore balance in the oral cavity. These substrates that are used selectively, modulate the microbiome, and may also enhancing host imunity, conferring health benefits to the host. Objectives: Know the potencial of prebiotics in order to understand the rational of the biologic level and evaluate the clinical applicability in pacientes with periodontal disease through a research with a systematic review methodology. Methodology: A PICO question was established: "In patients with periodontal disease what is the action of the prebiotic substrates, applied in the various formulations, compared to their abstention of use, through a quantitative / qualitative evaluation of the microbioma, biochemical / immunoinflammatory effects and clinical parameters?". The electronic search was performed on the MEDLINE / PubMed, Embase and Cochrane databases with previously defined MeSH terms. We included systematic reviews, randomized clinical trials, animal studies and in vitro studies published between 1 January 2004 and 5 June 2019. Results: The electronic research generated a total of 577 articles, 30 satisfying the selection criteria: 1 systematic review, 1 systematic review of in vivo, ex vivo and in vitro studies, 5 randomized clinical trials, 9 animal studies, 14 in vitro. Discussion: The prebiotics most studied in periodontal disease are polyunsaturated fatty acids and polyphenols. Omega 3 has been studied in the form of supplementation but its effects have not been studied directly in the oral cavity in individuals with periodontal disease. Resveratrol has inhibitory effects on the counts of certain bacteria but has not yet been studied clinically. Tannins and flavonoids present biological rationale studies and clinical studies. Arginine is one of the least studied prebiotics in periodontal disease, with beneficial effects on the inhibition of pathogenic bacteria. Conclusion: Polyunsaturated fatty acids and polyunsaturated fatty acids are the most studied in periodontal disease. In polyunsaturated fatty acids, omega-3 fatty acids have the potential to have beneficial effects on the inflammatory process, and possibly on clinical parameters. Of the polyphenols, the tannins and the flavonoids seem to be the most promising, presenting beneficial effects in the biological rationale and some clinical parameters.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina Dentária apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89646
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese Cristina Spinache.pdf674.47 kBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

2
checked on Jul 9, 2020

Download(s)

1
checked on Jul 9, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons