Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89621
Title: Depressão e ansiedade no pós-parto e experiência de amamentação
Other Titles: Postpartum depression and anxiety and breastfeeding experience
Authors: Silva, Ana Sofia Ferreira da
Orientador: Figueiredo, Inês Jorge de
Caetano, Inês Rosendo Carvalho e Silva
Keywords: Depressão no pós-parto; Experiência de amamentação; Duração de amamentação; Depressão na gravidez; Intenção de amamentar; Postpartum depression; Breastfeeding experience; Breastfeeding duration; Depression in pregnancy; Intention to breastfeed
Issue Date: 29-Mar-2019
Serial title, monograph or event: Depressão e ansiedade no pós-parto e experiência de amamentação
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: A amamentação constitui uma ferramenta essencial para o desenvolvimento dorecém-nascido, contribuindo para o seu crescimento saudável e para a criação de um vínculoemocional entre a criança e a mãe. Parece haver uma relação entre a amamentação e adepressão pós-parto, no entanto, a causalidade entre estes dois fatores está ainda poucoestudada.Objetivos: Pretende-se avaliar o impacto da ansiedade e da depressão durante a gravidezno tempo e experiência de amamentação em recém-mães e o impacto da intenção deamamentar na ansiedade e depressão perinatal, de forma a perceber melhor a possívelcausalidade entre estes fatores.Materiais e Métodos: Realizou-se um estudo de coorte com 100 mulheres, no período pósparto, residentes na região Centro de Portugal e seguidas em unidades de cuidados primáriosde saúde. Na consulta de seguimento dos 4 meses pós-parto, aplicou-se um questionário paraobter dados sociodemográficos e experiência de amamentação. Aplicou-se a Escala deDepressão, Ansiedade e Stress (DASS-21), a Escala de Rastreio de Depressão Pós-Parto(PDSS-21) e a Escala de Autoeficácia na Amamentação (versão reduzida Dennis 2003). Fezse análise estatística descritiva e inferencial. Aplicou-se ainda um modelo de regressão paraavaliar o impacto das variáveis estudadas na depressão-pós-parto.Resultados: No universo das 100 participantes, a percentagem de mulheres em risco dedepressão no pós-parto (PDSS >40) foi de 39%. Em relação à experiência de amamentação,73% das mulheres afirmou ter amamentado no pós-parto e 56% ainda amamentava nomomento do questionário. Os resultados obtidos sugerem uma tendência para haver menosrisco de depressão nas mulheres que pretendiam amamentar mais tempo, neste caso maisde seis meses. Há igualmente uma tendência para um menor risco de depressão no pós-partoentre as mulheres que ainda amamentam. Concluiu-se, também, que famílias nucleares(RR=0,119) parecem ser um fator protetor para a depressão pós-parto, assim como a intençãode amamentar em exclusividade durante 6 meses (RR=0,099). Em contrapartida, ter umdiagnóstico de depressão durante a gravidez aumenta em quase quatro vezes (RR=3,920) orisco de depressão no pós-parto.Discussão e Conclusão: Este trabalho apresenta como limitações o reduzido tamanho, mastambém o método de avaliação de depressão por escalas e os diferentes vieses inerentes àaplicação de questionários. Torna-se necessária a realização de estudos futuros em amostrasmais significativas, representativas da população, por forma a estudar melhor a relação entrea intenção de amamentar, e o seu tempo de exclusividade e não exclusividade, e a depressãono período pós-parto.
Introduction: Breastfeeding is a vital tool for the development of the newborn, contributing toits healthy growth and the creation of an emotional bond between mother and child. Thereseems to be a relationship between breastfeeding and postpartum depression, however, thecausality between these two factors is still poorly studied.Objectives: The aim of this study is to evaluate the impact of anxiety and depression duringpregnancy on the time and experience of breastfeeding in these women and the impact ofbreastfeeding intention on anxiety and perinatal depression in order to better understand thepossible causality between these factors.Materials and Methods: A cohort study was carried out with 100 women, in the postpartumperiod, living in the central region of Portugal and followed in primary care units. At the 4thmonth postpartum follow-up visit, a questionnaire was used to obtain sociodemographic dataand breastfeeding experience. The Depression, Anxiety and Stress Scale (DASS-21), thePostpartum Depression Screening Scale (PDSS-21) and the Breastfeeding Self-Efficacy Scale(Dennis 2003 reduced version) were applied. Descriptive and inferential statistical analysiswere performed. A regression model was also applied to evaluate the impact of the variablesstudied in postpartum depression.Results: Among the 100 participants, the percentage of women at risk of postpartumdepression (PDSS> 40) was 39%. Regarding the experience of breastfeeding, 73% of thewomen reported having breastfed postpartum and 56% still breastfed at the time of thequestionnaire. The results suggest a trend towards a lower risk of depression in women whointend to breastfeed longer, in this case more than six months. There is also a tendency for alower risk of postpartum depression among women who are still breastfeeding. It was alsoconcluded that nuclear families (relative risk = 0.119) appear to be a protective factor forpostpartum depression, as well as the intention to exclusively breastfeed for 6 months (relativerisk = 0.099). In contrast, having a diagnosis of depression during pregnancy increases therisk of postpartum depression by almost fourfold (relative risk = 3,920).Discussion and Conclusion: This work presents as limitations the small size, but also themethod of evaluation of depression using scales and the multiple bias inherent to theapplication of questionnaires. It is necessary to carry out future studies on more representativesamples of the population in order to better study the relationship between the intention tobreastfeed, and its time of exclusivity and non-exclusivity, and depression in the postpartumperiod.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89621
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Ana Sofia Silva trabalho final MIM.pdf1.15 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

17
checked on Jul 9, 2020

Download(s)

1
checked on Jul 9, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons