Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89605
Title: Relation between chronic urticaria and quality of life
Other Titles: Relação entre urticária crónica e qualidade de vida
Authors: Almeida, Ana Rita Henriques Cabral Lopes de
Orientador: Paiva, Bárbara Cecília Bessa dos Santos Oliveiros
Gonçalo, Maria Margarida Martins
Keywords: Urticária crónica; Qualidade de vida; Questionários; Depressão; Ansiedade; Chorinc urticaria; Quality of life; Questionnaire; Depression; Anxiety
Issue Date: 4-Jun-2019
Serial title, monograph or event: Relation between chronic urticaria and quality of life
Place of publication or event: Centro Hospitalar da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: A urticária crónica é uma doença dermatológica complexa de natureza multifatorial. Apresenta uma alta prevalência em todo o mundo e dela decorre um impacto significativamente negativo na vida dos doentes. O objetivo deste estudo é avaliar o impacto da urticária crónica na qualidade de vida dos doentes portugueses, assim como no seu bem-estar mental.Métodos: Este estudo observacional consistiu na avaliação de doentes portugueses, seguidos em consulta externa de urticária no Centro Hospital Universitário de Coimbra, tendo como instrumento de estudo os seguintes questionários: avaliação da atividade clínica da doença (UAS7), controlo da urticária (UCT), questionário de qualidade de vida em dermatologia (DLQI), questionário de qualidade de vida na urticária (CU-Q2oL) e escala hospitalar de depressão e ansiedade (HADS). Estes resultados foram analisados e os dados relativos à qualidade de vida e ao estado de ansiedade e depressão foram relacionados com os parâmetros sociodemográficos da amostra assim como com os aspetos clínicos da urticária. Resultados Foram estudados 112 doentes, maioritariamente do sexo feminino (80%) com idade média de aproximadamente 46 anos, sofrendo a maioria de urticária crónica leve (de acordo com UAS7) e mal controlada (85%), segundo a classificação da UCT. Usando ambas as escalas CU-Q2oL e DLQI, obtivemos valores médios para cada, respetivamente 48.98 (±19.53), e 7.23 (±7.67), que demonstraram um alto impacto da qualidade de vida destes doentes, assim como uma relação significativa como os valores de HADS, encontrados nos doentes ansiosos (45 doentes) e deprimidos (22 doentes). Encontrou-se uma forte correlação positiva entre as escalas DLQI e CU-Q2oL e, de acordo a sua análise, o prurido, número de pápulas, qualidade de sono e vergonha causada pelas lesões cutâneas são os parâmetros de qualidade de vida mais afetados na amostra em estudo. A qualidade de vida destes doentes varia significativamente com o género, grau de instrução, severidade clinica e grau de controlo da doença. Apesar de nem sempre relacionada diretamente, a atividade clínica da doença permanece como o fator mais significativo na qualidade de vida. Ansiedade e depressão apresentaram uma relação considerável com a qualidade de vida, no entanto não foi encontrada relação significativa entre o estado psicológico e a severidade da doença.Discussão Os questionários de autopreenchimento incluídos neste estudo revelaram-se bastante práticos e eficazes na avaliação clínica de doentes com urticária cónica. As características sociodemográficas dos participantes assim como a sua influência nos níveis de qualidade de vida está de acordo com a literatura consultada. Novos resultados foram encontrados relativamente ao grau de instrução. Os parâmetros de qualidade de vida mais afetados na nossa amostra são em parte discordantes com estudos realizados em outras populações, o que destaca a importância do ambiente em que o doente se insere. Esta investigação vem ainda corroborar estudos anteriores no concerne ao impacto significativo da atividade clínica da urticária e do estado emocional na sua qualidade de vida da pessoa.Conclusão: Nos doentes portugueses com urticária crónica, é essencial estabelecer-se uma abordagem integrada que englobe tanto o controlo clínico da urticária, como o controlo da sintomatologia psicológica a ela associada.
Introduction: Chronic urticaria is a complex multifactorial dermatological disease. It is highly prevalent throughout the world and contributes to lower patients’ quality of life. The purpose of this study is to evaluate the impact of chronic urticaria on the quality of life (QoL) and mental status in Portuguese patients. Methods: This observational study included the evaluation of Portuguese patients from the consultation of chronic urticaria in the Coimbra University Hospital Centre, using several questionnaires including: weekly urticaria activity score (UAS7), Urticaria Control Test (UCT), Dermatology Life Quality Index (DLQI), Chronic Urticaria Quality of Life Questionnaire (CU-Q2oL) and the Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS). The results of the questionnaires were posteriorly analysed, and the quality of life and mental status assessed in these patients were correlated with sociodemographic parameters and clinical aspects of chronic urticaria.Results: We studied 112 patients, mainly female (80%), with an average age of 46 years, mostly classified with mild urticaria activity, according to UAS7, and the majority (85%) were poorly controlled, regarding the UCT classification. Using both CU-Q2oL and DLQI we obtained mean values of 48.98 (±19.53) and 7.23 (±7.67), respectively, that show a high impact on the QoL. CU also interferes with mental status values in HADS concordant with anxiety (in a total of 45 patients) and depression (in 22 patients). A strong and positive correlation was found between both instruments used to measure quality of life, with pruritus, number of papules, quality of sleep and the embarrassment caused by cutaneous lesions as the mostly affected parameters in our sample. QoL varies significantly with gender, degree of instruction, clinical severity of symptoms and level of disease control. Although not always directly related, clinical activity of the disease remains the most significant factor of patients' QoL. Anxiety and depression show a significantly relationship with quality of life, however it was not found a significant correlation with the urticaria clinical activity.Discussion: Patient-Reported Outcomes (PRO) proved to be a practical and effective tool in daily clinic assessment of Portuguese patients suffering from chronic urticaria. The variation of quality of life according to sociodemographic characteristics is in conformity with literature. Moreover, new results were achieved regarding the level of instruction. The mostly impaired domains in our sample’s QoL are not totally identical to previous studies, which suggests a meaningful effect of the geographic location. This investigation supported the significant influence of clinical activity of the urticaria and psychological well-being in QoL as previously published. Conclusion: In Portuguese patients with urticaria, it is essential to establish an integrated approach that encompasses the clinical control of urticaria, but also the control of the associated psychological symptomatology.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89605
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese de Mestrado Ana Almeida.pdf2.13 MBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

21
checked on Jul 9, 2020

Download(s)

1
checked on Jul 9, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons