Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89581
Title: Evaluation of implant characteristics after implantoplasty - in vitro study
Other Titles: Análise das características do implante após implantoplastia - estudo in vitro
Authors: Varela, Carolina Figueiredo
Orientador: Ramos, João Carlos Tomás
Martins, Orlando Paulo Moreira
Keywords: peri-implantite; implantoplastia; implantes dentários; modo de fratura; tratamento; Peri-implantitis; implantoplasty; dental implants; fracture mode; treatment
Issue Date: 22-Jul-2019
Serial title, monograph or event: Evaluation of implant characteristics after implantoplasty - in vitro study
Place of publication or event: Departamento de Medicina Dentária da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: A implantoplastia é uma opção terapêutica usada no tratamento da peri-implantite. Este procedimento consiste na remoção da superfície externa, contaminada, do implante, conduzindo a uma superfície menos propícia à adesão do biofilme.Objetivo: Avaliar o impacto da implantoplastia na resistência do implante à fratura. Quantificar a perda de estrutura após implantoplastia e avaliar a sua influência na resistência do implante.Metodologia: Vinte e seis implantes foram divididos em dois grupos: (Grupo Teste; GT - com implantoplastia; n=13) e (Grupo Controlo; GC - sem implantoplastia; n=13). A cada implante do grupo teste foi feito o scan, antes e após a implantoplastia, determinando-se assim a diferença de volume (volume difference - VD). Com recurso a um paquímetro digital foi determinado, para o (GT), a diferença de diâmetro do implante pré e pós implantoplastia (DD). Ambos os grupos foram submetidos a testes de compressão, avaliando as alterações da resistência à fratura. Cada variável foi analisada de modo a investigar a existência de diferenças estatisticamente significativas em ambos os grupos e a correlacionar a perda de volume e de diâmetro com a resistência à fratura.Resultados: No GT foi possível determinar um VD de 11,480±2,436. No mesmo grupo o DD foi de 0.305±0.084mm. No GC a média da força máxima aplicada foi Fmáx (798,724N ± 213,282N) e no GT de (815,466N ± 105,712N). Não se verificou correlação estatisticamente significativa entre o volume e a Fmáx nos implantes do GT, nem entre o diâmetro e a Fmáx.Discussão e Conclusão: Tendo em conta as limitações do presente estudo, a implantoplastia não mostrou uma influência significativa na resistência dos implantes aos testes de compressão. Contudo, os modos de falha do GT mostraram um maior grau de severidade. Os resultados sugerem que o VD e o DD não influenciaram a resistência do implante à fratura. Porém, não foi possível estabelecer uma correlação estatisticamente significante entre cada uma das medidas e a Fmáx.
Introduction: Implantoplasty (IP) is a possible treatment for peri-implantitis which consists on the removal of contaminated external surface of the implant, leading to a less suitable surface for biofilm formation. However, the physical alterations created have biomechanical consequences.Objetive: Quantify the lost structure after implantoplasty and evaluate its impact on the resistance to fracture of the implant. Methodology: 26 implants were randomly divided into two groups: (Test Group – implantoplasty; n=13) and (Control Group, CG- without implantoplasty n=13). Each implant of the TG was scanned before and after implantoplasty, to determine the difference in volume VD. Using a digital pachymeter it was determined the DD pre and post implantoplasty for the TG. Both Control and Test group were submitted to compression test, to evaluate its resistance to fracture. With adequate statistical tests, each variable was analyzed to prove if there was any statistically significant difference between both groups and correlate the reduction in volume with resistance to fracture.Results: In the TG it was analyzed a VD of 11,48 ±2,436mm³. In the same group the DD was 0.305±0.084mm. In the CG the mean Fmax (798,724 ± 213,282N) and Test group (815,466± 105,712N). It wasn’t verified a statistically significant correlation between VD and Fmax in the GT, neither with DD and Fmax. Discussion and Conclusion: Within the limitations of this study, implantoplasty didn’t show a significant difference in maximum force supported by the implant before fracture. However, the mode of failure in TG were more severe. DD and VD didn’t influence the maximum forces achieved by the implants, but it was not possible to establish statistically significant correlation.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina Dentária apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89581
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese (pdf) Carolina Varela.pdf1.11 MBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

28
checked on Sep 17, 2020

Download(s)

2
checked on Sep 17, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons