Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89566
Title: Estado da Arte na Utilização e Preservação dos Aloenxertos Osteocartilagíneos em Ortopedia
Other Titles: State Of Art In The Use And Preservation Of Osteochondral Allografts In Ortopedy
Authors: Cunha, Rui Duarte Teixeira
Orientador: Judas, Fernando João Monteiro
Oliveira, João Pedro Moreira de
Keywords: Aloenxertos Osteocartilagíneos; Preservação de Aloenxertos; Reparação Cartilagínea; Banco de Tecidos Ósseos; Osteochondral Allografts; Preservation; Cartilage Repair; Tissue bank
Issue Date: 13-Jun-2019
Serial title, monograph or event: Estado da Arte na Utilização e Preservação dos Aloenxertos Osteocartilagíneos em Ortopedia
Place of publication or event: FMUC
Abstract: Osteochondral lesions represent one of the largest groups of injuries worldwide due to arthrosis, trauma, oncological surgery or joint infection.Cartilage damage is responsible for the morbidity associated with these lesions and the regenerative potential of articular cartilage is insufficient. Mainly because of the formation of fibrocartilage and its inability to restore normal joint function, with the lesion progressing and often the necessity of a total or partial arthroplasty as definitive treatment.The larger the area of the lesion, the lower the indication for autologous therapies by iatrogeny at the place of harvest. As an effective alternative, allogeneic transplants that preserve viable hyaline cartilage can restore the joint function.This hyaline cartilage must be mature, with viable chondrocytes, which can maintain metabolic activity and its extracellular matrix to be successful in the medium/long term.Several methods have been developed and tested which differences are based on the conservation protocol, temperature, medium and the duration of conservation that can ensure counts above 70% of viable chondrocytes.After a critical evaluation of the available literature it can be concluded that Missouri Osteochondral Allograft Preservation System (MOPS) has superior results when compared to the standard of care that is used worldwide by tissue banks and other protocols studied in this work. .
As lesões osteocartilagineas representam um dos maiores grupos de lesões a nível mundial sendo por artrose, trauma, cirurgia oncológica ou infeção articular.O dano cartilagíneo é responsável pela morbilidade associada a estas lesões e o potencial regenerativo da cartilagem articular é insuficiente. Principalmente pela formação de fibrocartilagem e pela sua incapacidade de restituir uma função articular normal, havendo progressão da lesão e recorrendo-se muitas vezes a artroplastias totais ou parciais como tratamento definitivo.Quanto maior a área da lesão, menor a indicação das terapêuticas autólogas por iatrogenia no local da colheita. Como alternativa eficaz, surgem os transplantes alógenos que apresentam cartilagem hialina viável e restituem a funcionalidade articular.Esta cartilagem hialina tem de ser madura, com condrócitos viáveis, que mantenham a atividade metabólica e a sua matriz extracelular para terem sucesso a médio/longo prazo. Foram desenvolvidos e testados vários métodos que se diferenciam pelo protocolo de conservação dos mesmos, no qual a temperatura, o meio e a duração da conservação com contagem condrocitária viável acima dos 70%, são pontos chave.Após uma avaliação crítica da literatura disponível conclui-se que Missouri Osteochondral Allograft Preservation System (MOPS) apresenta resultados superiores quando comparado ao método padrão utilizado pelos bancos de ossos a nível mundial e a outros protocolos estudados neste trabalho. .
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89566
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Rui Cunha - Trabalho Final do MIM v2.pdf12.99 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

17
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

7
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons