Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/88121
Title: Incêndio da Sertã de 15/10/2017
Other Titles: Sertã fire of 10/15/2017
Authors: Mendes, Luís Filipe Leitão Delgado
Orientador: Viegas, Domingos Xavier Filomeno Carlos
Canhoto, Jorge Manuel Pataca Leal
Keywords: incêndio; Sertã; 15 de Outubro; downdraft; ocorrências dolosas; forest fire; Sertã; October 15th; downdraft; willful occurrences
Issue Date: 20-Sep-2019
Serial title, monograph or event: Incêndio da Sertã de 15/10/2017
Place of publication or event: DCV, DEM
Abstract: A situação vivida em Portugal no dia 15 de outubro em que o país ultrapassava um período de seca prolongada e na entrada para um período em que o dispositivo operacional se encontrava parcialmente desmobilizado, um fenómeno meteorológico muito pouco usual o furacão Ophelia produziu em todo o País, mas de modo especial na região central, ventos muito fortes e secos que potenciaram centenas de ignições que se registaram nesse dia, produzindo vários incêndios que, no seu conjunto, destruíram mais de 220 mil hectares em menos de 24 horas, o que constitui um recorde para Portugal. Nas zonas afetadas pelos incêndios de 15 de outubro, o teor de humidade dos combustíveis finos foi significativamente inferior a 10%, chegando mesmo a atingir valores muito próximos dos 5%, estando assim criadas condições de perigo extremo de incêndio.Considerando todas as ocorrências que se desenvolveram nesta zona da Sertã, na RCP, ao longo do Verão de 2017 e em anos transatos era de imaginar que um cenário destes podia ocorrer, visto que já em Julho tinham ardido o concelho de Sertã, Proença-a-Nova, Mação, Gavião e Nisa derivado á ação dolosa e pirómana que por aqui atuava, com uma grande indignação da população residente e autoridades locais.É duvidoso que a existência de mais recursos operacionais, incluindo meios aéreos, pudesse ter feito uma grande diferença, perante o local, relevo e condições de propagação onde o incêndio se desenvolveu inicialmente no dia 15 de Outubro.A própria tarefa de defender pessoas e bens foi limitada pela dificuldade de acessos, povoações dispersas e tipo de floresta e vegetação onde o fogo se desenvolveu inicialmente e progrediu posteriormente, juntando ao facto de o fogo se ter desenvolvido numa zona ascendente, com efeito chaminé, o que originou ainda mais dificuldades de colocar onde fossem requeridos os meios de proteção aos aglomerados populacionais, pois o combate foi a partir da primeira hora do incêndio totalmente impossível devido à intensidade da frente e flancos do incêndio.Considera‐se a inexistência de vítimas entre as forças de proteção civil como algo extremamente positivo, mas houve danos graves em veículos destas forças. O mesmo não se pode dizer, infelizmente, em relação à população civil, tendo que se lamentar 2 vítimas mortais neste incêndio, feridos leves e graves, como por exemplo na aldeia de Fajão, onde inúmeros feridos com lesões graves e leves se registaram e ainda a juntar a tudo isto, muitos animais mortos ao longo de todo o incêndio.A rapidez com que este incêndio progrediu constituiu um elemento de surpresa, tanto para os operacionais como para a população, mesmo para pessoas que tinham uma longa experiência dos incêndios nesta zona assolada pelos incêndios de 2003. O facto de que uma parte importante da propagação do incêndio ter ocorrido durante a noite de 15 para 16, contribuiu para que as vítimas tivessem sido surpreendidas pelo fogo quando já estavam recolhidas em casa a dormir, não tendo sequer tempo para sair dos respetivos quartos e ficando incapacitadas de sair das próprias casas devido a esta mesma já estar tomada pelo fogo.A prática, que tem sido implementada pelas autoridades, de ordenar evacuações massivas de aldeias e lugares ameaçados, embora possa ser justificável numa perspetiva de salvaguarda de vidas, para mim foi errada pois encontrei inúmeras pessoas que fugiram das localidades onde residiam com a zona em chamas, com o intuito de serem evacuadas e nestes sítios dispersos se não estiver bem planeado e não for executada com muita antecedência o que era difícil de suceder devido á propagação do incêndio e acessos rodoviários desta região, pode ser um fator de uma tragédia ainda maior. Este incêndio ocorrido em 15 de outubro nesta região, causou danos ambientais no património edificado e noutros bens materiais, numa escala nunca antes vista, com particular destaque nas Aldeias de Xisto de Álvaro e de Fajão em que se registou uma autêntica catástrofe de incêndio urbano.
The situation experienced in Portugal on October 15, when the country was over a period of prolonged drought and at the entrance to a period when the operational device was partially demobilized, a very unusual weather phenomenon the hurricane Ophelia produced throughout the country, but especially in the central region, very strong and dry winds that ignited hundreds of ignitions that occurred on that day, producing several fires that together destroyed more than 220,000 hectares in less than 24 hours, which is a record for Portugal. In the areas affected by the 15 October fires, the moisture content of the fine fuels was significantly below 10%, even reaching very close to 5%, thus creating extreme fire hazard conditions.Considering all the occurrences that developed in this area of Sertã, in CPR, during the summer of 2017 and in previous years, it could be imagined that such a scenario could occur, since already in July the municipality of Sertã had burned down, Proença-a -Nova, Mação, Gavião and Nisa derived from the malicious fire human action that acted here, with a great indignation of the resident population and local authorities.It is doubtful whether more operational resources, including air assets, could have made a big difference, given the location, relief and propagation conditions where the fire initially developed on 15 October.The very task of defending people and property was limited by the difficulty of access, scattered settlements and the type of forest and vegetation where the fire initially developed and later progressed, in addition to the fact that the fire developed in a rising area with chimney effect and this made it even more difficult to place where the means of protection of the settlements were required, as the combat was from the first hour of the fire totally impossible due to the intensity of the front and flanks of the fire.The absence of casualties among the civil protection forces is considered extremely positive, but there has been serious damage to vehicles of these forces. Unfortunately, the same cannot be said for the civilian population, with two deadly victims to be mourned in this fire, minor and serious injuries, such as in the village of Fajão, where numerous serious and minor injuries were recorded and still, and in addition to all this, many dead animals throughout the fire. The rapidity with which this fire has progressed has come as a surprise to both the operating and the population, even to those who have had a long experience of the fires in this 2003 fire-ravaged area. The fact that a large part of the spread of the fire occurred at night from 15 to 16 contributed to the victims being surprised by the fire when they were already sleeping at home, not even having time to leave their rooms and being unable to leave their homes because it is already taken by fire.The practice, which has been implemented by the authorities, of ordering massive evacuations of threatened villages and places, although it may be justifiable from a life-saving perspective, was wrong for me because I found countless people who fled the villages where they lived with the area on fire, in order to be evacuated and in these scattered sites if not well planned and not executed well in advance which was difficult to succeed due to the spread of fire and road access in this region, can be a factor in an even greater tragedy. This fire, which occurred on October 15 in this region, caused environmental damage to the built heritage and other material assets on a scale never seen before, particularly in the Schist Villages of Álvaro and Fajão, where there was a real urban fire catastrophe.
Description: Dissertação de Mestrado em Biodiversidade e Biotecnologia Vegetal apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/88121
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Dissertação Luís Filipe Leitão Delgado Mendes.pdf12.34 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

45
checked on Jul 2, 2020

Download(s)

31
checked on Jul 2, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons