Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/87895
Title: O Envelhecimento do Crânio: Contributos para a estimativa da idade à morte em adultos idosos
Other Titles: Skull Aging: Contribution to the estimation of age at death in elderly adults
Authors: Teixeira, Flávia Patrícia Carapeto
Orientador: Cunha, Eugénia Maria Guedes Pinto Antunes da
Keywords: idade à morte; alterações degenerativas cranianas; idades avançadas; Age at death; cranial degenerative changes; elderly
Issue Date: 20-Sep-2019
Serial title, monograph or event: O Envelhecimento do Crânio: Contributos para a estimativa da idade à morte em adultos idosos
Place of publication or event: DCV
Abstract: Uma das maiores dificuldades da Antropologia Forense prende-se com a estimativa da idade à morte em adultos, com idade superior a 30 anos. O crânio caracteriza-se por ser o elemento ósseo com mais relevância, uma vez que sustenta as principais funções do corpo humano. É também uma zona anatómica relativamente fácil de estudar sendo, normalmente, a primeira parte do corpo a esqueletizar, constituindo um dos achados mais frequentes em antropologia forense. Os objetivos deste trabalho são (1) identificar as alterações degenerativas que ocorrem no crânio, (2) tentar uma avaliação quantitativa dessas mudanças e verificar qual a sua correlação com o grupo etário, (3) apurar a assertividade desses indicadores na estimativa da idade. Foram analisados um total de 452 crânios, sendo 302 da Coleção de Esqueletos Identificados do séc. XXI e 150 da Coleção de Esqueletos Identificados da Universidade de Coimbra. Cada crânio foi avaliado individualmente analisando as seguintes características: peso, depressão nas fossas caninas, transparência dos ossos cranianos, osteoartrose nas articulações cranianas, atrofia biparietal, T sincipital e grau de obliteração das suturas. Esta investigação pretende avaliar a eficácia destes indicadores para a estimativa da idade em adultos, podendo constituir uma mais valia para a área da Antropologia Forense.A maioria dos indicadores estudados mostrou uma relação moderada com a idades, destacando-se a reabsorção alveolar e o grau de osteoartrose observado nos côndilos occipitais. A profundidade das fossas caninas, a transparência no frontal e parietais, a atrofia biparietal e o T sincipital, são as variáveis que não apresentam relação significativa com a idade.Este é um primeiro estudo sobre indicadores de envelhecimento do crânio, que carece de continuação, nomeadamente, mais estudos em outras coleções osteológicas identificadas ou mesmo em bases de dados imagiológicas.
One of the greatest difficulties of Forensic Anthropology is the estimation of age at death in adults over 30 years. The skull is characterized by the anatomical zone with more relevance, since it supports the main functions of the human body. Moreover, it is also relatively easy to study, being usually the first part of body to be skeletonized, and one of the most frequent findings in forensic anthropology. The aims of this study are to (1) identify the degenerative changes that occur in the skull, (2) to attempt a quantitative evaluation of these alterations and to verify their correlation with the age group, (3) to verify the assertiveness of these indicators in the estimation of the age group. A total of 452 skulls were analyzed, of which 302 were from the 21st Century Identified Skeletal Collection and 150 from the Coimbra Identified Skeletal Collection. Each skull was assessed individually by analyzing the following characteristics: weight, depression in the canine fossae, cranial bone transparency, osteoarthrosis in the cranial joints, biparietal thinning, sincipital T and degree of obliteration of the sutures. This research intends to evaluate the effectiveness of the degenerative changes of the skull for the estimation of age in adults, which can be an asset for the area of Forensic Anthropology.The majority of the indicators studied showed a moderate relation with the age, being outstanding the alveolar resorption and the degree of osteoarthrosis observed in the occipital condyles. On the other hand, the depth of the canine fossae, transparency of the cranial bones, biparietal thinning and sincipital T are the variables that do not present significant relationship with age.So far, this is the first study about these indicators which need further studies in other identified osteological collections or even in imaging databases.
Description: Dissertação de Mestrado em Antropologia Forense apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/87895
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE_FlaviaTeixeira.pdf2.92 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

405
checked on Sep 27, 2022

Download(s)

129
checked on Sep 27, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons