Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/87885
Title: Saúde e Solidão: As relações entre demência e solidão na população idosa da Região Centro
Other Titles: Loneliness and Health: relations between dementia and loneliness in old people from Center of Portugal
Authors: Silva, Daniela Madeira Soares Nunes da
Orientador: Alvarez, Maria Manuela Pratas
Keywords: Demência; Solidão; Declínio Cognitivo; Envelhecimento; Saúde Pública Mental; Dementia; Loneliness; Cognitive Decline; Aging; Mental Public Health
Issue Date: 20-Sep-2019
Serial title, monograph or event: Saúde e Solidão: As relações entre demência e solidão na população idosa da Região Centro
Place of publication or event: DCV
Abstract: As consequence of increased longevity in the population, the prevelence of diseases related to aging has been rising significantly. Dementia is one of those diseases, which is defined as a abnormal cognitive decline and detrioration in the ability to maintain everyday activities. From the risk factors already known, loneliness has been the most recently sucecessfully linked to dementia. The main objective of this study was to verify if loneliness had any statistically significant association with cognitive decline in a population sample collected urban, periurban and rural areas from Center of Portugal. Seventy-two (72) elderly people were assessed for cognitive decline and other psychosocial variables using, respectivally, the Mini Mental State Examination and the UCLA Loneliness, Subjective Well-Being Scale, Rosenberg Self-Esteem Scale, Positive and Negative Afection Scale, Lubben Social Network Scale and the Geriatric Depression Scale. For the study of association between variables was applied the Mutiple Regression Scale test with the help of IBM Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) Software, version 23.The results of the Mutiple Linear Regression showed that 37,4% of the variability of Mini Mental State Examination results can be explained by education level, negative affectivity and depressive symptomatology (F = 13,514; ρ < 0,001; R2 = 0,374). Loneliness was excluded from the predictive model for not showing any significant association with the cognitive decline observed in the sample. The highest levels of loneliness were found in rural areas, with a average score of 31.24 (DP = 12,647), along with a higher incidence of cognitive decline (66,7%).
Como consequência do aumento da longevidade na população, a prevalência de doenças associadas ao envelhecimento biológico tem aumentado, significativamente. A demência é uma dessas doenças, que se define pelo declínio cognitivo anormal e da deterioração da capacidade para manter as atividades do dia-a-dia. Dos vários fatores de risco já identificados, a solidão foi o que, mais recentemente, tem sido associado com sucesso à demência. O objetivo principal deste estudo foi verificar a existência de uma associação estatística significativa entre o sentimento de solidão e o declínio cognitivo, numa amostra populacional recolhida em zonas urbanas, periurbanas e rurais do território da Região Centro de Portugal. Foram estudados 72 idosos avaliados para o declínio cognitivo e para outras variáveis psicossociais com recurso, respetivamente, ao Mini Mental State Examination e às escalas de Solidão da UCLA, de Bem-Estar Subjetivo, de Autoestima de Rosenberg, de Afetividade Positiva e Negativa, Breve de Redes Sociais de Lubben e a Escala de Depressão Geriátrica. Para o estudo de associação entre variáveis foi aplicado o teste de Regressão Linear Múltipla, com o auxílio do software IBM Statistic Package for the Social Sciences, versão 23. Os resultados da Regressão Linear mostraram que 37,4% da variabilidade dos resultados obtidos no Mini Mental State Examination podem ser explicados pelo nível de escolaridade, pela afetividade negativa e pela sintomatologia depressiva (F = 13,514; ρ < 0,001; R2= 0,374). A solidão foi excluída do modelo preditivo por não mostrar associação significativa ao declínio cognitivo observado na amostra. Os níveis de solidão mais elevados registaram-se nas zonas rurais, com um score médio de 31,24 (DP=12,647), a par com uma maior incidência de declínio cognitivo (66,7%).
Description: Dissertação de Mestrado em Antropologia Médica e Saúde Global apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/87885
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Daniela Madeiras Soares NUnes da Silva.pdf1.34 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

240
checked on Sep 27, 2022

Download(s)

267
checked on Sep 27, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons