Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/85465
Title: Os eventos como fator de valorização e dinamização do Património: o caso das Capitais Europeias da Cultura
Other Titles: Events as a triggering factor for the enhancement and boosting of Heritage: the European Capitals of Culture
Authors: Martins, Fabiana Nobre Pinto 
Orientador: Cravidão, Fernanda Maria da Silva Dias Delgado
Keywords: Capitais Europeias da Cultura; criatividade; evento; turismo cultural; creativity; European Capitals of Culture; event; cultural tourism
Issue Date: 30-Jan-2017
Serial title, monograph or event: Os eventos como fator de valorização e dinamização do Património: o caso das Capitais Europeias da Cultura
Place of publication or event: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Abstract: Culture comprises every type of artistic and technical expression, created by man. According to the Social Sciences, the beliefs, arts, traditions, behaviours and knowledge, which define the term, are part of the human legacy and give meaning to the persevering tangible and intangible heritage, commonly called cultural heritage.The search for culture, either for leisure or knowledge purposes, is ever-present in people’s lives, who often travel to remote locations and adjust their free time in order to satisfy this need. This led to the proliferation of culture-oriented journeys, and to the emergence of ‘cultural tourism’ as a concept to be studied in light of sociology, anthropology and other social sciences. The analysis of these dynamics contributes to the identification of economic and behaving trends, important to the development of the tourist trade. Cultural tourism, often considered one of the largest and most important tourism segments in the world, as well as a key element for the tourist system, has registered, over the last few decades, a notable growth and progress. Several factors contributed to this phenomenon, namely the increasing appreciation of cultural heritage, which has been sought by a significant amount of tourists who want to visit culturally relevant sites, away from their familiar surroundings.But tourism, as an economic sector and a social practice, is at the mercy of the cultural conditions of the modern society: the economic and social changes that characterize the contemporary world influence considerably its development and growth. This affiliation, in turn, has impacts on the preferences and tourist consumption styles, brings consequences for the cultural heritage, and carries changes on the behavior of the cultural tourist.In recent years, cultural tourists have preferred tourism practices different from the traditional ones – creative tourism, as it is called, bases its supply on experiences of high cultural and educational value, which are dependant of the active engagement of the tourists to subsist, as well as the sense of co-creation between producers and consumers. The concept, relatively new, has gained prominence in the tourist sector, due to its originality and distinctive initiatives. Creative tourism can display itself through several delivery forms, one of them events. Events are presented as one of the solutions for the problems and fragilities of cultural tourism, and as the central subject of this dissertation, addressing the European Capitals of Culture (ECC) as a case study. A chronological analysis of the event, in which three specific cases are examined – Athens 1985, Glasgow 1990 e Guimarães 2012 – shows all the different changes the program has suffered through its thirty years of existence, the various impacts it can bring to the host cities, and the important role that organizing events can have in boosting, exploring and producing culture. The evolution of the event, similar to the evolution of the European cultural tourism, proves that the concept of tourism, culture and event are not static and that there is room for creative development.
Cultura engloba todos os diferentes tipos de expressão artística e técnica criados pelo homem. De acordo com as Ciências Sociais, as crenças, artes, costumes, comportamentos e saberes que definem o termo, fazem parte do legado da Humanidade e dão significado às heranças tangíveis e intangíveis perseverantes, comummente designadas por património cultural. A procura por cultura é constante – seja por motivos de lazer ou para adquirir conhecimentos, a cultura faz parte do quotidiano das pessoas, muitas das quais deslocam-se a locais longínquos ou moldam os seus tempos livres de forma a satisfazerem esta necessidade. Com o aumento destas deslocações, surgiu o conceito de ‘turismo cultural’ e a urgência em estudá-lo à luz da sociologia, antropologia e outras áreas sociais. Analisar estas dinâmicas contribui para a identificação de tendências económicas e comportamentais, relevantes para o desenvolvimento da atividade turística.O turismo cultural, frequentemente considerado como um dos maiores e mais importantes segmentos turísticos a nível global e um elemento essencial para o sistema turístico, registou nas últimas décadas um notável crescimento e progresso. Este fenómeno encontra explicação em vários fatores, nomeadamente na crescente valorização que o património cultural sofreu, vindo a ser procurado por um significativo número de turistas que procura visitar e conhecer locais detentores de relevância cultural, deslocando-se para isso a destinos fora do seu quotidiano habitual.Mas o turismo enquanto setor económico e prática social, está à mercê das condições culturais da sociedade moderna: as mutações sociais e económicas que caracterizam o mundo contemporâneo influenciam seriamente o desenvolvimento e crescimento do setor. Esta relação, por sua vez, tem impactos nos gostos e estilos de consumo turístico, e acarreta consequências para o património cultural e alterações no comportamento do turista cultural. Nos últimos anos, o turista cultural tem vindo a preferir práticas turísticas diferentes das tradicionais – o turismo criativo, como foi apelidado, baseia a sua oferta em experiências de alto valor cultural e instrutivo, as quais dependem da participação ativa dos turistas para subsistirem, bem como do sentido de cocriação estabelecido entre produtores e consumidores. O conceito, relativamente recente, ganhou destaque no setor turístico, primando pela originalidade e iniciativas diferenciadoras. O turismo criativo pode ser praticado de várias formas, sendo uma delas os eventos, uma das soluções propostas os problemas e fragilidades detetados no turismo cultural, e tema central desta dissertação, sendo o estudo de caso abordado as Capitais Europeias da Cultura (CEC).Uma análise cronológica ao evento, na qual são examinados três casos específicos – Atenas 1985, Glasgow 1990 e Guimarães 2012 – mostra as diferentes alterações que o programa sofreu ao longo de trinta anos de celebrações, os vários impactos que este pode trazer para as cidades anfitriãs, e o papel relevante que a organização de eventos pode ter na dinamização, exploração e produção de cultura. A evolução do evento, semelhante à evolução do turismo cultural europeu, prova que as noções de turismo, cultura e evento não são estáticas e que há espaço para desenvolvimento criativo.
Description: Dissertação de Mestrado em Lazer, Património e Desenvolvimento - extinto apresentada à Faculdade de Letras
URI: http://hdl.handle.net/10316/85465
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE - Fabiana Martins - Versão final IMPRIMIR.pdf5.09 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

327
checked on Apr 1, 2020

Download(s) 50

334
checked on Apr 1, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons