Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/84863
Title: mTOR and ERCCI - immunohistochemistry expression in small cell lung carcinoma
Authors: Monteiro, Joana Sofia André 
Orientador: Carvalho, Lina
Alarcão, Ana
Keywords: Carcinoma de células pequenas do pulmão; imunohistoquimica; mTOR; ERCC1; etoposido e carboplatina
Issue Date: Jun-2011
Abstract: Introdução: O cancro do pulmão é uma das primeiras causas de morte na maioria dos países industrializados. Sem tratamento, o carcinoma de células pequenas do pulmão é o mais agressivo dos tumores do pulmão com uma média de sobrevida entre 2 e 4 meses. Há poucos casos de pacientes com sobrevida longa, apenas 5 a 10% estarão vivos 5 anos após o diagnóstico. O objectivo deste trabalho é compreender se há relação entre a expressão imunohistoquimica de ERCC1 e mTOR e a sobrevida e/ou resposta à quimioterapia. Material e métodos: Um total de 39 pacientes (7 mulheres e 32 homens) com o diagnóstico histológico de carcinoma de células pequenas do pulmão confirmado nos Hospitais Universidade de Coimbra entre Janeiro de 1998 e Dezembro de 2001. Resultados: Não foi encontrada nenhuma relação entre os parâmetros clínicos (sexo, idade e estadio de doença) e a sobrevida. Pacientes que expressavam mTOR sobreviveram mais tempo, a diferença de sobrevida entre este grupo e o grupo que não expressava mTOR foi estatisticamente significativa (log-rank p = 0,017). A expressão de ERCC1 não teve relação com a sobrevida (log-rank p = 0,808). Por fim, pacientes que expressavam mTOR positivo ou ERCC1 negativo tiveram significativamente uma sobrevida maior quando tratados com quimioterapia de primeira linha: etoposido + carboplatina, (respectivamente p = 0,02 and p = 0,001). Conclusão: Este estudo indica o possível valor prognóstico do mTOR em pacientes diagnosticados com carcinoma de células pequenas do pulmão. A expressão negativa de ERCC1 e a expressão positiva de mTOR podem estar associadas a melhor sobrevida em pacientes tratados com quimioterapia de primeira linha.
Introduction: Lung cancer is a leading cause of death in most industrialized countries. Without treatment, small cell lung carcinoma is considered the most aggressive of the lung tumors with a median survival ranging from 2 months to 4 months. The long-term prognosis for patients with small cell lung carcinoma is relatively poor, and only 5% to 10% are expected to live for at least 5 years after diagnosis. Material and Methods: A total of 39 patients (7 women, 32 men) with small cell lung cancer diagnosed between 1998 and 2001. Results: No relation between survival and clinical parameters (gender, age and stage of disease) was demonstrated in this study. Patients expressing positive mTOR had significantly longer survival (log-rank p = 0,017). Expression from ERCC1 was not correlated with survival (log-rank p= 0,808). Patients with positive mTOR or negative ERCC1 immunohistochemistry had longer survival when treated with carboplatin + etoposide (respectively p = 0,02 and p = 0,001) Conclusion: This data indicates the possible prognostic value for mTOR in patients diagnosed with small cell lung carcinoma. ERCC1 lower expression and mTOR overexpression are associated to a better response when applied first line chemotherapy.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Anatomia Patológica, apresentado à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/84863
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

60
checked on Jul 9, 2020

Download(s)

13
checked on Jul 9, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.