Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/84264
Title: Capacidade Funcional na Doença Mental Grave e na Perturbação de Desenvolvimento Intelectual: Estudo no âmbito de um programa de Reabilitação Psicossocial Residencial
Other Titles: Functional Capacity in Severe Mental Illness and Intellectual Development Disturbance: Study in a Residential Psychosocial Rehabilitation program
Authors: Santos, Anabela Almeida 
Orientador: Sousa, Liliana Baptista
Simões, Mário Manuel Rodrigues
Keywords: Donça Mental Grave; Perturbação Desenvolvimento Intelectual; Reabilitação Psicossocial Residencial; Incapacidade Financeira; Capacidade Financeira; Severe Mental Illness; Intellectual Disability Development; Residential Psychosocial Rehabilitation; Fuctional Disability; Financial Capacity
Issue Date: 24-Jul-2017
Serial title, monograph or event: Capacidade Funcional na Doença Mental Grave e na Perturbação de Desenvolvimento Intelectual: Estudo no âmbito de um programa de Reabilitação Psicossocial Residencial
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
Abstract: O presente estudo procurou analisar a utilidade da informação proveniente do exame funcional (geral e específico das aptidões financeiras) enquanto resposta específica na promoção da autonomia funcional e diminuição dos níveis de dependência na Doença Mental Grave e na Perturbação de Desenvolvimento Intelectual. O estudo é conduzido no âmbito de um programa de reabilitação psicossocial residencial, que inclui três níveis distintos, de acordo com o nível de dependência e necessidades dos sujeitos: (i) Unidade de Ganho de Autonomia (UGA; N=4); (ii) Quinta das Romãzeiras (QR; N=16); e (iii) Apartamentos (Re)partir (AR; N=10). Além das variáveis específicas de natureza funcional, este estudo envolveu ainda variáveis de natureza demográfica, cognitiva, emocional (sintomatologia depressiva) e relativas à qualidade de vida. Os resultados indicam diferenças nas aptidões funcionais gerais entre os três grupos do programa de reabilitação, nomeadamente quando considerados os valores de incapacidade funcional reportados pelos informadores: maiores níveis de incapacidade funcional em Atividades Instrumentais de Vida Diária – Avançadas na QR relativamente aos AR. Também nas aptidões funcionais de natureza financeira se observam diferenças com significado estatístico entre os grupos, particularmente: (i) grupo UGA com melhores aptidões financeiras gerais comparativamente aos demais grupos; e (ii) AR com melhores resultados na disposição do património em comparação com a QR. Adicionalmente, constatou-se congruência entre os auto-relatos e os relatos dos informadores, quer para a incapacidade funcional geral (à exceção da subamostra UGA), quer para a incapacidade funcional relativa às aptidões financeiras. Contudo, verificaram-se diferenças com significado estatístico entre o relato do informador no domínio das Finanças e o desempenho efetivo dos utentes em tarefas da mesma natureza: quanto maior a incapacidade funcional reportada pelos informadores no domínio das finanças, melhor é o desempenho por parte dos utentes dos AR.Os resultados permitiram também identificar diferenças com significado estatístico em outro tipo de variáveis, nomeadamente num aspecto específico do funcionamento cognitivo. Especificamente, na UGA são observados desempenhos na Fluência superiores ao grupo QR. Apurou-se ainda que maiores níveis de incapacidade funcional se associam a idade mais avançada, a níveis escolares inferiores, a pior desempenho cognitivo, a baixa perceção de qualidade de vida e a sintomatologia depressiva. Por sua vez, maiores níveis de capacidade financeira associam-se a idades mais novas, a melhor desempenho cognitivo, a níveis escolares superiores e a baixa perceção de qualidade de vida.O presente estudo de natureza exploratória realça a importância de integrar a informação proveniente do exame funcional (geral e específico), com recurso a medidas objetivas (auto-relato, relato do informador e o desempenho efetivo), na elaboração do perfil de funcionamento dos sujeitos com DMG ou PDI, aquando da seleção, colocação e posterior monitorização nas diferentes valências do programa de reabilitação psicossocial residencial, assim como na avaliação da eficácia do programa na promoção de autonomia e independência.
The present study sought to analyze the utility of information derived from functional (general and specific of financial skills) as a specific response in the promotion of functional autonomy and decrease of levels of dependence in Severe Mental Illness and Intellectual Development Disorder. The study is conducted within the framework of a residential psychosocial rehabilitation program, which includes three different levels according to the level of dependency and needs: (i) Autonomous Gain Unit (UGA; N = 4); (ii) Quinta das Romazeiras (QR; N = 16); and (iii) Apartments (Re)partir (AR; N = 10). In addition to the specific functional variables, this study also involved demographic, cognitive, emotional (depressive symptomatology) and quality of life variables.The results indicate differences in general functional skills among the three groups of the rehabilitation program, specifically when considering the values of functional incapacity reported by the informants: higher levels of functional disability in Advanced Daily Life Instrumental Activities. Also in the functional functionalities of financial nature are observed differences with statistical significance between the groups, particularly: (i) UGA group with better general financial skills compared to the other groups; And (ii) AR with better equity disposals compared to QR. In addition, there was a congruence between the self-reports and the reports of the informants, both for general functional disability (with the exception of the UGA sub-sample) and for the functional disability related to financial skills. However, statistically significant differences were found between the reporting of the informant in the field of Finance and the actual performance of the users in tasks of the same nature: the greater the functional incapacity reported by the informants in the field of finance, the better the performance by the people of ARs.The results also allowed to identify statistically significant differences in other types of variables, namely in a specific aspect of cognitive functioning. Specifically, in UGA, performance in Fluency higher than the QR group is observed. It was also found that higher levels of functional disability are associated with older age, lower school levels, worse cognitive performance, poor perception of quality of life and depressive symptomatology. In turn, higher levels of financial capacity are associated with younger ages, better cognitive performance, higher school levels and poor quality of life perception.This exploratory study emphasizes the importance of integrating information from functional exam (general and specific), using objective measures (self-reporting, informant reporting and actual performance), in the elaboration of the subjects' functioning profile with DMG or PDI, in the selection, placement and subsequent monitoring of the different values of the residential psychosocial rehabilitation program, as well as in evaluating the effectiveness of the program in promoting autonomy and independence.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/84264
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Anabela__Santos___.pdf821.65 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

493
checked on Nov 28, 2022

Download(s) 50

379
checked on Nov 28, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons