Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/83943
Title: As “sombras” da gravidez – um estudo exploratório sobre o impacto da gravidez na saúde mental de mulheres portuguesas.
Other Titles: The "shadows" of pregnancy - an exploratory study on the impact of pregnancy on the mental health of Portuguese women.
Authors: Oliveira, Nádia Solange Matos 
Orientador: Sá, Joaquim Eduardo Nunes
Keywords: Gravidez;; Psicologia;; Cuidados de saúde maternos;; Saúde mental;; Pregnancy;; Psychology;; Maternal health care;; Mental health;
Issue Date: 30-Oct-2017
Serial title, monograph or event: As “sombras” da gravidez – um estudo exploratório sobre o impacto da gravidez na saúde mental de mulheres portuguesas.
Place of publication or event: Babylab - FPCEUC
Abstract: Este estudo tem como objectivo expor, as verdadeiras vivências da gravidez numa amostra de mulheres que estão grávidas ou já foram mães. Foram alvo de reflexão detalhes e pormenores, que por vezes, as gestantes podem ter receio de verbalizar, temendo que as julguem e/ou que lhes atribuam o rótulo de “má mãe”. Pretende-se assim desconstruir o lado apenas cor-de-rosa da gravidez e dar a conhecer o seu lado B, de uma forma compreensiva e livre de juízos de valor e que nos permita fazer a ponte com as dificuldades vividas e a susceptibilidade à psicopatologia a que as mulheres estão expostas nesta etapa da vida. A recolha da amostra foi realizada através do lançamento de um questionário sobre a gravidez na Web e obtivemos 1214 participantes.Os resultados obtidos demonstram que a gravidez é um período de mudanças, particularmente regressivo e de alguma ansiedade para as mulheres. Para além disso, parece trazer custos para as mesmas em termos de humor, libido, imagem corporal, auto-estima e rituais de sono. No que diz respeito, a relações interpessoais afeta significativamente, a relação amorosa e a sua componente sexual, na medida em que as inquiridas admitem grandes alterações nesta componente. Não evidencia custos significativos nas outras relações sociais como por exemplo, no trabalho.Por outro lado, este período regressivo leva a mulher a repensar e comparar as suas relações significativas como é o caso da relação com os seus pais e a relação amorosa. Parece que a gravidez é um período de grande plasticidade mental e que leva a mulher a uma reestruturação de personalidade, rotina e da sua vida, no sentido de “arranjar” espaço para o bebé.Este trabalho almeja que as evidências nele encontradas se traduzam numa melhoria dos cuidados maternos e na qualidade de vida de quem será mãe e para quem já foi mãe.
This study aims to expose the true experiences of pregnancy in a sample of women who are pregnant or have already been mothers. In this paper, we discussed some details and issues, which sometimes pregnant women may be afraid to verbalize, fearing that they will be judged and/or labeled as "bad mothers". The aim is to deconstruct the only pink side of pregnancy and to make its B-side come out, in a comprehensible and value-free way that, allow us to bridge the difficulties experienced and the susceptibility to psychopathology to which women are exposed at this stage of life. The sample was collected by launching a questionnaire on pregnancy on the Web and we have 1214 participants.The results show that pregnancy is a period of change, particularly regressive and provokes anxiety in women. In addition, it appears to bring costs to women in terms of mood, libido, body image, self-esteem, and sleep rituals. In terms of interpersonal relationships significantly affects the love relationship and its sexual component, since the respondents admit wide changes in this component. It does not show significant costs in other social relations, for example, at work.On the other hand, this regressive period leads the woman to rethink and compare her significant relationships, such as the relationship with her parents and the love relationship.It seems that pregnancy is a period of great mental plasticity and that leads the woman to a restructuring of personality, routine and of her life, to "arrange" space for the baby.This work hopes that the evidence in, it will translate into an improvement in maternal care and in the quality of life of those who will be mothers and for those who have been mothers.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/83943
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
dissertação_Nádia_Matos_Oliveira.pdf927.63 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

464
checked on Sep 15, 2020

Download(s) 50

408
checked on Sep 15, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons