Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/83701
Title: Relatórios de Estágio e Monografia intitulada “Resistência à colistina e sua disseminação: implicações em saúde pública”
Other Titles: Internship reports and Monograph "Colistin resistance and its dissemination: implications for public health"
Authors: Costa, Adriana Nunes Alves Castanheira da 
Orientador: Gama, Cláudia Maria Branco
Silva, Gabriela Conceição Duarte Jorge
Coragem, Joana Gaspar M.A.
Keywords: Indústria Farmacêutica; Farmácia Comunitária; Colistina; Mecanismos de resistência; Gene mcr-1; Pharmaceutical Industry; Community Pharmacy; Colistin; Resistance mechanisms; mcr-1 gene
Issue Date: 26-Sep-2017
Serial title, monograph or event: Relatórios de Estágio e Monografia intitulada “Resistência à colistina e sua disseminação: implicações em saúde pública”
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: The information presented in this paper is divided into three chapters. In the first chapter is discussed the experience acquired during the internship held in Pharmaceutical Industry, in Bluepharma – Indústria Farmacêutica, S.A. The second chapter refers to the experience developed in Community Pharmacy, in Farmácia Gaspar. The third chapter describes the project about “Colistin resistance and its dissemination: implications for public health”. Colistin is a polypeptide antibiotic that was used extensively worldwide in human and veterinary medicine, in the 1960s. In human medicine, systemic colistin treatment was gradually declined due to the reported high incidence of nephrotoxicity and neurotoxicity. Consequently, colistin was replaced by other less toxic antibiotics. However, in the last few decades, the extensive number of hospital outbreaks as a result of the multidrug resistant Gram-negative bacteria, forced clinicians to re-introduce systemic colistin, as a last resort drug. Until the year 2015, colistin resistance has involved chromosomal mutations but dissemination of colistin resistance has never been reported via horizontal gene transfer. Nonetheless, in November 2015, in China, it was published a colistin resistance case encoded by the mcr-1 gene located on a plasmid, for the first time. In June 2016, in Belgium, it was detected another case of plasmid mediated colistin resistance gene, designated mcr-2. Since those descriptions, these genes have been detected in isolates recovered from food producing animals, humans and environmental sources, in many countries, which indicates a global epidemy. Firstly, an introduction about the main aspects related to colistin will be presented to explain the chemical structure, the antibacterial mechanism of action and therapeutic indications of colistin. Secondly, the chromosomal and the plasmid-mediated resistance mechanisms will be presented. Finally, measures for control and prevention of colistin resistance will be proposed, taking into account the One Health approach.
A informação apresentada neste documento encontra-se dividida em três capítulos. No primeiro capítulo é discutida a experiência adquirida durante o estágio realizado em Indústria Farmacêutica, na Bluepharma – Indústria Farmacêutica, S.A. O segundo capítulo refere-se à experiência desenvolvida em Farmácia Comunitária, na Farmácia Gaspar. O terceiro capítulo descreve a monografia sobre a "Resistência à colistina e sua disseminação: implicações em saúde pública" A colistina é um antibiótico polipeptídico que foi extensivamente utilizado, a nível mundial, em medicina humana e veterinária, na década de 1960. Na medicina humana, a elevada incidência de nefrotoxicidade e de neurotoxicidade, desencadeou o declínio da utilização sistémica da colistina. Consequentemente, a colistina foi substituída por outros antibióticos menos tóxicos. No entanto, nas últimas décadas, o elevado número de surtos hospitalares provocados por bactérias Gram-negativo resistentes a múltiplos fármacos, levou os clínicos a re-introduzir a colistina sistémica, como fármaco de último recurso. Até 2015, a resistência à colistina relacionava-se com a ocorrência de mutações cromossómicas, não havendo descrição da ocorrência de transferência horizontal de genes. Em novembro de 2015, na China, foi publicado, pela primeira vez, um caso de resistência à colistina codificado pelo gene mcr-1, localizado num plasmídeo. Em junho de 2016, na Bélgica, foi detetado outro gene de resistência à colistina mediada por plasmídeo, designado mcr-2. Após a sua divulgação, os genes foram detetados em animais produtores de alimentos, humanos e fontes ambientais, em muitos países, o que indica uma epidemia global. Inicialmente, será efetuada uma contextualização dos principais aspetos relacionados com a colistina, que se tornam importantes para compreender a sua estrutura química, o seu mecanismo de ação antibacteriano e as suas indicações terapêuticas. Posteriormente, serão apresentados os mecanismos de resistência cromossómica e mediada por plasmídeo. Por último, serão propostas medidas de controlo e prevenção da resistência à colistina, de acordo com a abordagem One Health.
Description: Relatório de Estágio do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas apresentado à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/83701
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Adriana Costa FINAL.pdf3 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

519
checked on Sep 17, 2020

Download(s) 50

457
checked on Sep 17, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons