Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/83681
Title: Relatório de estágio em Farmácia Comunitária e Monografia intitulada "Hepatite C - Novas opções terapêuticas"
Other Titles: Community pharmacy internship report & dissertation entitled "Hepatitis C - New Therapeutical Options"
Authors: Monteiro, Afonso Sousa Machado de Pereira 
Orientador: Simões, Maria Emília da Rocha
Pina, Maria Eugénia Soares Rodrigues Tavares de
Keywords: Hepatite C; Vírus; Tratamento; Grazeprevir; Elbasvir; Hepatitis C; Vírus; Treatment; Grazeprevir; Elbasvir
Issue Date: 25-Sep-2017
Serial title, monograph or event: Relatório de estágio em Farmácia Comunitária e Monografia intitulada "Hepatite C - Novas opções terapêuticas"
Place of publication or event: Farmácia Rocha e Faculdade de Farmácia da Universidade Coimbra
Abstract: A hepatite C é uma patologia que há muito prevalece na população mundial, e que infeta um número considerável de pessoas, com a qual um indivíduo infetado pode viver anos sem que sinta verdadeiramente quaisquer sintomas. Esta doença pode assumir duas fases; a fase aguda, onde geralmente o sistema imunitário consegue por si só erradicar o vírus do organismo, e a fase crónica, que representa o período mais grave e perigoso da doença e se caracteriza por uma progressiva destruição do fígado, que consequentemente evolui para uma série de complicações hepáticas e extra-hepáticas. À medida que a infeção avança estas complicações vão se tornando cada vez mais graves e incapacitantes podendo mesmo levar à morte do doente. Perante esta realidade, surgiu a necessidade de criar uma terapêutica medicamentosa eficaz e segura, que impossibilite a evolução da doença para estados mais graves.Por mais de 20 anos, a terapêutica para o tratamento de infeções causadas pelo VHC foi fundamentalmente a mesma; era administrada uma associação de Ribavirina e Interferão, que apesar de ter vindo a ser melhorada ao longo dos anos, apresentava inúmeros efeitos adversos, não era viável em muitas subpopulações e a sua eficácia muitas vezes não era a desejada. Face a esta problemática, começou a emergir, já no século XXI, um novo grupo de medicamentos designados como fármacos de ação antiviral direta. Estes medicamentos vieram possibilitar uma ação especifica contra o VHC, mais segura e eficaz do que a do regime terapêutico usado até à data. É neste contexto, que no presente documento são abordados os últimos medicamentos a serem introduzidos no mercado farmacêutico para o tratamento da hepatiteC.A aprovação das associações de Grazeprevir-Elbasvir, em 2016, para o tratamento específico das infeções causadas pelo genótipo 1 e 4, e mais tarde em 2017 das associações de Glecaprevir-Pibrentasvir e Sofusbuvir-Velpatasvir-Voxilaprevir, representaram o atingir de um marco histórico no tratamento da hepatite C. Estes novos regimes terapêuticos caracterizam-se pela sua alta eficácia, contra todos os genótipos do vírus, e baixas taxas de efeitos adversos representando assim um aumento notável das opções terapêuticas disponíveis para o tratamento de populações de doentes mais heterogéneas. Para além do que foi descrito, este documento engloba também o relatório de estágio em farmácia comunitária efetuada na Farmácia Rocha em Coimbra.
Hepatitis C is a pathology that has long prevailed in the world population, that infects a considerable number of people, and with which an infected individual can live years without feeling any symptoms. This disease essentially assumes two phases; an acute phase where generally the immune system is able to eradicate the virus by itself and a chronic phase. The chronic phase represents the most serious and dangerous period of infection. At this stage, there is a gradual destruction of the liver, that later evolves to a range of hepatic and extrahepatic complications. As time goes by, the infection develops making the symptoms even more serious and debilitating, which can eventually lead to death. Hence, the need arose to create a more effective and safe drug therapy, that would prevent the disease of reaching such severe stages.For more than 20 years, therapy for the treatment of HCV infections was an association of Ribavirin and Interferon. Although it had been improved over the years, this therapeutic sustained numerous adverse effects and was not suitable for use in many subpopulations.Moreover its effectiveness was often not the ideal. Faced with this situation, a new group of drugs designated as direct antiviral drugs began to emerge in the 21st century. These drugs came to enable a specific action against HCV, safer and more effective than the therapeutic regime used to date. It is in this context that this document addresses the latest medicines to be approved for the treatment of hepatitis C.The approval of the Grazeprevir-Elbasvir association in 2016, for the specific treatment of infections caused by genotypes 1 and 4, and later in 2017 with the approval of the associations of Glecaprevir-Pibrentasvir and Sofusbuvir-Velpatasvir-Voxilaprevir, represented the achievement of a historical hallmark in the treatment of Hepatitis C.These novel therapeutic regimens are characterized by their high efficacy, against all genotypes of the virus, as well as their low rates of adverse effects. As a result we have witnessed remarkable increase in therapeutical options, which can be used to treat more heterogeneous patient subpopulations.This document also contains a report on the internship of Community Pharmacy which took place at Farmácia Rocha, in Coimbra.
Description: Relatório de Estágio do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas apresentado à Faculdade de Farmácia
URI: http://hdl.handle.net/10316/83681
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Final Afonso.pdf1.81 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

441
checked on Aug 11, 2022

Download(s) 50

472
checked on Aug 11, 2022

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons