Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/82476
Title: RUSSIA’S CHALLENGE TO LIBERAL ORDER: EUROPEAN FAR-RIGHT PARTIES.
Other Titles: DESAFIO DA RÚSSIA A ORDEM LIBERAL: PARTIDOS EUROPEUS DA EXTREMA DIREITA.
Authors: Ciorici, Vasile 
Orientador: Simão, Licínia Maria dos Santos
Keywords: Kremlin; Partidos de extrema direita; Ordem liberal; Valores tradicionais; Sociedade internacional; Kremlin; Far-Right Parties; Liberal Order; Traditional Values; International Society
Issue Date: 17-Jul-2017
Serial title, monograph or event: RUSSIA’S CHALLENGE TO LIBERAL ORDER: EUROPEAN FAR-RIGHT PARTIES.
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: The referendum in Crimea (Ukraine), in March 2014, shows that many representatives of far-right political parties were invited by the Russian government to participate as electoral observers of this referendum, as well as, the acknowledgment of the far-right party Front Nacional in France which received financial assistance from Moscow. We could see that Russian connections with these parties have become stronger and more evident. Considering the last electoral success of these parties in European and national elections, furthermore, taking into account that one of Russia’s idea of soft power is weaponizing money, culture, and ideas incorporated in the support of far-right parties in Europe. Therefore, this represented serious challenges to the European Union and to the liberal order. Bearing in mind that the liberal order is the main pillar of today’s Western society we structured our dissertation around the question: How is the European liberal order affected by Russia’s support for European far-right political parties? Using English School lenses to better understand the concepts of international order, society, values, standards of morality and behavior, we analyzed at how the European liberal order is constituted. Then we looked at how the far-right parties in Europe became a challenge to the European liberal order. Also, we considered how Russia was able to connect and support these parties, and which instruments and narratives it was used to achieve this connection. Questioning whether the Russian strategy to connect with far-right parties helped their empowerment in today’s international context of tension and fear or not, and why many far-right parties of Europe looked for support from Russia, we analyzed how in the end these Kremlin-far-right parties’ connections impacted the European liberal order. The Kremlin’s challenge to the European liberal order through these parties appeared to have several goals: to protect its own internal political system from the export of Western democracy and its liberal values; to protect and keep a zone of influence in Europe, and if possible, an installment of a new international order where Moscow would play an important role.
O referendo da Crimeia (Ucrânia), em março de 2014, mostra que vários representantes dos partidos políticos de extrema direita foram convidados pelo governo russo para participar como observadores eleitorais deste referendo, assim como o reconhecimento de que o partido político de extrema direita Front Nacional na França, recebeu assistência financeira de Moscou. Nós conseguimos ver que as conexões russas com esses partidos têm se tornado mais fortes e mais evidentes. Considerando o último sucesso eleitoral destes partidos nas eleições europeias e nacionais, além disso, tendo em conta uma das ideias russas de que o poder de persuasão está transformando em armas o dinheiro, a cultura e as ideias incorporadas no suporte dos partidos de extrema direita na Europa. Isso representou sérios desafios para a União Europeia e para a ordem liberal. Por conseguinte, tendo em vista a ordem liberal como o principal pilar da atual sociedade ocidental, nós estruturamos nossa tese em torno da questão: Como a ordem liberal europeia foi afetada pelo suporte russo aos partidos políticos europeus de extrema direita? Por meio das lentes da Escola Inglesa, para uma melhor compreensão dos conceitos da ordem, da sociedade, dos valores, dos padrões de moral e dos comportamentos internacionais, nós analisamos como a ordem liberal europeia está constituída. A partir de então nós olhamos como os partidos políticos de extrema direita na Europa se tornaram um desafio para a ordem liberal europeia. Também consideramos como a Rússia foi capaz de conectar e apoiar esses partidos e quais instrumentos e narrativas foram usados para atingir essa meta. Questionando se a estratégia russa de conectar os partidos de extrema direita ajudou o empoderamento deles no atual contexto internacional de tensão e medo ou não, e porquê muitos partidos de extrema direita da Europa buscaram suporte da Rússia, nós analisamos como que, no final, essas conexões entre Kremlin e os partidos políticos de extrema direita impactaram a ordem liberal europeia. O desafio de Kremlin à ordem liberal europeia, por meio destes partidos, revelou apresentar diversos objetivos. Estes objetivos almejavam proteger o sistema político interno da exportação da democracia ocidental e seus valores liberais, assim como proteger e manter uma zona de influência na Europa, baseado no desenvolvimento de um sistema político similar ao da Rússia, na qual era mais iliberal e pró-Russo e legitimaria as políticas russas na ordem internacional, e, se possível, a instalação de uma nova ordem internacional onde Moscou executaria um papel importante.
Description: Dissertação de Mestrado em Relações Internacionais apresentada à Faculdade de Economia
URI: http://hdl.handle.net/10316/82476
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Vasile Ciorici Dissertation.pdf1.26 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

409
checked on Jul 9, 2020

Download(s) 50

425
checked on Jul 9, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons